Cisto unilocular: o que é, como identificar e tratamento

fevereiro 2022

O cisto unilocular, também chamado de cisto anecoico do ovário, é um tipo de cisto no ovário que geralmente não causa sintomas, não é grave e é constituído apenas por líquido, não apresentando qualquer compartimento em seu interior.

Esse tipo de cisto é mais comum em mulheres que se encontram na fase pós-menopausa ou que fazem uso de terapia hormonal, no entanto também pode surgir em mulheres em idade reprodutiva, não representando risco para uma futura gestação, por exemplo.

O cisto unilocular não é grave e, por isso, não necessita de tratamento, sendo apenas indicado que a mulher seja acompanhada regularmente pelo ginecologista.

Como identificar o cisto unilocular

O cisto unilocular não leva ao aparecimento de sinais ou sintomas, de forma que na maioria dos casos só é descoberto durante a realização de exames de rotina, como a ultrassonografia transvaginal. Assim, por meio desse exame é possível identificar a presença do cisto, o seu tamanho e as suas características.

Após a identificação do cisto, o médico pode solicitar a dosagem do CA 125, que é um marcador tumoral que está em concentrações mais elevadas no sangue devido à presença de um tumor no ovário, por exemplo. Assim, nos casos em que é verificado o cisto unilocular e níveis normais desse marcador, é considerado que se trata de um cisto benigno, sendo apenas necessário realizar acompanhamento periódico. Conheça mais sobre o CA 125.

Quem tem cisto unilocular pode engravidar?

A presença do cisto unilocular não interfere na fertilidade da mulher, ou seja, é possível engravidar mesmo com a presença do cisto, sem que haja qualquer problema. No entanto, esse tipo de cisto é mais comum em mulheres que estão na pós-menopausa, sendo a fertilidade prejudicada devido às alterações hormonais e não devido à presença do cisto.

Tratamento para cisto unilocular

O tratamento para o cisto unilocular normalmente não é necessário, uma vez que esse cisto é, na maioria das vezes, benigno e pode regredir naturalmente. Assim, normalmente só é recomendado que seja feito acompanhamento pelo ginecologista com o objetivo de identificar possíveis alterações no tamanho e conteúdo do cisto.

Quando o cisto aumenta de tamanho ou passa a apresentar conteúdo sólido em seu interior, pode ser necessária a remoção cirúrgica, já que normalmente essas alterações podem causar sintomas ou podem ser indicativas de malignidade. Assim, de acordo com o tamanho e características do cisto, o médico pode recomendar a remoção do cisto ou do ovário.

As mulheres que apresentam histórico familiar de câncer de ovário ou de mama, possuem mais chance de terem o cisto unilocular com características malignas, sendo recomendado nesses casos a remoção cirúrgica.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • COMISSÃO NACIONAL ESPECIALIZADA EM GINECOLOGIA ONCOLÓGICA DA FEDERAÇÃO BRASILEIRA DAS ASSOCIAÇÕES DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA (FEBRASGO). Massa anexial: diagnóstico e manejo. 2020. Disponível em: <https://www.febrasgo.org.br/images/pec/CNE_pdfs/Position-Statement-FEBRASGO_Massa-anexial_diagnstico-e-manejo-PT.pdf>. Acesso em 04 fev 2022
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.