Dieta para cirrose hepática: alimentos permitidos e o que evitar

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista
julho 2022

A dieta para cirrose deve garantir todos os nutrientes necessários para prevenir deficiências nutricionais, devendo incluir todos os tipos de frutas, vegetais, legumes, cereais integrais, peixes e carnes de ave baixas em gordura, evitando o consumo de carne vermelha, alimentos gordurosos e industrializados, que são mais difíceis de digerir e aumentam a quantidade de resíduos no organismo, prejudicando a sua metabolização no fígado.

A cirrose hepática é uma doença em que o fígado funciona com muita dificuldade, podendo ser causada pelo consumo excessivo de álcool, hepatite viral ou outras doenças. Nessas situações a alimentação adequada é fundamental, pois normalmente essas condições são acompanhadas de perda de peso severa, perda de massa muscular, acúmulo de líquidos e deficiência de alguns nutrientes, resultando em mal nutrição, o que pode acabar piorando a doença.

O dano ao fígado causado pela cirrose não pode ser revertido, apenas se for realizado um transplante de fígado, no entanto, se for identificado de forma precoce e tratado com medicamentos e dieta adequada, a evolução da doença pode ser atrasada.

Como deve ser a dieta

A dieta para cirrose hepática deve incluir carboidrato complexos, gorduras boas, proteínas de alto valor biológico e é importante assegurar a ingestão adequada de nutrientes. Por isso, é importante que a pessoa realize 5 a 6 refeições por dia, em pequenas porções, principalmente se tem pouco apetite ou se sentir-se satisfeito muito rapidamente.

Além disso, é muito importante adicionar uma refeição noturna, que deve ser rica em carboidrato e proteínas para evitar a perda de massa muscular, o que é comum nas pessoas com cirrose.

É também importante o consumo de proteínas de origem animal, como ovos, lácteos, peixes e carnes de aves, podendo moderar um pouco o seu consumo e aumentar a quantidade de proteínas de origem vegetal, como tofu, soja ou legumes, além de alimentos prebióticos, já que produzem menos efeitos no organismo e diminuem o acúmulo de produtos tóxicos.

A alimentação também deve incluir todos os tipos de frutas e verduras, porque além de ser fonte de vitaminas e minerais, são ricas em antioxidantes que ajudam a desintoxicar o fígado e prevenir o dano celular causado pelos radicais livres.

Por outro lado, as pessoas com cirrose hepática podem ter algumas deficiências de vitaminas e minerais, ou baixo peso. Por isso, pode ser necessária a suplementação desses nutrientes ou uma fórmula nutricional para aumentar as calorias consumidas, que devem ser indicadas pelo médico ou nutricionista.

Alimentos permitidos

Os alimentos permitidos na dieta para cirrose hepática são:

  • Todos os tipos de frutas e legumes, crus ou cozidos, com ou sem casca;
  • Cereais, preferencialmente integrais, como arroz integral, aveia, quinoa, cevada, centeio, pão e macarrão integral;
  • Proteínas de origem vegetal, como feijão, soja, lentilha e tofu;
  • Proteínas de origem animal, como peixes, ovos e carnes brancas como frango e peru;
  • Leite e derivados baixos em gordura, como queijo branco, ricotta, cottage e iogurte;
  • Bebidas vegetais de arroz, aveia, avelã ou soja;
  • Gorduras saudáveis, como azeite de oliva, girassol, soja ou milho, abacate, sementes de chia, amaranto ou abóbora, e frutos secos;
  • Temperos, como açafrão, canela, cominho, louro, folhas de mostarda, noz moscada, salsa, coentro, alho, orégano, cúrcuma, hortelã, manjericão, alecrim e tomilho.

Os alimentos devem ser preparados ao forno, grelhados ou fervidos, evitando as frituras.

É importante ter em mente que algumas pessoas com cirrose hepática podem ter intolerância a alguns alimentos ou ter dor após o seu consumo, principalmente aqueles que tem gases, como o brócolis, couve-flor ou repolho, e os lácteos, por exemplo, sendo importante evitá-los, nesses casos.

Alimentos que devem ser evitados

Os alimentos que devem ser evitados para ajudar a controlar a cirrose são:

  • Carne vermelha, como carne de vaca e vísceras;
  • Embutidos, como salsichas, chouriço e salame;
  • Leite integral e derivados ricos em gordura, como leite integral, manteiga, creme de leite e queijo amarelo, como queijo cheddar, brie, camembert, feta, parmesão, entre outros;
  • Alimentos gordurosos e processados, como batata frite, snacks, molhos prontos, macarrão instantâneo, comida congelada e refeições prontas;
  • Alimentos doces, como bolos, biscoitos, cupcakes, biscoito recheado, refrigerante e sucos industrializados.

Além disso, é importante evitar o consumo de bebidas alcoólicas, já que podem piorar a condição.

Cardápio de uma dieta para cirrose

A tabela a seguir traz a opção de um cardápio de 3 dias para uma pessoa com cirrose hepática:

Refeições principais

Dia 1Dia 2Dia 3
Café da manhãIogurte desnatado com quinoa, nozes e framboesaBebida de aveia + 3 torradas integrais com queijo branco, abacate e tomateLeite desnatado + wrap de ovo com vegetais

Lanche da manhã

Banana cortada com aveia em flocosIogurte desnatado com amêndoas e mamãoPão integral com queijo cottage, alface e tomate
Almoço/ jantarSalmão grelhado acompanhado com purê de batata + salada de grão de bico e vagem + 1 colher de sopa de azeite de oliva + 1 pêraMacarrão integral com tofu, sementes de abóbora e vegetais (cebola, alho, abobrinha e berinjela) + 1 colher de sopa de azeite de oliva + 1 porção de salada de frutasMerluza no forno com vegetais cozidos (aspargos, cenoura e brócolis) + 3 colheres de sopa de feijão + 3 colheres de sopa de gérmen de trigo + 1 colher de sopa de azeite de oliva + 1 maçã no forno com canela
Lanche da tardeUma xícara pequena de café com leite desnatado + 1 panqueca de aveia com pasta de amendoimVitamina de leite desnatado com banana e morangoUma xícara de chá verde + 1 wrap de queijo e espinafre

Lanche da noite

Sanduíche de atum e tomate

2 fatias de pão integral com pasta de grão de bico

Mingau de aveia com frutos secos e banana

As quantidades incluídas na dieta e a quantidade de líquidos a serem consumidos variam de acordo com a gravidade da doença, idade e sexo. Por isso, o ideal é procurar um nutricionista para que seja realizada uma avaliação completa e seja elaborado um plano nutricional adequado às necessidades. Além disso, também é importante lembrar que os medicamentos só devem ser consumidos sob orientação do médico.

Como controlar a retenção de líquidos

Para controlar a retenção de líquidos que normalmente acontece na cirrose e que recebe o nome de ascite, deve-se diminuir o consumo de sal, evitando acrescentá-lo nas refeições e consumir alimentos que o contenha em grandes quantidades, como salsichas, salame, cubos de carne, comidas prontas, fast food, molho inglês, molho de soja e enlatados.

Como alternativa, deve-se dar preferência ao uso de ervas naturais para temperar os alimentos, como alho, cebola, pimenta, salsa, manjericão, coentro, orégano, entre outros. Além disso, é recomendado consultar o nutricionista para saber se deve ou não ter um controle da ingestão de líquidos, já que dependendo do grau da ascite pode ser necessário.

Alimentação para cirrose hepática avançada

Quando a cirrose hepática encontra-se em uma fase mais avançada, normalmente a dieta deve ser realizada no hospital, pois é necessário compensar o déficit nutricional e controlar as mudanças metabólicas, o que é feito por meio da análise de amostras de sangue regulares que permitem avaliar o estado de saúde da pessoa.

As pessoas com cirrose hepática avançada normalmente apresentam deficiências de minerais como potássio, magnésio e fósforo, assim como de vitaminas do complexo B, principalmente quando a cirrose é de origem alcoólica. Nos casos de esteatorreia, que correspondem a evacuações líquidas e com gordura, também podem ser notadas deficiências de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K). Além disso, também podem apresentar retenção de sódio, perda de massa muscular e hipoalbuminemia.

Por isso, caso a pessoa tolere a via oral, a alimentação deve ter como objetivo a proteção hepática, devendo ser suplementada com vitaminas e minerais. Nos casos em que a via oral não é tolerada, a dieta deve ser administrada através de fórmulas nutricionais por uma sonda nasogástrica ou nasoentérica ou por via intravenosa, permitindo que o nutricionista controle melhor os nutrientes e a quantidade de líquidos que recebem, evitando sobrecarga do fígado e melhorando o prognóstico e o estado nutricional da pessoa.

Essas fórmulas nutricionais geralmente são ricas em aminoácidos de cadeira ramificada (BCAA) e baixas em aminoácidos aromáticos (AA). Os BCAA aparentemente evitam a entrada de substâncias tóxicas no cérebro, diminuindo o risco e agravamento da encefalopatia hepática, prevenindo a degradação de massa muscular e pode ser usado como fonte de energia pelo músculo, cérebro, coração e fígado quando o organismo não pode utilizar glicose ou gordura para gerar energia.

Confira como deve ser o tratamento para a cirrose hepática.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em julho de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em julho de 2022.

Bibliografia

  • SHERGILL Ravi, SYED Wajahat et al. Nutritional support in chronic liver disease and cirrhotics. World of Journal Hepatology. 10. 10; 685-694, 2018
  • European Association for the Study of the Liver. EASL Clinical Practice Guidelines on nutrition in chronic liver disease. Journal of Hepatology. 70. 1; 172-193, 2018
Mostrar bibliografia completa
  • PLAUTH Mathias, BERNAL William et al. ESPEN guideline on clinical nutrition in liver disease. Clinical Nutrition. 38. 2; 1-37, 2018
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.