Corrimento esverdeado na gravidez: o que pode ser e o que fazer

O corrimento esverdeado na gravidez é um sinal de alerta, pois pode indicar a presença de infecções sexualmente transmissíveis, como tricomoníase, clamídia ou gonorreia, por exemplo.

Além do corrimento esverdeado, que pode ter mau cheiro, outros sintomas que podem surgir são coceira ou vermelhidão na região genital, dor e ardor ao urinar, pequenos sangramentos vaginais ou dor durante as relações sexuais.

O recomendado é consultar um obstetra sempre que surgir corrimento esverdeado na gravidez, para identificar sua causa e iniciar o tratamento mais adequado.

Imagem ilustrativa número 1

6 principais causas

As principais causas de corrimento esverdeado na gravidez são:

1. Tricomoníase

A tricomoníase é uma infecção sexualmente transmissível (IST), que pode causar corrimento esverdeado ou amarelado, mau cheiro, vermelhidão na região genital, dor ao urinar, coceira e presença de pequenos sangramentos vaginais.

Essa infecção é causada pelo protozoário Trichomonas vaginalis, que também pode ser transmitido na gravidez caso aconteça uma relação íntima sem preservativo com o(a) parceiro(a) infectado(a). 

A tricomoníase pode aumentar o risco de parto prematuro ou baixo peso do bebê ao nascer e, por isso, deve ser tratada o mais rápido possível.

O que fazer: deve ir ao obstetra para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento com um antibiótico, como o metronidazol, por cerca de 3 a 7 dias. Entenda como é feito o tratamento da tricomoníase.

2. Clamídia

A clamídia é outra uma infecção sexualmente transmissível (IST), que geralmente causa corrimento amarelado semelhante a pus, mas em alguns casos também pode ser esverdeado.

Além disso, outros sintomas da clamídia são dor e ardor ao urinar, dor e sangramento durante o contato íntimo ou dor pélvica.

A clamídia é causada pela bactéria Chlamydia trachomatis, e durante a gravidez pode aumentar o risco de parto prematuro, ruptura das membranas ou baixo peso ao nascer.

A clamídia na gravidez, quando não tratada, pode aumentar o risco de parto prematuro, ruptura prematura das membranas ou baixo peso do bebê ao nascer

O que fazer: é importante seguir o tratamento indicado pelo obstetra, que normalmente é feito com o uso de antibióticos, como azitromicina ou doxiciclina. Veja mais detalhes do tratamento da clamídia.

3. Gonorreia

O corrimento esverdeado grosso ou amarelo também pode ser causado pela gonorreia que é uma infecção sexualmente transmissível causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae.

Outros sintomas da gonorreia são dor ou sensação de queimação ao urinar, incontinência urinária, coceira na região íntima, sangramento ou caroços na vagina, por exemplo.

Uma vez que a gonorreia pode afetar a gravidez, aumentando o risco de aborto, parto prematuro ou infecção do líquido amniótico, é muito importante iniciar rapidamente o tratamento. 

O que fazer: deve-se ir imediatamente ao hospital ou ao obstetra para iniciar o tratamento, que neste caso é feito com o uso de antibióticos. Veja como é feito o tratamento da gonorreia na gravidez.  

4. Doença inflamatória pélvica

A doença inflamatória pélvica (DIP) é uma inflamação do trato genital superior, incluindo útero, ovários e tubas uterinas, se espalhando por uma grande área pélvica, causada principalmente por IST’s, como gonorreia ou clamídia, que não foram devidamente tratadas.

A DIP pode causar corrimento amarelado ou esverdeado com mau cheiro, e outros sintomas como febre acima de 38ºC, dor no pé da barriga e até sangramento vaginal.

O que fazer: deve-se fazer o tratamento com antibióticos indicados pelo obstetra. Além disso, deve-se evitar o contato íntimo durante o tratamento. Saiba mais sobre o tratamento da doença inflamatória pélvica.  

5. Cervicite

A cervicite é a inflamação do colo do útero que pode causar corrimento vaginal cinza, branco, amarelado ou esverdeado, dor durante a relação sexual ou ao urinar, dor pélvica ou irritação na vulva.

A cervicite é mais frequentemente causada por infecções sexualmente transmissíveis, como gonorreia, clamídia ou tricomoníase. 

O que fazer: deve-se consultar o obstetra que deve indicar o tratamento com o uso de antibióticos. Além disso, durante o tratamento é recomendado que a grávida não tenha contato íntimo e o seu parceiro deve consultar um urologista para avaliar se também tem alguma infecção. Confira todas as opções de tratamento para cervicite.  

6. Vulvovaginite

A vulvovaginite é uma inflamação da vulva e da vagina que pode causar corrimento esverdeado, além de irritação, coceira, vermelhidão e inflamação genital, desconforto ou sensação de queimação ao urinar.

O corrimento esverdeado da vulvovaginite, geralmente está associado a infecções sexualmente transmissíveis, como clamídia, tricomoníase ou gonorreia.

O que fazer: deve-se fazer o tratamento com antibióticos receitados pelo obstetra e evitar o contato íntimo com o(a) parceiro(a), que também deve fazer o tratamento.

Corrimento esverdeado na gravidez prejudica o bebê?

O corrimento esverdeado na gravidez geralmente indica a presença de infecções, que se não tratadas podem prejudicar o bebê.

Algumas complicações que o corrimento esverdeado na gravidez pode causar são parto prematuro, ruptura prematura das membranas, infecção do líquido amniótico ou baixo peso do bebê ao nascer ou até aumentar o risco de aborto.

Por isso, a grávida deve sempre consultar o obstetra quando surgir corrimento esverdeado, para que seja identificada sua causa e iniciado o tratamento mais adequado.

Quando ir ao obstetra

É recomendado consultar o obstetra sempre que surgir o corrimento esverdeado ou outros sintomas, como:

  • Dor abdominal ou pélvica;
  • Corrimento com mau cheiro;
  • Coceira na vagina ou vulva;
  • Dor durante o contato íntimo ou ao urinar;
  • Pequenos sangramentos ou sangramento após o contato íntimo;
  • Febre ou mal estar;
  • Tonturas ou desmaios;
  • Náuseas ou vômitos.

Nestes casos, o médico deve fazer o exame ginecológico e solicitar outros exames para identificar a causa dos sintomas, e indicar o tratamento mais adequado.

Marque uma consulta com um obstetra na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Obstetras e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Vídeos relacionados