Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como é feito o Diagnóstico da Dengue

O diagnóstico para a dengue é feito baseado nos sintomas apresentados pela pessoa, além de exames laboratoriais, como o hemograma, isolamento do vírus e exames bioquímicos, por exemplo. A partir da realização dos exames, o médico pode verificar qual o tipo de vírus e, assim, indicar o tratamento mais adequado para a pessoa. Assim, caso surja febre acompanhada de dois ou mais sintomas dos referidos anteriormente é recomendado ir ao pronto-socorro para que sejam feitos exames diagnósticos e, assim, inciado o tratamento.

A dengue é uma doença causada pela picada do mosquito Aedes aegypti infectado, que é mais comum de aparecer no verão e em regiões mais úmidas devido à facilidade de desenvolvimento do mosquito da dengue. Veja como identificar o mosquito da dengue.

Como é feito o Diagnóstico da Dengue

Como é feito o diagnóstico

1. Exame físico

O exame físico consiste na avaliação pelo médico dos sintomas descritos pelo paciente, sendo indicativo de dengue clássica:

  • Dor de cabeça intensa;
  • Dor no fundo dos olhos;
  • Dificuldade para movimentar as articulações;
  • Dor muscular em todo o corpo;
  • Tonturas, náuseas e vômitos;
  • Pintinhas vermelhas pelo corpo com ou sem coceira.

Já no caso da dengue hemorrágica, os sintomas também podem incluir sangramentos excessivos que geralmente se manifestam como manchas vermelhas na pele, hematomas e sangramentos frequentes do nariz ou gengivas por exemplo.

Os sintomas surgem normalmente 4 a 7 dias após a picada do mosquito infectado pelo vírus e tem início com febre acima de 38ºC, mas que depois de algumas horas é acompanhada por outros sintomas. Por isso, na suspeita de sangue, é importante buscar ajuda médica para que sejam feitos exames mais específicos para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento rapidamente, uma vez que em casos mais graves o vírus da dengue pode afetar o fígado e o coração. Saiba quais são as complicações da dengue.

2. Prova do laço

A prova do laço é um tipo de exame rápido que verifica a fragilidade dos vasos sanguíneos e tendência a sangramento, sendo muitas vezes realizado em caso de suspeita de dengue clássica ou hemorrágica. Esse exame consiste em interromper o fluxo sanguíneo no braço e observar o aparecimento de pequenos pontos vermelhos, havendo mais risco de sangramentos quanto maior a quantidade de pontos vermelhos observados.

Apesar de fazer parte dos exames indicados pela Organização Mundial de Saúde para diagnóstico da dengue, a prova do laço pode fornecer resultados falsos quando a pessoa está fazendo uso de medicamentos como Aspirina ou Corticoides ou se encontra na fase pré ou pós menopausa, por exemplo. Entenda como é feita a prova do laço.

3. Teste rápido para diagnosticar dengue

O teste rápido para identificar dengue está sendo cada vez mais utilizado para fazer o diagnóstico de possíveis casos de infecção pelo vírus, pois demora menos de 20 minutos para identificar se o vírus está presente no organismo e há quanto tempo devido a detecção de anticorpos, o IgG e o IgM. Dessa forma, é possível começar o tratamento mais rapidamente.

Porém, o teste rápido também não identifica a presença de outras doenças transmitidas pelo mosquito da Dengue, como Zika ou Chikungunya, e, por isso, o médico pode pedir um exame de sangue normal para identificar se também se está infectado por esses vírus. O teste rápido é gratuito e pode ser feito nos posto de saúde do Brasil por qualquer pessoa e em qualquer momento, pois não é necessário fazer jejum.

Como é feito o Diagnóstico da Dengue

4. Isolamento do vírus

Esse exame tem como objetivo identificar o vírus na corrente sanguínea e estabelecer qual o sorotipo, permitindo o diagnóstico diferencial para outras doenças causadas pela picada do mesmo mosquito e que cursam com sintomas semelhantes, além de permitir que o médico inicie um tratamento mais específico.

O isolamento é feito por meio da análise de uma amostra de sangue, que deve ser coletada assim que surgirem os primeiros sintomas. Essa amostra de sangue é enviada para o laboratório e, por meio de técnicas de diagnóstico molecular, como a PCR, por exemplo, é possível identificar a presença do vírus da dengue no sangue.

5. Testes sorológicos

O teste sorológico tem como objetivo diagnosticar a doença por meio da concentração de imunoglobulinas IgM e IgG no sangue, que são proteínas que têm sua concentração alterada em casos de infecção. A concentração do IgM aumenta logo que há o contato da pessoa com o vírus, enquanto que o IgG aumenta depois, mas ainda na fase aguda da doença, e permanece em quantidades elevadas no sangue, sendo, portanto, um marcador da doença, já que é específico para cada tipo de infecção. Saiba mais sobre o IgM e o IgG.

Os testes sorológicos normalmente são solicitados como forma de complementar o exame de isolamento do vírus e o sangue deve ser coletado cerca de 6 dias após o início dos sintomas, pois assim é possível verificar de forma mais correta as concentrações das imunoglobulinas.

6. Exames de sangue

O hemograma e o coagulograma também são exames solicitados pelo médico para diagnóstico da dengue, principalmente da dengue hemorrágica. No hemograma normalmente são verificadas quantidades variáveis de leucócitos, podendo haver leucocitose, que o aumento da quantidade de leucócitos, ou leucopenia, que corresponde à diminuição do número de leucócitos no sangue.

Além disso, normalmente é observado o aumento do número de linfócitos (linfocitose) com a presença de linfócitos atípicos, além de trombocitopenia, que é quando as plaquetas encontram-se abaixo de 100000 /mm³, quando o valor de referência é entre 150000 e 450000 /mm³. Conheça os valores de referência do hemograma.

O coagulograma, que é o exame que verifica a capacidade de coagulação do sangue, normalmente é solicitado em caso de suspeita de dengue hemorrágica e pode ser observada aumento do tempo de protrombina, tromboplastina parcial e trombina, além da diminuição de fibrinogênio, protrombina, fator VIII e fator XII, indicando que a hemostasia não está acontecendo conforme deveria, confirmando o diagnóstico de dengue hemorrágica.

7. Exames bioquímicos

Os principais exames bioquímicos solicitados são a dosagem de albumina e das enzimas hepáticas TGO e TGP, indicando o grau de comprometimento do fígado e sendo indicativo de estado mais avançado da doença quando esses parâmetros.

Normalmente quando a dengue já se encontra em um estágio mais avançado é possível observar diminuição da concentração de albumina no sangue e presença de albumina na urina, além do aumento das concentrações de TGO e TGP no sangue, indicando dano hepático.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem