Radiação ionizante: o que é, efeitos na saúde e o que fazer

março 2022

A radiação ionizante é um tipo de energia de alta velocidade, que pode surgir de forma natural, como a presente no solo, na água e no corpo, mas também pode ser produzida pela indústria, sendo usada em aparelhos de tomografia computadorizada, por exemplo.

Além disso, existem outros tipos de radiação como a energia solar, ou ultravioleta e a radiação não ionizante, que são as ondas emitidas pelos celulares, presentes no rádio, no micro-ondas e no infravermelho.

A exposição a baixos níveis de radiação ionizante acontece todos os dias e geralmente é segura. No entanto, a exposição a altos níveis dessa radiação pode causar queimaduras, diarreia, queda de cabelo e, em casos graves, favorecer o aparecimento de alguns tipos de câncer, como de mama, de pele ou leucemia, podendo até causar o óbito.

Principais efeitos da radiação na saúde

Os efeitos da radiação ionizante na saúde dependem da idade da pessoa, do nível e do tempo de exposição a radiação, conforme explicado a seguir:

A exposição a altos níveis de radiação ionizante, em pouco tempo, provoca a morte de células, levando ao surgimento da síndrome aguda de radiação, uma doença que causa sintomas, como:

  • Náuseas;
  • Infertilidade;
  • Fraqueza;
  • Perda de cabelo;
  • Queimaduras na pele;
  • Diarreia;
  • Desidratação;
  • Danos na medula óssea;
  • Óbito.

Já a exposição a pequenas doses de radiação, durante um longo período, pode provocar alterações no DNA das células, promovendo o surgimento de alguns tipos de câncer, como de esôfago, de estômago, de pulmão, de pele, de cérebro e leucemia.

Além disso, crianças expostas à radiação podem desenvolver câncer de mama, de tireoide, de cérebro e leucemia durante a fase adulta. Quando a gestante é exposta à radiação, o bebê pode apresentar atraso no crescimento, alteração na função cerebral e câncer. Conheça outros riscos da radiação na gravidez.

Como diminuir os efeitos da radiação

Para diminuir os efeitos da exposição a radiação, é importante fazer a descontaminação, que é a eliminação do material radioativo. 

A descontaminação pode ser feita de 2 formas:

1. Descontaminação externa

A descontaminação externa é indicada em casos de contaminação da pele, cabelo ou roupas por materiais radioativos e deve ser feita imediatamente após a exposição. Para isso, é importante retirar a roupa do corpo com cuidado e colocar em um saco ou outro recipiente com lacre, deixando em um local reservado.

Além disso, é recomendado também tomar banho, sem arranhar a pele, com bastante água e sabão, lavando os cabelos só com sabão ou shampoo, porque o condicionador faz com que o material radioativo se fixe ao cabelo. Caso não seja possível tomar banho, deve-se lavar as mãos, o rosto e as partes que que estavam desprotegidas em uma pia, com água e sabão.

2. Descontaminação interna

Este tipo de descontaminação é feita para diminuir ou remover materiais radioativos que foram absorvidos através da inalação, ingestão de alimentos ou bebidas, e através de feridas, por exemplo. Neste caso, o tratamento deve ser feito sob a orientação e supervisão de um médico, que pode incluir o uso de medicamentos, como iodeto de potássio e ​​penta-acetato de dietilenotriamina. Saiba para que é indicado o iodeto de potássio.

Como evitar a exposição a radiação

Para diminuir o nível de exposição é importante realizar exames que emitem radiação somente com indicação médica. Contudo, muitos procedimentos podem ser feitos com colete de chumbo para proteger as partes do corpo que não serão avaliadas.

Além disso, é importante que a mulher sempre comunique ao médico se está grávida ou se existe a suspeita de gravidez.

No caso de profissionais que ficam muito tempo expostos a este tipo de radiação, como funcionários que trabalham no setor de radioterapia, laboratórios ou em usinas nucleares, devem existir outros cuidados como evitar comer, beber e fumar nos locais de trabalho; lavar as mãos regularmente; e usar os equipamentos de proteção individual sempre que recomendados, como colete de chumbo, por exemplo.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em março de 2022.

Bibliografia

  • CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Radiation and Your Health. Disponível em: <https://www.cdc.gov/nceh/radiation/>. Acesso em 10 mar 2022
  • FIOCRUZ. Radiação. Disponível em: <http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/lab_virtual/radiacao.html#Tipos%20de%20Radia%C3%A7%C3%A3o>. Acesso em 10 mar 2022
Mostrar bibliografia completa
  • INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER. Radiações. Disponível em: <https://www.inca.gov.br/exposicao-no-trabalho-e-no-ambiente/radiacoes>. Acesso em 06 nov 2019
  • COMITÊ CIENTÍFICO DAS NAÇÕES UNIDAS. Radiação: efeitos e fontes. 2016. Disponível em: <https://wedocs.unep.org/bitstream/handle/20.500.11822/7790/-Radiation_Effects_and_sources-2016Radiation_-_Effects_and_Sources_PT.pdg.pdf.pdf?sequence=13&isAllowed=y>. Acesso em 06 nov 2019
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.