Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Caroço no pescoço: 6 causas e o que fazer

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
janeiro 2023

O caroço no pescoço pode ser causado por uma contratura no pescoço ou inflamação em um gânglio linfático devido à infecção no ouvido, na garganta ou à gripe, além de também poder ser sinal de situações mais graves, como câncer, parotidite infecciosa ou nódulo na tireoide, por exemplo.

O caroço na garganta deve ser avaliado pelo médico principalmente quando não diminui de tamanho ao longo do tempo e quando surgem outros sintomas, como cansaço excessivo, dificuldade para engolir, mal estar geral ou perda de peso sem causa aparente.

É importante que a causa do caroço no pescoço seja identificada para que seja iniciado o tratamento mais adequado de acordo com a causa, podendo ser recomendado repouso, uso de antibióticos, uso de medicamentos anti-inflamatórios ou reguladores da tireoide, ou realização de cirurgia.

Imagem ilustrativa número 3

Principais causas

As principais causas de caroço no pescoço são:

1. Gânglios linfáticos inflamados

Quando os gânglios linfáticos se encontram inflamados, formam ínguas que se manifestam na forma de caroço. Estes caroços, podem surgir na parte de trás do pescoço ou na parte lateral atrás da orelha, dependendo do gânglio que inflama, causando dor e desconforto ao toque.

As ínguas podem ser causadas por infecções ou inflamações como inflamação em um dente, gripe, amigdalite ou otite, desaparecendo após alguns dias, ou ser sinal de linfoma de Hodgkin, principalmente quando a íngua não diminui de tamanho e aparecem outros sintomas.

O que fazer: É recomendado repouso e hidratação, além de identificar e eliminar a causa que gerou a íngua, já que não é necessário tomar nenhum remédio específico para tratá-la. Porém, o médico pode recomendar remédios analgésicos ou anti-inflamatórios, para aliviar a dor ou sensibilidade no local. Além disso, pode-se tomar um chá de eucalipto e usar compressas de argila, pois eles ajudam a reduzir a inflamação e fortalecer as defesas do organismo.

2. Nódulo na tireoide

O nódulo na tireoide é caracterizado pelo aparecimento de um caroço na garganta, na frente do pescoço, o que deve ser avaliado pelo endocrinologista. Geralmente os nódulos na tireoide não causam sintomas, porém, em alguns casos, podem causar dor de garganta, inchaço no pescoço ou dificuldade para respirar e engolir. 

Quando estes nódulos surgem, é necessário consultar um endocrinologista para que os sinais e sintomas da pessoa possam ser avaliados, além de ser indicada a realização de exames de diagnóstico como uma biópsia, que identificam se o nódulo é benigno ou se existe risco de câncer. Saiba como identificar o nódulo da tireoide.

O que fazer: Se o nódulo for benigno e não houverem sintomas ou alterações dos hormônios dessa glândula é recomendado uma monitorização, por meio da realização de ultrassonografias e exames de sangue anuais. Por outro lado, apresentando sintomas, alterações nos níveis hormonais ou se existir risco de câncer, o médico irá recomendar o tratamento mais adequado, que pode incluir remédios como levotiroxina ou iodo radioativo, ou ser necessária a realização de cirurgia para remoção do nódulo.

3. Contratura no pescoço

As contraturas no pescoço podem gerar um caroço doloroso na parte de trás do pescoço e surgem quando o músculo contrai de forma incorreta e não consegue voltar ao seu estado normal quando em repouso. Geralmente estes tipos de caroços são duros e vêm acompanhados de dor e desconforto na região afetada, existindo também uma limitação nos movimentos. Veja como identificar uma contratura muscular.

O que fazer: Para tratar uma contratura muscular na região do pescoço, é recomendado tomar um banho de água bem quente, aplicar compressas quentes na região dolorida, massagear a região com pomadas anti-inflamatórias, como Cataflam, e fazer alongamentos para a musculatura do pescoço. Além disso, a utilização de medicamentos relaxantes musculares, como o Miosan, pode ser indicada pelo médico para o alívio do desconforto da contratura.

Quando as contraturas não passam, pioram ou quando provocam dor persistente por mais de 7 dias, é recomendado consultar um médico ou fisioterapeuta para avaliar outras formas de tratar o problema.

4. Cisto sebáceo

Outra possível causa que pode levar ao surgimento de um caroço a garganta são os cistos sebáceos, que se formam sobre a pele devido ao acúmulo de sebo, que é uma substância oleosa produzida na pele para a lubrificação e proteção dos pelos. 

Estes tipos de caroços ou cistos são pequenos, moles e não causam dor, porém quando estão inflamados causam vermelhidão, dor e aumento da temperatura na região onde surgem. 

O que fazer: O tratamento destes caroços necessita de avaliação por um dermatologista, que poderá indicar a realização de uma pequena cirurgia para remover o cisto. Saiba mais sobre o tratamento dos cistos sebáceos.

5. Câncer

Nos casos mais graves, o surgimento de um nódulo no pescoço pode indicar a presença de um câncer e, nestes casos, o caroço vem acompanhado de outros sintomas, como rouquidão, dificuldade para engolir, sensação de bola na garganta, engasgamento frequente, perda de peso sem causa aparente e mal estar geral. Os tumores que surgem no pescoço podem ser de estruturas locais, como músculos, linfonodos, pele, ou de órgãos que estão nessa região, como a tireoide, ou podem ser uma metástase.

O que fazer: Na presença de um nódulo associado aos sintomas citados é recomendado consultar o médico logo que possível, para que se possa fazer o diagnostico e indicar o melhor tratamento.

6. Paratireoide infecciosa

A parotidite infecciosa, mais conhecida como caxumba ou papeira, surge como um caroço entre a orelha e o queixo devido à inflamação das glândulas parótidas, que são glândulas produtoras de saliva, quando são afetadas pelo vírus da família Paramyxoviridae. Além do caroço no pescoço, a pessoa pode ter febre e dor nessa região.

O que fazer: O tratamento da caxumba é feito de forma a aliviar os sintomas da doença e, por isso, o clínico geral ou pediatra pode indicar o uso de analgésicos, como o paracetamol, para reduzir o desconforto, além de repouso, ingestão de água e alimentação pastosa que também são importantes para melhorar os sintomas até que o organismo seja capaz de eliminar o vírus da caxumba. Veja os detalhes do tratamento para caxumba.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em janeiro de 2023. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em março de 2020.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.