Dermatite atópica: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
abril 2022
  1. Sintomas
  2. Diagnóstico
  3. Causas
  4. Tratamento

A dermatite atópica é uma doença crônica que causa inflamação da pele, gerando ressecamento, placas e bolhas que coçam bastante, e que pode levar à formação de feridas. Os sintomas de dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico, podem acontecer em qualquer pessoa, mas são mais comuns em bebês e crianças com até 5 anos.

Esta inflamação da pele tem origem multifatorial, ou seja, pode ser desencadeada por uma combinação de fatores, e não é contagiosa. Os locais mais afetados variam de acordo com a idade, sendo mais comum nas dobras dos braços e joelhos, podendo, também, aparecer nas bochechas e junto às orelhas dos bebês, ou no pescoço, mãos e pés dos adultos. 

Apesar de não ter cura, a dermatite atópica pode ser tratada com remédios anti-inflamatórios em pomada ou comprimidos, de acordo com a orientação do dermatologista, e com a hidratação da pele, sendo também importante identificar o fator responsável por estimular os sintomas.

Principais sintomas

Os principais sintomas da dermatite atópica são o ressecamento da pele e a coceira, especialmente nas mãos, cotovelos, pescoço, parte de trás do joelho e/ou tornozelos.

No entanto, podem surgir outros sintomas como:

  • Inchaço na pele;
  • Vermelhidão;
  • Descamação da pele, devido ao ressecamento;
  • Aparecimento de pequenas bolinhas;
  • Formação de feridas, devido ao ato de coçar constantemente;
  • Mudança na cor de uma área da pele, que pode ficar mais clara ou mais escura que o normal.

Estas lesões podem surgir em qualquer idade e tendem a aparecer por períodos de "surto", desaparecendo após alguns dias.

Quando as lesões não são tratadas ou permanecem por muito tempo na pele (forma crônica), podem desenvolver uma coloração mais escurecida e parecer uma crosta, situação chamada de liquenificação. Saiba reconhecer os sintomas de dermatite atópica.

Devido ao ressecamento da pele, coceira e formação de feridas, há maior risco de desenvolver infecção na pele causada por bactérias, vírus ou fungos, o que pode agravar a inflamação, piorar os sintomas e dificultar o tratamento.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da dermatite atópica é feito pelo dermatologista principalmente por meio da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa. Além disso, o médico deve levar em consideração a história clínica da pessoa, ou seja, a frequência com que surgem os sintomas e em que situações aparecem, ou seja, se surge em momentos de estresse ou como consequência de rinite alérgica, por exemplo.

É importante que o diagnóstico da dermatite atópica seja feito assim que surgirem os primeiros sintomas para que o tratamento possa ser iniciado logo em seguida e sejam prevenidas complicações, principalmente as infecções na pele.

Causas de dermatite atópica

A dermatite atópica é uma doença de causa multifatorial, ou seja, as alterações na pele podem ser desencadeadas por várias fatores, entretanto a forma como esses fatores promovem o aparecimento dos sintomas ainda é discutido. Acredita-se que os sintomas da dermatite atópica surjam devido à alteração na barreira da pele e/ ou sejam consequência de alteração no sistema imunológico, que resulta em uma resposta inflamatória mais intensa.

Alguns fatores podem ser responsáveis por estimular a inflamação da pele e levar ao aparecimento dos sintomas de dermatite atópica, como alteração climática, fumaça, poluição, detergentes e sabão de lavar roupa muito concentrados e contato com tecidos sintéticos, por exemplo.

Como é feito o tratamento

O tratamento para dermatite atópica pode ser feito com o uso de cremes ou pomadas corticoides prescritos pelo dermatologista, como Dexclorfeniramina ou Dexametasona, 2 vezes ao dia. É ainda importante adotar alguns hábitos para diminuir a inflamação e tratar as crises, como:

  • Usar hidratantes, à base de ureia, evitando-se produtos como cor e cheiro;
  • Não tomar banho com água quente;
  • Evitar tomar mais que um banho por dia;
  • Evitar alimentos com maior possibilidade de causar alergias, como camarão, amendoim ou leite.

Além disso, podem ser necessários medicamentos em comprimido, como anti-alérgicos ou corticoides, prescritos pelo dermatologista, para diminuir as crises de coceira e inflamações graves. Entenda mais sobre o tratamento para dermatite atópica.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em abril de 2022. Revisão médica por Drª. Aleksana Viana - Dermatologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Atualização em Dermatite Atópica. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/pdfs/DERMATITE_ATOPICA_ATUALIZACAO_EM.pdf>. Acesso em 03 mar 2022
  • BVS. Dermatite atópica. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/dermatite-atopica/>. Acesso em 03 mar 2022
Mostrar bibliografia completa
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA - REGIONAL DE SÃO PAULO. Dermatite atópica. Disponível em: <https://www.sbd-sp.org.br/geral/dermatite-atopica-sintomas-causas-e-tratamentos/>. Acesso em 03 mar 2022
  • ANTUNES, Adriana A.; SOLÉ, Dirceu; CARVALHO, Vânia O. et al. Guia prático de atualização em dermatite atópica - Parte I: etiopatogenia, clínica e diagnóstico. Posicionamento conjunto da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia e da Sociedade Brasileira de Pediatria. Arq Asma Alerg Imunol. Vol 1. 2 ed; 131-156, 2017
  • CARVALHO, Vânia O.; SOLÉ, Dirceu; ANTUNES, Adriana A. et al. Guia prático de atualização em dermatite atópica - Parte II: abordagem terapêutica. Posicionamento conjunto da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia e da Sociedade Brasileira de Pediatria. Arq Asma Alerg Imunol. Vol 1. 2 ed; 157-182, 2017
Revisão médica:
Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
Especialista em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em 2007 com registro profissional no CRM/PE – 16907.