Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

5 dúvidas comuns sobre a cura do coronavírus (COVID-19)

A maioria das pessoas infectadas com o novo coronavírus (COVID-19) consegue alcançar a cura e se recuperar totalmente, já que o sistema imunológico é capaz de eliminar o vírus do organismo. No entanto, o tempo que pode passar desde que a pessoa apresenta os primeiros sintomas, até que é considerada curada pode variar de caso para caso, podendo ir desde os 14 dias até as 6 semanas.

Depois que a pessoa é considerada curada, o CDC, que é o Centro de Controle e Prevenção de Doenças, pressupõe que não há risco de transmissão da doença e que a pessoa fica imune ao novo coronavírus. No entanto, o próprio CDC indica que ainda são necessários mais estudos com os pacientes recuperados para que sejam comprovadas essas suposições.

5 dúvidas comuns sobre a cura do coronavírus (COVID-19)

1. Quando a pessoa é considerada curada?

Segundo o CDC, a pessoa que foi diagnosticada com COVID-19 pode ser considerada curada de duas formas:

Com teste de COVID-19

A pessoa é considerada curada quando reúne estas três variáveis:

  1. Não apresenta febre, sem utilizar remédios para a febre;
  2. Apresenta melhora dos sintomas respiratórios, como tosse, espirros e dificuldade respiratória;
  3. Teve resultado negativo em 2 testes de COVID-19, feitos com mais de 24 horas de diferença.

Esta forma é mais utilizada para pacientes internados no hospital, que têm doenças que afetam o sistema imunológico ou que apresentaram sintomas severos da doença em algum momento da infecção.

Geralmente, estas pessoas demoram mais tempo para serem consideradas curadas, já que, devido à gravidade da infecção, o sistema imunológico tem maior dificuldade para combater o vírus.

Sem teste de COVID-19

A pessoa é considerada curada quando:

  1. Não apresenta febre por mais de 3 dias, sem uso de medicamentos;
  2. Apresenta melhora dos sintomas respiratórios, como tosse, espirros e dificuldade respiratória;
  3. Passaram mais de 7 dias desde os primeiros sintomas de COVID-19.

Esta forma é geralmente usada nos casos mais leves da infecção, especialmente em pessoas que estão se recuperando em isolamento em casa.

2. Ter alta do hospital é o mesmo que estar curado?

Ter alta do hospital nem sempre significa que a pessoa está curada. Isso porque, em muitos casos, a pessoa pode ter alta quando apresenta melhora dos sintomas e já não precisa ficar em observação contínua no hospital. Nessas situações, a pessoa deve continuar em isolamento num quarto em casa, até que os sintomas desapareçam e seja considerada curada por uma das formas indicadas anteriormente.

5 dúvidas comuns sobre a cura do coronavírus (COVID-19)

3. A pessoa curada pode passar a doença?

Até o momento é considerado que a pessoa curada da COVID-19 apresenta um risco muito baixo de poder transmitir o vírus para outras pessoas. Embora a pessoa curada possa apresentar alguma carga viral durante várias semanas após o desaparecimento dos sintomas, o CDC considera que a quantidade de vírus liberada é extremamente baixa, não existindo risco de contágio.

Além disso, a pessoa também deixa de apresentar tosse e espirros constantes, que são a principal forma de transmissão do novo coronavírus.

Ainda assim, são necessárias mais investigações e, por isso, as autoridades de saúde recomendam que se mantenham os cuidados básicos como lavar as mãos frequentemente, cobrir a boca e o nariz sempre que precisar tossir, assim como evitar estar em locais públicos fechados. Saiba mais sobre os cuidados que ajudam a evitar que a infecção se espalhe.

4. É possível pegar COVID-19 duas vezes?

Após exames de sangue feitos nas pessoas recuperadas foi possível observar que o corpo desenvolve anticorpos, do tipo IgG e IgM que parecem garantir proteção contra uma nova infecção por COVID-19.

No entanto, também existe relatos de alguns casos raros de pessoas, na China e na Coreia, que voltaram a apresentar resultado positivo para COVID-19, mesmo depois de serem consideradas curadas.

Desta forma, o CDC indica que ainda são necessárias mais investigações para entender quais os motivos que podem levar as pessoas a serem novamente infectadas, e para descobrir se a imunidade é permanente ou se dura um período após a infecção.

5. Existem sequelas da infecção a longo prazo?

Até o momento ainda não se conhecem sequelas diretamente relacionadas à infecção COVID-19, já que a maior parte das pessoas parece recuperar sem sequelas permanentes, principalmente porque apresentaram uma infecção leve ou moderada.

No caso das infecções mais graves de COVID-19, em que a pessoa desenvolve uma pneumonia, é possível que surjam sequelas permanentes, como a diminuição da capacidade pulmonar, o que pode causar falta de ar em atividades simples, como andar rápido ou subir escadas. Ainda assim, este tipo de sequela está relacionada às cicatrizes pulmonares deixadas pela pneumonia e não pela infecção do coronavírus.

Outras sequelas também poderão surgir em pessoas que ficam internadas na UTI, mas, nesses casos, variam de acordo com a idade e a presença de outras doenças crônicas, como problemas cardíacos ou diabetes, por exemplo.

De acordo com alguns relatórios, existem pacientes curados da COVID-19 que parecem apresentar cansaço excessivo, dor muscular e dificuldade para dormir, mesmo depois de terem eliminado o coronavírus de seu organismo, ao qual se tem atribuído a designação de síndrome pós-COVID. Assista o vídeo seguinte e saiba o que é, porque acontece e quais os sintomas mais comuns desta síndrome:

Bibliografia >

  • CDC. Interim Clinical Guidance for Management of Patients with Confirmed Coronavirus Disease (COVID-19). Disponível em: <https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/clinical-guidance-management-patients.html>. Acesso em 14 Abr 2020
  • CDC. Discontinuation of Transmission-Based Precautions and Disposition of Patients with COVID-19 in Healthcare Settings (Interim Guidance). Disponível em: <https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/disposition-hospitalized-patients.html>. Acesso em 14 Abr 2020
  • CDC. Discontinuation of Isolation for Persons with COVID-19 Not in Healthcare Settings (Interim Guidance). Disponível em: <https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/disposition-in-home-patients.html>. Acesso em 14 Abr 2020
  • CDC. Clinical Questions about COVID-19: Questions and Answers. Disponível em: <https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/faq.html>. Acesso em 14 Abr 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem