Cisto pilonidal: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
dezembro 2021

O cisto pilonidal é uma espécie de bolsa que normalmente se desenvolve no cóccix, no final da coluna, logo acima dos glúteos, onde se acumulam pêlos e restos de pele, geralmente do desenvolvimento embrionário.

Muitas vezes, o cisto pode estar presente e não causar qualquer tipo de sintomas, no entanto, em algumas pessoas, principalmente em homens jovens, o cisto pode acabar desenvolvendo uma infecção, que leva ao acúmulo de pus e ao surgimento de sintomas como inchaço na região e dor, especialmente ao sentar.

Embora não seja considerada uma situação grave, um cisto pilonidal infectado deve ser tratado assim que possível, para aliviar os sintomas e evitar o agravamento da infecção. 

Principais sintomas

Os sintomas de cisto pilonidal só aparecem quando existe uma infecção do local, e podem incluir:

  • Dor no cóccix, que tende a piorar ao longo do tempo;
  • Inchaço e vermelhidão na pele;
  • Pequenas fissuras na pele;
  • Saída de pus ou líquido com mau cheiro.

Apesar de ser mais comum de aparecer na região do cóccix, o cisto pilonidal também pode surgir em outras regiões do corpo, como ao redor do umbigo, axilas ou couro cabeludo, mantendo o mesmo tipo de sintomas.

O melhor médico para avaliar um possível caso de cisto pilonidal infectado é um cirurgião com especialidade em coloproctologia, no entanto, o diagnóstico também pode ser feito por um dermatologista ou um clínico geral que depois faça o encaminhamento para o cirurgião, se necessário.

O que causa o cisto pilonidal

O cisto pilonidal pode surgir logo desde o nascimento, quando por algum motivo aconteceu a formação de uma bolsa na região do cóccix, mas também pode surgir devido a um pêlo encravado na região.

No caso do cisto que surge desde o nascimento, normalmente é preenchido por líquido e restos de pele que foram se acumulando durante o desenvolvimento embrionário. Já no caso do cisto que se desenvolve pela presença de um pêlo encravado, acontece pela inflamação da pele.

Os cistos pilonidais ocorrem de forma mais frequente em homens jovens e têm tendência a se repetir. Pessoas que trabalham sentadas por longos períodos de tempo normalmente apresentam um risco maior de desenvolver um cisto pilonidal. 

Como é feito o tratamento

A principal forma de tratamento para o cisto pilonidal é através de um pequeno procedimento de drenagem, em que o conteúdo purulento é removido do interior do cisto através de um pequeno corte na pele. Além disso, pode ser recomendado o uso de antibióticos para eliminar as bactérias do local, evitando que o cisto volte a acumular pus.

A drenagem do cisto é bastante eficaz, no entanto algumas pessoas, mesmo após a drenagem, voltam a ter o cisto pilonidal, sendo recomendado nesses casos a realização de cirurgia. A cirurgia para retirada do cisto pilonidal consiste na sua abertura, raspagem da parede interna, retirada dos pêlos e cauterização da ferida, que geralmente é mantida aberta durante 1 ou 2 meses para cicatrizar melhor.

Durante o tempo de cicatrização, geralmente é indicado fazer um curativo diário no hospital ou no posto de saúde, para evitar que a ferida fique infectada e estimular a cicatrização do local.

Como é feito o curativo do cisto

O curativo do cisto pilonidal deve realizado diariamente por um enfermeiro ou outro profissional de saúde, no hospital ou num posto de saúde.

Geralmente é feita a lavagem da ferida com soro fisiológico e, depois, é colocada uma nova gaze esterilizada para preencher a ferida e proteger o local. Este método estimula uma cicatrização uniforme e interna da fenda, que faz com que, ao longo dos dias, vá fechando lentamente, sem correr o risco de deixar uma bolsa que possa acumular novamente pêlos e restos de pele. Quando a ferida está quase fechada, normalmente deixa de haver necessidade de colocar gaze para proteger.

Cuidados durante o tratamento

Durante o período de recuperação, em que o curativo é realizado diariamente, existem alguns cuidados que ajudam a estimular a cicatrização, evitar uma nova infecção e aliviam os sintomas. Esses cuidados são:

  • Manter o curativo sempre limpo e seco;
  • Usar roupa pouco apertada e confortável;
  • Evitar ficar muito tempo sentado sobre o local do curativo;
  • Não fazer exercício físico muito intenso;
  • Avaliar o local ao redor do curativo para identificar sinais de alarme como vermelhidão intensa, inchaço ou presença de pus.

No caso de o médico ter receitado o uso de algum medicamento para o alívio dos sintomas, é importante seguir todas as orientações em relação à dose e horários.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em dezembro de 2021. Revisão médica por Drª. Aleksana Viana - Dermatologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • NHS. Pilonidal sinus. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/pilonidal-sinus/>. Acesso em 30 nov 2021
  • UVA HEALTH. Pilonidal Cyst. Disponível em: <https://uvahealth.com/services/dermatology/pilonidal-cyst>. Acesso em 30 nov 2021
Mostrar bibliografia completa
  • UNIVERSITY HEALTH SERVICES. Pilonidal Cyst. Disponível em: <https://www.healthyhorns.utexas.edu/HT/HT_pilonidalcyst.html>. Acesso em 30 nov 2021
Revisão médica:
Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
Especialista em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em 2007 com registro profissional no CRM/PE – 16907.