Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como identificar e tratar a Contratura de Dupuytren

A contratura de Dupuytren é uma alteração que ocorre na palma da mão que faz com que um dedo fique sempre mais dobrado que os outros. Esta doença afeta principalmente os homens, à partir dos 40 anos de idade e os dedos mais acometidos são o anelar e o mindinho. Seu tratamento é feito através da fisioterapia, mas em alguns casos pode ser necessária uma cirurgia.

Essa contratura é benigna mas pode trazer desconforto e dificultar o dia-a-dia da pessoa afetada, provocando dor e dificuldade para abrir completamente a mão. Nesse caso formam-se pequenos nódulos de fibrose que podem ser sentidos ao pressionar a região da palma da mão. À medida que aumentam, os nódulos de Dupuytren desenvolvem pequenos cordões que se estendem causando a contratura.

Como identificar e tratar a Contratura de Dupuytren

Causas da contratura de Dupuytren

Essa doença pode ser de causa hereditária, auto-imune, pode aparecer devido a um processo reumático ou até mesmo devido ao efeito colateral de algum medicamento, como por exemplo o Gadernal. Habitualmente ela é causada pelo movimento repetitivo de fechar a mão e os dedos, principalmente quando há vibração envolvida. Pessoas que tem diabetes, fumam e consomem álcool em excesso parecem ter maior facilidade para desenvolver estes nódulos. 

Sintomas da contratura de Dupuytren

Os sintomas da contratura de Dupuytren são:

  • Nódulos na palma da mão, que progridem e formam 'cordas' na área afetada;
  • Dificuldade em abrir os dedos afetados;
  • Dificuldade em pousar a mão devidamente aberta numa superfície plana, como numa mesa, por exemplo.

O diagnóstico é feito pelo médico clínico geral ou ortopedista, mesmo sem a necessidade de exames específicos. Na maioria das vezes a doença progride muito lentamente, e em praticamente metade dos casos as duas mãos são afetadas ao mesmo tempo. 

Como tratar a contratura de Dupuytren

O tratamento pode ser feito com:

1. Fisioterapia

O tratamento para a contratura de Dupuytren é feito com fisioterapia, onde pode-se utilizar recursos anti-inflamatórios como laser ou ultra-som, por exemplo. Além disso é parte fundamental do tratamento a mobilização articular e a quebra de depósitos de colágeno tipo III na fáscia, seja através de massagens ou com o uso de aparelhos, como o gancho, usando numa técnica chamada de crochetagem. A terapia manual é capaz de trazer alívio da dor e maior maleabilidade dos tecidos, trazendo maior conforto para o paciente, melhorando sua qualidade de vida. 

2. Cirurgia 

A cirurgia é particularmente indicada quando a contratura é maior que 30º nos dedos e maior que 15º na palma da mão, ou quando os nódulos provocam dor. Em alguns casos a cirurgia não cura a doença, porque ela pode voltar a surgir anos mais tarde. Existe 70% de chance da doença voltar quando um dos seguintes fatores está presente: sexo masculino, início da doença antes dos 50 anos, ter as 2 mãos afetadas, ter parentes de 1º grau do norte da Europa e ter também os dedos afetados. No entanto, mesmo assim a cirurgia continua sendo indicada porque pode trazer alívio dos sintomas por tempo prolongado. 

Depois da cirurgia é preciso voltar a fazer fisioterapia, e geralmente é usada uma tala para manter os dedos estendidos, durante 4 meses, que deve ser retirada apenas para a higiene pessoal e para realizar a fisioterapia. Depois desse período, o médico pode voltar a avaliar, e reduzir o uso desta tala de imobilização para usar somente durante o sono, por mais 4 meses. 

3. Injeção de colagenase 

Uma outra forma de tratamento, menos comum, é a aplicação de uma enzima chamada colagenase, derivada da bactéria Clostridium histolyticum, diretamente na fáscia afetada, que também alcança bons resultados.  

Evitar fechar muitas vezes ao dia a mão e os dedos é uma recomendação a ser seguida, se preciso for, recomenda-se uma parada no trabalho ou mudança de setor, se esta for uma das causas do aparecimento ou da piora da deformidade.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar