Diplopia: o que é, sintomas, causas e tratamento

julho 2022

A diplopia é um distúrbio em que a pessoa enxerga duas imagens de um único objeto, podendo afetar um ou os dois olhos, sendo causada por problemas de visão, como astigmatismo, estrabismo ou catarata, ou por alterações neurológicas, como esclerose múltipla ou AVC, por exemplo.

Na diplopia, também conhecida como visão dupla, pode-se enxergar a imagem uma em cima da outra ou as imagens podem ser vistas lado a lado, em diferentes sentidos, como na vertical ou na horizontal.

O tratamento da diplopia deve ser feito com orientação do oftalmologista, de acordo com sua causa, podendo ser indicado o uso de óculos, lentes de contato, ou até ou cirurgia para corrigir problemas de visão.

Sintomas de diplopia

Os principais sintomas da diplopia são:

  • Visão dupla, em que a pessoa enxerga duas imagens ou objetos, quando deveria enxergar apenas um;
  • Visão turva ou embaçada;
  • Dor no olho ao movimentá-lo;
  • Desalinhamento dos olhos;
  • Dor ao redor do olho;
  • Dor de cabeça;
  • Náuseas;
  • Tontura;
  • Maior sensibilidade à luz;
  • Sensação de ardor no olho;
  • Fraqueza no olho;
  • Olho esbugalhado;
  • Pálpebras caídas.

Os sintomas da diplopia podem surgir em um ou nos dois olhos, sendo importante consultar o oftalmologista para que seja diagnosticado, identificada a sua causa, e iniciado o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da diplopia é feito pelo oftalmologista através da avaliação dos sintomas, histórico de saúde, e exames oftalmológicos, como o exame de fundo de olho na lâmpada de fenda, campimetria, ou topografia da córnea, por exemplo. Veja os principais exames de vista que podem ser feitos pelo médico.

Além disso, o médico pode solicitar exames de imagem, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética, além de exames de sangue, para avaliar se outras condições de saúde podem estar causando a diplopia.

Tipos de diplopia

A diplopia pode afetar um ou os dois olhos, e a forma de ver a imagem pode ser lateral ou de cima para baixo, sendo por isso, classificada em tipos diferentes, que incluem:

  • Diplopia monocular, em que a visão dupla surge apenas em um olho, sendo percebida apenas quando um olho está aberto;
  • Diplopia binocular, em que a visão dupla acontece nos dois olhos e desaparece fechando qualquer um dos olhos;
  • Diplopia horizontal, quando a imagem aparece duplicada para os lados;
  • Diplopia vertical, quando a imagem encontra-se replicada para cima ou para baixo.

A visão dupla tem cura e a pessoa pode voltar a enxergar normalmente e de forma focada, no entanto o tratamento para alcançar a cura varia de acordo com a causa e, por isso, é importante que o oftalmologista seja consultado para que seja feita uma avaliação e o tratamento adequado possa ser iniciado.

Possíveis causas

A diplopia é causada por alterações nos olhos ou devido a problemas neurológicos, como:

  • Astigmatismo;
  • Estrabismo;
  • Catarata;
  • Ceratocone;
  • Síndrome do olho seco;
  • Anormalidades da íris no olho;
  • Esclerose múltipla;
  • Doença de Parkinson;
  • Síndrome de Guillain-Barré;
  • Miastenia gravis;
  • Diabetes;
  • Doenças da tireoide, como hipertireoidismo ou doença de Graves;
  • Lesões cerebrais;
  • Tumor cerebral;
  • AVC;
  • Aneurisma cerebral;
  • Paralisia do nervo Oculomotor, do nervo troclear ou do nervo abducente;
  • Lesão no tronco cerebral;
  • Pancadas na cabeça;
  • Fratura do assoalho da órbita;
  • Botulismo;
  • Uso excessivo de álcool;
  • Uso de drogas.

Além disso, a diplopia pode ser causada por uma incapacidade de manter os dois olhos trabalhando juntos, conhecida como insuficiência de convergência.

É importante consultar um oftalmologista sempre que a visão dupla se mantém ou é acompanhada de outros sintomas, como dor de cabeça e dificuldade para enxergar por exemplo, para que se possa ser feito o diagnóstico e iniciado o tratamento. Saiba como reconhecer os sintomas de problemas de visão.

Como é feito o tratamento

O tratamento da diplopia deve ser feito com orientação do oftalmologista, e varia de acordo com sua causa, sendo que em alguns casos a diplopia pode desaparecer sozinha, sem que seja necessário realizar tratamento.

No entanto, o médico pode indicar a realização de exercícios para os olhos, uso de óculos, lentes ou cirurgia para corrigir problemas de visão.

Além disso, no caso da ter sido causada por problemas neurológicos ou outras doenças, deve-se fazer o tratamento específico da doença, para melhorar a visão dupla.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em julho de 2022. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • LEITE, Daniel A. et al. Diplopia vertical persistente pós-facectomia e tireoidopatia associadas. Rev Bras Oftalmol. Vol 75. 3 ed; 235-237, 2016
  • RUCKER, Janet; TOMSAK, Robert L. Binocular Diplopia: A Practical Approach. The Neurologist. Vol 11. 2 ed; 2005
Mostrar bibliografia completa
  • ILIESCU, Daniela Adriana et al. Management of diplopia. Romanian Journal of Ophthalmology. Vol 61. 3 ed; 166-170, 2017
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878