Microagulhamento para estrias: como funciona e dúvidas comuns

março 2022

O microagulhamento é um dos tratamentos indicados para eliminar estrias vermelhas ou brancas, pois, ao deslizar sobre a pele, as micro agulhas estimulam a formação de novas fibras de colágeno, dando mais firmeza e sustentação à pele.

A técnica pode ser feita por rollers, sendo o Dermaroller o mais comum, ou canetas elétricas (DermaPen) e sempre por um profissional especializado, que fará o acompanhamento após o procedimento e usará técnicas que possam evitar lesões e prejudicar a pele. O aparelho usado deve ser individual e o material utilizado deve ser estéril e apresentar autorização da Anvisa para o seu uso. 

Para atingir um resultado satisfatório e ter uma recuperação rápida, o microagulhamento para estrias deve ser realizado regularmente, com intervalos de um mês entre as aplicações e sempre com indicação do dermatologista. Para utilizar o dermaroller nas estrias, não se deve estar com a pele bronzeada, nem apresentar infecções locais.

Como é feito o microagulhamento para estrias

O microagulhamento para estrias deve ser feito por um profissional, que deverá seguir os seguintes passos:

  1. Limpar a pele com algodão e soro fisiológico para eliminar toda a sujidade e diminuir o risco de infecções;
  2. Aplicar uma pomada anestésica, que contém Lidocaína, por exemplo, e deixar agir por 30-40 minutos;
  3. Remover completamente o anestésico da pele com algodão e água fria ou soro fisiológico;
  4. Deslizar o roller exatamente em cima das estrias, nos sentidos vertical, horizontal e diagonal;
  5. Limpar, novamente, com algodão e soro fisiológico, depois de passar o roller em toda a região a tratar;
  6. Aplicar um sérum, com Vitamina C, por exemplo, e deixar agir até a sua completa absorção.

Cada sessão de microagulhamento pode ser realizada com intervalos de 4 semanas e é fundamental seguir as orientações feitas pelo profissional, após o tratamento.

Principais cuidados após o microagulhamento

Os cuidados que precisam ser tomados após o microagulhamento, são:

  • Evitar exposição ao sol após as sessões de microagulhamento durante todo o tratamento, para não causar manchas na pele. 
  • Usar protetor solar apenas 24h após o procedimento;
  • Evitar roupas apertadas que causem atrito/pressão na região das estrias;
  • Evitar o uso de cremes ou hidratantes nas primeiras 24h após o procedimento; 
  • Observar se a pele permanece com alguma irritação ou vermelhidão, após 7 dias do procedimento. Se sim, procurar ajuda profissional.

Os cuidados ajudam a nutrir a pele, melhoram os resultados e a eficácia do microagulhamento e evitam o surgimento de manchas ou cicatrizes.

Como funciona o microagulhamento

O microagulhamento é uma técnica que consiste em fazer microperfurações na pele com pequenas agulhas metálicas. Essas microperfurações fazem com que exista melhor irrigação sanguínea no local, levam à formação de novas células e estimulam a produção de novas fibras de colágeno, dando maior sustentação à pele. 

Dessa forma, com o microagulhamento, a pele fica mais uniforme e as estrias vão se tornando menores e mais finas com a continuidade do tratamento, até que sejam completamente eliminadas. No entanto, em alguns casos pode ser preciso usar outros tratamentos estéticos para complementar o microagulhamento, como a radiofrequência e o laser, por exemplo. Veja outros tratamentos para eliminar estrias.

Além de eliminar estrias, esta técnica também é indicada para combater as rugas e promover o rejuvenescimento da pele do rosto, clarear manchas, eliminar cicatrizes de acne, diminuir a queda de cabelo e amenizar linhas de expressão, especialmente aquelas em redor dos olhos. Conheça outros benefícios do microagulhamento.

Dúvidas comuns sobre microagulhamento 

Algumas dúvidas comuns sobre o microagulhamento para estrias são:

O tratamento com dermaroller funciona?

O microagulhamento é um excelente tratamento para eliminar estrias, até mesmo as brancas e mais antigas, mesmo que sejam muito grandes, largas ou estejam em grande quantidade. O tratamento com as agulhas melhora 90% das estrias, sendo muito eficaz para reduzir seu comprimento e largura com poucas sessões.

O tratamento com dermaroller dói?

Sim, as agulhas provocam uma lesão na pele que podem causar dor, por isso é necessário anestesiar a região antes de iniciar o tratamento. Depois da sessão, o local pode ficar dolorido, vermelho e um pouco inchado, mas esses sintomas tendem a melhorar em poucos dias. 

O microagulhamento pode ser feito em casa?

Não. Para que o tratamento com microagulhamento alcance as camadas certas da pele para eliminar as estrias, as agulhas devem ter um comprimento de no mínimo 2 mm. Já as agulhas indicadas para tratamento caseiro têm só até 0,5 mm, não sendo indicadas para tratar estrias. Assim o tratamento de microagulhamento para estrias deve ser feito numa clínica por profissionais qualificados. 

Contraindicações

O microagulhamento não deve ser usado em algumas situações, como: 

  • Presença de quelóides ou alguma ferida no local a ser tratado;
  • Uso de anticoagulantes, como heparina ou aspirina, pois aumenta o risco de sangramentos;
  • Doenças autoimunes, como lúpus ou artrite reumatóide; 
  • Doenças de pele, como psoríase ou dermatite atópica;
  • Histórico de alergias a pomadas anestésicas locais;
  • Câncer de pele. 

O microagulhamento pode causar alterações na coloração da pele, especialmente em pessoas de pele morena ou negra que tenham algum tipo de lesão anterior, por isso é recomendado a orientação de um profissional.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em março de 2022. Revisão clínica por Bruna Ribeiro - Especialista em Estética Avançada, em março de 2022.

Bibliografia

  • Silva, L, P, I. et,. al. Microdermoabrasão: peeling de cristal e diamante- revisão de literatura. Revista Saúde em Foco. 10.ed; 474-484, 2018
  • BORGES, Fábio dos Santos; SCORZA, Flávia Acedo. Terapêutica em Estética: Conceitos e Técnicas. 1.ed. São Paulo: Phorte, 2016. Terapia de indução de colágeno.
Mostrar bibliografia completa
  • SILVA, Mariane Lopes da, et al. Análise dos efeitos da utilização da microgalvanopuntura e do microagulhamento no tratamento das estrias atróficas. BIOMOTRIZ. Vol.11. 1 ed; 49-63, 2017
  • FULCO, Tatiana de Oliveira, et al. Avaliação da eficácia clínica e segurança do microagulhamento no tratamento das estrias alba. Simpósio, 2019. UGB.
Revisão clínica:
Bruna Ribeiro
Especialista em Estética Avançada
Bruna Ribeiro dos Santos é enfermeira especialista em Estética Avançada pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino (IBRAPE).