DIU de Cobre: o que é, como funciona e possíveis efeitos colaterais

Agosto 2021

O DIU de cobre, também conhecido como DIU não-hormonal, é um tipo de método anticoncepcional muito eficaz, que é inserido no interior do útero e que evita uma possível gravidez, tendo um efeito que pode durar até 10 anos.

Este dispositivo é uma pequena peça de polietileno revestido por cobre capaz de alterar as características do útero e do muco cervical, diminuindo a motilidade do espermatozoide e prevenindo a gravidez. É importante que o DIU seja selecionado juntamente com o ginecologista, uma vez que existem algumas contraindicações para o uso do DIU de cobre, podendo o DIU hormonal ser mais indicado, por exemplo. Conheça mais sobre os tipos de DIU.

DIU de Cobre: o que é, como funciona e possíveis efeitos colaterais

Como funciona o DIU de cobre

Ainda não existe um forma de ação comprovada, no entanto, é aceite que o DIU de cobre altera as condições dentro do útero da mulher, afetando o muco cervical, que fica mais espesso, o que afeta a mobilidade do espermatozoide, que não consegue alcançar o óvulo. Devido ao fato de haver liberação de íons de cobre no útero, há uma ação inflamatória e citotóxica, o que interfere na qualidade dos espermatozoides e induzem a sua morte.

Além disso, o DIU de cobre promove alterações morfológicas do endométrio, de forma que não é possível haver implantação de um possível óvulo fecundado no útero e, consequentemente, desenvolvimento de gravidez.

Vantagens e desvantagens do DIU de cobre

Como qualquer outro método anticoncepcional, o DIU de cobre possui várias vantagens, mas também desvantagens, que estão resumidas no seguinte quadro:

VantagensDesvantagens
Não precisa ser trocado frequentementePrecisa ser inserido ou trocado pelo médico
Pode ser retirado a qualquer momentoA inserção pode ser desconfortável
Pode ser usado durante a amamentaçãoNão protege contra Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), como gonorreia, clamídia ou sífilis
Tem poucos efeitos colateraisÉ um método mais caro a curto prazo

Assim, antes de optar por utilizar o DIU de cobre como método anticoncepcional deve-se conversar com o ginecologista para entender se é o melhor método para cada caso. Veja como escolher o melhor método contraceptivo.

Como o DIU é inserido

O DIU de cobre deve ser sempre inserido pelo ginecologista no consultório médico, podendo a colocação ser feita em qualquer dia do ciclo menstrual, desde que tenha sido excluída a gravidez. Para isso, a mulher é colocada na posição ginecológica com as pernas ligeiramente afastadas, e o médico insere o DIU até ao útero. Durante este procedimento é possível que a mulher sinta um pequeno desconforto, semelhante a uma pressão.

Depois de colocado, o médico deixa um pequeno fio dentro da vagina para indicar que o DIU está bem colocado. Este fio pode ser sentido com o dedo, mas normalmente não é sentido pelo parceiro durante o contato íntimo. Além disso, é possível que o fio mude ligeiramente de posição ao longo do tempo ou pareça estar mais curto em alguns dias, no entanto, só deve ser motivo de preocupação caso desapareça.

O que fazer se não encontrar o fio

Nestes casos deve-se ir imediatamente ao hospital ou ao consultório do ginecologista para fazer um ultrassom transvaginal e avaliar se existe algum problema com o DIU, como deslocação, por exemplo.

Quando não é indicado

Apesar de ser um método seguro, eficaz e que não possui efeitos sistêmicos, o uso do DIU de cobre possui algumas contraindicações, sendo as principais:

  • Sepse pós-parto;
  • Após aborto séptico, que é um aborto espontâneo ou induzido complicado por uma infecção pélvica;
  • Doença trofoblástica gestacional;
  • Leiomioma submucoso;
  • Cervicite causada por gonorreia ou clamídia.

Além disso, o uso do DIU de cobre não é recomendado no pós-parto entre 48h e 4 semanas, em caso de lúpus eritematoso sistêmico com trombocitopenia severa e AIDS, pois os riscos desse método contraceptivo são superiores aos benefícios.

Possíveis efeitos colaterais

Embora o DIU de cobre seja um método com poucos efeitos colaterais, é ainda possível que surjam algum efeitos secundários como cólicas abdominais e sangramento excessivo durante a menstruação.

Além disso, como se trata de um dispositivo que é colocado no interior da vagina existe ainda um risco muito baixo de deslocamento, infecção ou perfuração da parede do útero. Nesses casos, geralmente não existem sintomas mas o fio pode desaparecer no interior da vagina. Assim se existir suspeita de que algo aconteceu, deve-se consultar imediatamente o médico.

O DIU engorda?

O DIU de cobre não engorda, nem causa qualquer alteração do apetite, pois não utiliza hormônios para funcionar. Geralmente, apenas o DIU com hormônios, como o Mirena, têm algum risco de causar qualquer tipo de alteração corporal.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual Técnico para Profissionais de Saúde : DIU com Cobre TCu 380A. 2018. Disponível em: <https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/wp-content/uploads/2018/12/manual_diu_08_2018.pdf>. Acesso em 04 Ago 2021
  • FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Uso de dispositivos intrauterinos (DIU) em nulíparas. 2017. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/media/k2/attachments/16-serie_diu.pdf>. Acesso em 04 Ago 2021
  • GIORDANO, Mario V.; GIORDANO, Luiz Agusto; PANISSET, Karen S. Dispositivo intrauterino de cobre. FEMINA. Vol 43. 1 ed; 15-20, 2015
  • PREFEITURA DE GUARULHOS - SECRETARIA DA SAÚDE: DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA INTEGRAL A SAÚDE. Protocolo Dispositivo Intrauterino (DIU). 2019. Disponível em: <https://www.guarulhos.sp.gov.br/sites/default/files/2020-06/Protocolo%20DIU.pdf>. Acesso em 04 Ago 2021
Mais sobre este assunto: