Coceira no ouvido: 6 principais causas (e o que fazer)

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
julho 2022

A coceira no ouvido pode acontecer devido a várias causas que normalmente são fáceis de resolver, como ressecamento do canal auditivo devido à diminuição da quantidade de cera, uso de aparelhos auditivos ou uso frequente de objetos no canal auditivo, como cotonete ou grampos, por exemplo.

No entanto, em alguns casos, a coceira no ouvido pode ser sinal de situações mais graves como otite externa, psoríase e dermatite, por exemplo, que devem ser avaliadas pelo médico para que o tratamento mais adequado seja iniciado.

O tratamento para coceira no ouvido depende da causa, podendo ser recomendado pelo médico o uso de produtos que hidratem o local e acalmem a irritação, ou fazer uso de medicamentos como corticoides, anti-inflamatórios ou antibióticos, por exemplo.

As principais causas de coceira no ouvido são:

1. Diminuição da quantidade de cera

A diminuição da quantidade de cera no canal auditivo pode levar ao ressecamento da região, resultando em coceira. Isso porque a cera de ouvido possui propriedades lubrificantes, de forma que quando está em menores quantidades, pode deixar a pele do local mais ressecada, tendo como consequência a descamação local e a coceira.

O que fazer: na maioria dos casos, a diminuição da quantidade de cera no ouvido é resultado da limpeza excessiva com cotonete, o que além de remover toda a camada de cera pode aumentar o risco de lesões no ouvido. Assim, é indicado que a limpeza do ouvido seja feita usando a pontinha da toalha ou um algodão molhado, por exemplo. Veja como limpar o ouvido corretamente.

2. Dermatite do canal auditivo

A dermatite é uma reação alérgica da pele que gera sintomas como vermelhidão, coceira e descamação, podendo ser causada pelo contato com alguma substância ou objeto que cause alergia.

O que fazer: é importante identificar a substância ou objeto relacionado com a reação alérgica e, assim, evitar o seu contato. Além disso, caso sejam identificados outros sintomas além da coceira, como vermelhidão, aumento da temperatura local, descamação e/ ou inchaço, é importante que o otorrino seja consultado para que seja indicado o melhor tratamento, que pode envolver o uso de anti-histamínicos ou corticoides, de acordo com a gravidade da dermatite.

3. Otite externa

A otite externa é a inflamação da parte mais externa do canal auditivo que pode acontecer devido à proliferação de microrganismos, presença de pequenos objetos no local, uso frequente de cotonetes ou de fone de ouvido, por exemplo. Assim, como consequência da inflamação, é possível notar alguns sintomas, como dor, coceira, febre, vermelhidão, inchaço e secreções esbranquiçadas ou amareladas. Conheça mais sobre a otite externa.

O que fazer: nesse caso, é recomendado que o médico seja consultado para que seja iniciado o melhor tratamento de acordo com a causa da otite externa, podendo ser recomendado o uso de medicamentos para promover a limpeza do ouvido, anti-inflamatórios ou antibióticos.

4. Uso de aparelho auditivo

O uso de aparelho auditivo pode levar ao acúmulo de água que fica presa no ouvido, aumentando o risco de inflamação e infecção do local. Além disso, o uso desses aparelhos podem agredir ligeiramente a pele, causar pressão no canal auditivo ou mesmo provocar reações alérgicas.

O que fazer: é importante que o aparelho auditivo seja escolhido sob orientação do médico, pois assim é possível garantir que o aparelho mais adequado para o objetivo é utilizado. Além disso, é importante ter alguns cuidados relacionados ao uso desse tipo de aparelho para evitar a infecção e inflamação do canal auditivo, como retirar sempre ao praticar atividade física ou tomar banho e higienizar regularmente. Confira alguns cuidados que se deve ter ao usar um aparelho auditivo.

5. Uso de objetos no canal auditivo

O uso de objetos que agridam o canal auditivo como cotonetes, grampos, entre outros, podem causar coceira e provocar danos graves no ouvido.

O que fazer: para evitar a coceira causada pelo uso frequente desses objetos, é recomendado evitá-los e serem substituídos por soluções adaptadas para o efeito. Caso seja notada alguma lesão, é indicado consultar o otorrinolaringologista.

6. Psoríase

A psoríase é uma doença de pele crônica caracterizada pelo aparecimento de manchas vermelhas e ressecadas que podem coçar bastante e causar dor. Na maioria dos casos, as lesões da psoríase aparecem nos braços, mãos, pernas e couro cabeludo, porém é possível também que surjam nas orelhas e ouvidos, levando ao desenvolvimento dos mesmos sintomas, apesar de menos frequente.

O que fazer: nesse caso, é recomendado que o dermatologista seja consultado para que seja iniciado o tratamento mais adequado para aliviar os sintomas relacionados com as lesões e prevenir novas crises de sintomas, o que pode envolver o uso de medicamentos em forma de pomadas ou comprimidos e/ ou a realização de fototerapia, por exemplo. Veja mais detalhes do tratamento para psoríase.

Quando ir ao médico

A maior parte dos problemas que causam coceira no ouvido podem ser resolvidos sem tratamento específico, no entanto, se ocorrerem sintomas como sangramento, liberação de líquido, presença de pus, perda da audição ou diminuição da capacidade auditiva, deve-se ir ao médico de forma a perceber o que está na origem do problema.

O médico deve avaliar os sinais e os sintomas associados à coceira e examinar o ouvido de forma a perceber se há produção excessiva ou insuficiente de cera, eczema, psoríase ou alguma infecção.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em julho de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em novembro de 2019.

Bibliografia

  • SIH, TANIA. Otite externa. Disponível em: <https://cdn.gn1.link/iapo/manuals/VI_Manual_br_Otite%20Externa%20-%20Tania%20Sih.pdf>. Acesso em 02 mar 2022
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE. Otite externa. 2014. Disponível em: <http://www.sbmfc.org.br/wp-content/uploads/media/NHG%2036%20Otite%20externa.pdf>. Acesso em 02 mar 2022
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.