Desenvolvimento do bebê - 41 semanas de gestação

Semana de gestação: 41 semanas

Equivale ao mês: 9 meses e 6 dias

Equivale aos dias: 281 a 286 dias de gestação

Na 41ª semana de gestação, todos os órgãos estão completamente formados, o bebê continua a ganhar peso e está pronto para nascer. A pele do bebê tende a ser mais avermelhada e seca, pois já perdeu a maior parte da vérnix caseosa, que cobria sua pele.

Durante essa semana, a mulher pode ter dificuldade para dormir devido ao tamanho da barriga que torna mais difícil achar uma posição confortável para o sono, o que também pode levar a um cansaço excessivo. Além disso, é normal, que nessa fase da gestação, a mulher se sinta mais ansiosa por causa da proximidade do parto.

Após as 41 semanas é possível que o médico opte pela indução do parto ou cesárea, pois à medida que a gravidez avança além dos 9 meses, aumentam os riscos de complicações para o bebê.

Desenvolvimento do bebê - 41 semanas de gestação

Desenvolvimento do bebê

Na 41ª semana da gestação, todos os órgãos estão completamente formados e o bebê continua a ganhar peso. Nesta semana da gravidez, a pele do bebê tende a ser mais avermelhada e seca, pois já perdeu a maior parte da vérnix caseosa que cobria a pele, que é uma cobertura branca e espessa, semelhante a cera, e que tem a função de hidratar e proteger a pele do líquido amniótico.

Algumas áreas dos ossos do crânio do bebê, chamadas fontanelas ou moleira, ainda estão separadas para permitir que a cabeça se comprima o suficiente para passar pelo canal do parto. Essas áreas do crânio permanecerão moles até um ano após o nascimento, para permitir que o cérebro continue se desenvolvendo.

Tamanho e peso do bebê

O tamanho do feto com 41 semanas de gestação é de cerca de 51,7 centímetros medidos da cabeça aos pés, sendo equivalente ao tamanho de um jerimum. O peso do bebê nessa semana é cerca de 3,68 Kg.

Mudanças no corpo da mulher

Na 41ª semana de gravidez, a mulher pode ter sintomas de cansaço excessivo, dificuldade para dormir, insônia, e/ou inchaço nas pernas e nos pés. Além disso, a mulher pode se sentir mais ansiosa para o nascimento do bebê.

As contrações podem se iniciar a qualquer momento e tendem a ficar cada vez mais fortes e doloridas. Se a mulher deseja um parto normal, comer alimentos apimentados, se não causarem azia, ou ter relações sexuais podem ajudar a agilizar o trabalho de parto.

Assim que as contrações começarem, deve-se anotar o horário e com que frequência chegam, para avaliar o andamento do trabalho de parto. Confira os sinais do trabalho de parto.

Se o trabalho de parto não iniciar espontaneamente nesta semana, é possível que o obstetra opte pelo internamento da mulher no hospital para monitoramento e indução do parto. Em alguns casos o obstetra pode indicar a realização da cesárea. Entenda como é feito o parto induzido e quando é indicado.

Isto porque, à medida que a gravidez avança além dos 9 meses, aumentam os riscos de complicações para o bebê, pois a placenta pode envelhecer e calcificar, e a quantidade de líquido amniótico pode reduzir, comprometendo o fornecimento de oxigênio e nutrientes para o bebê.

Em alguns casos, é possível que a gestação se prolongue até às 42 semanas, mas deve ser monitorada constantemente pelo obstetra.

Cuidados durante a 41ª semana

Na 41ª semana da gestação, alguns cuidados são importantes para ajudar a aliviar os desconfortos que podem surgir como:

  • Cansaço excessivo: descansar durante o dia, se possível, ir para a cama um pouco mais cedo à noite, podem ajudar a diminuir o cansaço e aumentar a disposição;
  • Dificuldade para dormir ou insônia: dormir com um travesseiro entre as pernas e deitada de lado ou em uma posição que a mulher se sinta confortável ajudam a reduzir o desconforto que dificulta o sono. Além disso, é importante criar uma rotina de sono e um ambiente calmo e confortável para dormir, e evitar dormir durante o dia para não atrapalhar o sono noturno;
  • Inchaço nas pernas ou nos pés: não ficar muito tempo de pé, e colocar os pés mais altos que o corpo, apoiando os pés quando precisar sentar, ajudam a melhorar a circulação sanguínea das pernas e ajuda a aliviar o inchaço nas pernas ou nos pés. No entanto, se o inchaço não melhorar, começar de forma repentina ou apresentar inchaço nas mãos e no rosto, deve-se procurar ajuda médica imediatamente, pois pode ser sinal de pré-eclâmpsia. Saiba mais sobre pré-eclâmpsia e como é feito o tratamento;
  • Ansiedade: dormir e descansar um pouco, buscar formas de relaxar, como fazer meditação, yoga, exercícios respiratórios ou escutar uma música relaxante, podem ajudar a reduzir a ansiedade.

Nesta semana da gestação a mulher deve continuar a seguir as recomendações médicas e estar atenta aos sinais de trabalho de parto como rompimento da bolsa amniótica, contrações regulares que aumentam de intensidade e não melhoram com o movimento do corpo, e a presença do corrimento vaginal.

Além disso, deve fazer o acompanhamento constante com o obstetra para verificar a saúde do bebê.

Principais exames

Na 41ª semana da gestação até a 42ª semana, a grávida deve ser monitorada pelo médico a cada 48 a 72 horas. Por esse motivo, o médico pode aconselhar o internamento para realizar um monitoramento mais apertado da pressão arterial, da frequência cardíaca do bebê, da quantidade de líquido amniótico, da saúde da placenta, do peso e dos movimentos do bebê, além da altura do útero e do colo do útero.

Confirme em que mês da gravidez está inserindo aqui os seus dados:

Erro
help
Imagem que indica que o site está carregando

Sua gravidez por trimestre

Para facilitar a sua vida e você não perder tempo procurando, separamos toda a informação que você precisa por cada trimestre de gestação. Em que trimestre você está?

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • The American College of Obstetricians an Gynecologists. Practice Bulletin No. 146 Management of Late-Term and Postterm Pregnancies. Obstetrics & Gynecology. 124. 2; 390-396, 2014
  • BLACKBURN, S. Maternal, Fetal, & Neonatal Physiology E-Book: A Clinical Perspective. 5ed. Elsevier Health Sciences; 2017, 2017. 720p.
  • KISERUD, T.; et al. The World Health Organization Fetal Growth Charts: A multinational longitudinal study of ultrasound biometric measurements and estimated fetal weight. PLoS Med. 14. 3; e1002284, 2017
  • NOTT, J. P.; et al. The structure and function of the cervix during pregnancy. Translational Research in Anatomy. 2. 1-7, 2016
  • SIBIUDE, J. Rupture des membranes à terme avant travail. Recommandations pour la pratique clinique du CNGOF — Faut-il déclencher ? [Term Prelabor Rupture of Membranes: CNGOF Guidelines for Clinical Practice - Timing of Labor Induction]. Gynecol Obstet Fertil Senol. 48. 1; 35-47, 2020
  • ROTA, A.; et al. Timing of hospital admission in labour: latent versus active phase, mode of birth and intrapartum interventions. A correlational study. Women Birth. 31. 4; 313-318, 2018
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal. 2017. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf>. Acesso em 29 Set 2021
  • FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. Cuidados no Trabalho de Parto e Parto: Recomendações da OMS. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/556-cuidados-no-trabalho-de-parto-e-parto-recomendacoes-da-oms>. Acesso em 29 Set 2021
  • HASHMI, Ali M.; et al. Insomnia during pregnancy: Diagnosis and Rational Interventions. Pak J Med Sci. 32. 4; 1030-7, 2016
  • MARCONI, A. M. Recent advances in the induction of labor. F1000Res. 8. F1000; Faculty Rev-1829, 2019
Mais sobre este assunto: