Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é o Exame Colangiografia e como é feito

A colangiografia  é um exame que serve para avaliar as vias biliares, e que permite visualizar o trajeto da bile do fígado até ao duodeno, o que é útil para o diagnóstico de alguma obstrução nos ductos biliares, como pode acontecer em caso de tumor, cálculo ou outro corpo estranho nestas regiões. Além disso, este exame também ajuda a avaliar outras lesões, estenoses ou dilatação nesses ductos.

O que é o Exame Colangiografia e como é feito

Tipos e como são feitas

Existem vários tipos de colangiografias que podem ser solicitadas de acordo com a suspeita do médico:

1. Colangiografia endovenosa

Este método consiste em administrar um contraste na corrente sanguínea, que depois será eliminado pela bile. Depois disto, são obtidas imagens de 30 em 30 minutos, o que vai permitir estudar os ductos biliares. Esta técnica está indicada para quando a vesícula biliar não pode ser observada num colecistograma oral, em pessoas que a tenham previamente retirado ou que não possam usar o contraste.

2. Colangiografia endoscópica

Esta técnica é realizada mediante a introdução de uma sonda no aparelho de endoscopia, que é introduzido desde a boca até ao duodeno. A sonda é introduzida na Ampola de Vater, por onde é administrado o produto de contraste e de seguida é feito um raio-X ao local do contraste. 

Para realizar este método, deve-se fazer um jejum de cerca de 6 horas e é administrado um sedativo para evitar dor e desconforto.

3. Colangiografia intra-operatória

Neste método, o exame é feito durante a cirurgia de remoção da vesícula biliar, chamada de colecistectomia, em que é administrado um produto de contraste e realizados vários raios-X. 

4. Colangiografia por ressonância magnética

Esta técnica é realizada após a cirurgia de remoção da vesícula, tendo como objetivo avaliar os ductos biliares depois desta remoção, de forma a prevenir complicações que podem ser provocadas por cálculos residuais não detectados durante a cirurgia.

No decorrer desta cirurgia, é colocado no canal biliar principal um dreno de Kehr, para que um tempo mais tarde seja injetado o contraste que vai permitir a avaliação da árvore biliar depois da cirurgia de remoção da vesícula e retirar os cálculos através de um cateter especial. As imagens deste exame são obtidas por meio de ressonância magnética.

Quando este exame não deve ser realizado

Este exame não deve ser realizado por pessoas com hipersensibilidade ao contraste, infecções do sistema biliar, que tenham níveis elevados de creatina ou de ureia.

Efeitos colaterais

Embora não seja muito frequente, os efeitos colaterais que podem ocorrer devido à execução deste exame são danos nos ductos biliares, pancreatite, hemorragias internas e infecções.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem