Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Para que serve o Cloridrato de Metoclopramida (Plasil)

A metoclopramida, também comercializada com o nome Plasil, é um remédio indicado para o alívio de enjoos e de vômitos de origem cirúrgica, causados por doenças metabólicas e infecciosas, ou secundárias a medicamentos. Além disso, este medicamento também pode ser utilizado para facilitar os procedimentos radiológicos que utilizam o raio-x no trato gastrintestinal. 

A metoclopramida pode ser comprada em farmácias na forma de comprimidos, gotas ou solução injetável, por um preço que pode variar entre 3 e 34 reais, dependendo da forma farmacêutica, dimensão de embalagem e da escolha entre a marca ou o genérico. Este medicamento só pode ser vendido mediante apresentação de receita médica.

Para que serve o Cloridrato de Metoclopramida (Plasil)

Como tomar

A posologia da metoclopramida pode ser:

  • Solução oral: 2 colheres de chá, 3 vezes ao dia, via oral, 10 minutos antes das refeições;
  • Gotas: 53 gotas, 3 vezes ao dia, via oral, 10 minutos antes das refeições;
  • Comprimidos: 1 comprimido de 10 mg, 3 vezes ao dia, via oral, 10 minutos antes das refeições;
  • Solução injetável: 1 ampola a cada 8 horas, via intramuscular ou intravenosa.

Caso se pretenda utilizar a metoclopramida para realizar um exame radiológico do trato gastrointestinal, o profissional de saúde deve administrar 1 a 2 ampolas, via intramuscular ou na veia, 10 minutos antes do início do exame.

Possíveis efeitos colaterais 

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com metoclopramida são sonolência, sintomas extrapiramidais, síndrome parkinsoniana, inquietude, depressão, diarreia, fraqueza e pressão baixa. 

Quem não deve usar

A metoclopramida não deve ser usada em pessoas com hipersensibilidade a qualquer um dos componentes presentes na fórmula e em situações em que a estimulação da motilidade gastrointestinal seja perigosa, como em casos de hemorragia, obstrução mecânica ou perfuração gastrointestinal.

Além disso, também não deve ser usado em pessoas epiléticas, que estejam a tomar medicamentos que possam causar reações extrapiramidais, pessoas com feocromocitoma, com histórico de discinesia tardia induzida por medicamento neurolépticos ou metoclopramida, pessoas com doença de Parkinson ou com histórico de metemoglobinemia.

Este medicamento é também contraindicado para crianças com menos de 1 ano de idade e não é recomendado em pessoas com menos de 18 anos, grávidas ou mulheres que estejam a amamentar, a não ser que seja indicado pelo médico.

Dúvidas comuns

A metoclopramida dá sono?

Um dos efeitos colaterais mais comuns que pode ocorrer com o uso de metoclopramida é sonolência, por isso, é provável que algumas pessoas que tomam o medicamentam sintam sono durante o tratamento.

O que são efeitos extrapiramidais?

Os sintomas extrapiramidais são um conjunto de reações do organismo, como tremores, dificuldade para andar ou para se manter calmo, sensação de inquietude ou alterações nos movimentos, que surgem quando uma área do cérebro responsável pela coordenação dos movimentos, chamada de Sistema Extrapiramidal, é afetada, o que acontecer por efeitos colaterais de remédios, como é o caso da metoclopramida ou ser um sintoma de algumas doenças.

Saiba como identificar estes efeitos colaterais.


Bibliografia

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem