Cardo-santo: para que serve e como fazer o chá

  1. Para que serve
  2. Como fazer o chá
  3. Efeitos colaterais
  4. Contra-indicações

O cardo-santo é uma planta medicinal da espécie Carduus benedictus ou Cnicus benedictus, rico em lactonas sesquiterpênicas, especialmente a cnicina, além de flavonóides, taninos e fitoesteróis, com propriedades anti-inflamatórias e digestivas, sendo por isso popularmente usado para auxiliar no tratamento de problemas digestivos e hepáticos.

O cardo-santo não deve ser confundido com o cardo-mariano, cujo nome científico é Silybum marianum, e que possui propriedades diferentes. Essas plantas podem ser diferenciadas pelo seu aspecto, uma vez que o cardo-santo possui flores amareladas com espinhos nas margens, semelhante a um cacto, enquanto o cardo-mariano, possui flores grandes rosadas e folhas espinhadas. 

O cardo-santo, também conhecido como cardo bento ou cardo bendito, pode ser comprado em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e em algumas feiras livres, e deve ser usado com orientação de um médico ou fitoterapeuta.

Para que serve

O cardo-santo possui propriedades antisséptica, cicatrizante, adstringente, digestiva, descongestionante, estimulante, tônica, expectorante, diurética, anti-inflamatória, antioxidante e antimicrobiana, sendo popularmente indicado para:

  • Má digestão;
  • Dor ou desconforto no estômago;
  • Excesso de gases estomacais e intestinais;
  • Problemas do fígado;
  • Diarréia;
  • Cólicas menstruais;
  • Perda do apetite ou anorexia;
  • Feridas ou úlceras na pele;
  • Furúnculo;
  • Gripes e resfriados;
  • Tosse;
  • Inchaço;
  • Infecções bacterianas.

Além disso, acredita-se que o cardo-santo possa ser usado para ajudar a aumentar a produção de leite materno. No entanto, não existe comprovação para esse uso, o que é diferente do cardo-mariano, que tem estudos que comprovam que aumenta a produção de leite materno. Saiba como usar o cardo-mariano para aumentar o leite materno

Embora tenha muitos benefícios, o cardo-santo não deve substituir o tratamento médico com remédios e nem ser utilizado sem que tenha sido orientado pelo médico ou fitoterapeuta.

Como fazer o chá de cardo-santo 

As partes utilizadas do cardo-santo são os caules, folhas e flores, podendo ser utilizada para fazer chás ou compressas, por exemplo.

Ingredientes

  • 2 colheres (de sopa) de folhas e flores secas de cardo-santo.
  • 1 litro de água.

Modo de preparo

Colocar a água em um recipiente e ferver. Em seguida, desligar o fogo e adicionar 2 colheres (de sopa) de folhas e flores secas na água fervida. Tampar e deixar repousar por 10 a 15 minutos. Em seguida, coar, esperar amornar e 2 vezes por dia após as refeições.

Como a planta possui gosto bastante amargo, devido a presença de cnicina na sua composição, pode-se adoçar o chá com um pouco de mel.

O chá de cardo-santo também pode ser usado para fazer compressas para aplicar sobre a pele, nos casos de feridas, hemorroidas ou infecções, por exemplo. Para isso, deve-se molhar uma gaze com o chá e colocar sobre a área da pele que deseja tratar.

Possíveis efeitos colaterais

O cardo-santo é considerado seguro quando utilizado nas quantidades recomendadas, no entanto, quando consumido mais do que 5 gramas por dia, pode causar náuseas, vômitos ou dor de estômago.

Além disso, quando aplicado sobre a pele pode causar irritação na pele.

Quem não deve usar

O cardo-santo não deve ser usado por crianças, mulheres grávidas ou por pessoas que tenham doença de Chron, colite ulcerativa ou alergia a essa planta.

Além disso, o cardo-santo deve ser usado com precaução por pessoas em tratamento com remédios diuréticos, como furosemida, por exemplo, ou que estejam utilizando remédios inibidores da bomba de próton, como omeprazol ou lanzoprazol, ou outros remédios antiácidos.

Embora o cardo-santo seja popularmente utilizado para estimular a produção de leite, seu uso não é recomendado durante a amamentação, uma vez que não existem comprovação desse benefício.

Além disso, não se sabe se o cardo-santo passa para o bebê através do leite, não sendo conhecidos os efeitos que podem causar no bebê. Por isso, seu uso na amamentação deve ser feito somente se recomendado pelo médico.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • DRUGS AND LACTATION DATABASE (LACTMED) [INTERNET]. BETHESDA (MD): NATIONAL LIBRARY OF MEDICINE (US). Blessed Thistle. 2022. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30000834/>. Acesso em 21 out 2022
  • SZABÓ, I.; et al. The Antimicrobial Activity of the Cnicus benedictus L. Extracts. Analele Universităţii din Oradea, Fascicula Biologie. 126-128, 2009
Mostrar bibliografia completa
  • AHMADIMOGHADDAM, D.; et al. Antinociceptive activity of Cnicus benedictus L. leaf extract: a mechanistic evaluation. Res Pharm Sci. 15. 5; 463-472, 2020
  • AL-SNAFI, A. E. The Constituents and Pharmacology of Cnicus Benedictus– A Review. The Parmaceutical and Chemical Journal. 3. 2; 129-135, 2017
  • POSADZKI, P.; et al. Adverse effects of herbal medicines: an overview of systematic reviews. Clin Med (Lond). 13. 1; 7-12, 2013
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.