Chá de cavalinha: para que serve e como fazer

A cavalinha é uma planta medicinal, da espécie Equisetum arvense, muito utilizada como remédio caseiro para combater a retenção de líquidos, ajudar no emagrecimento ou fortalecer os ossos. Além disso, devido à sua ação anti-inflamatória e diurética, a cavalinha pode ser usada para auxiliar o tratamento de pedra nos rins e infecções urinárias, por exemplo.

O chá de cavalinha, preparado com o talo seco, é a forma mais utilizada para consumir a planta, que pode ser encontrada em lojas de produtos naturais e algumas farmácias de manipulação. Outra forma de usar a cavalinha é na forma de cápsulas.

Embora tenha diversos benefícios para a saúde, o uso da cavalinha também pode causar vários efeitos colaterais, principalmente quando a planta é consumida em quantidade excessiva ou por mais de uma semana, incluindo dor de cabeça forte ou pancreatite, por exemplo. Por isso, seu uso deve ser sempre feito com orientação de um médico ou outro profissional de saúde com experiência no uso de plantas medicinais.

Chá de cavalinha: para que serve e como fazer

Para que serve

A cavalinha possui ação diurética, anti-inflamatória, antioxidante, antimicrobiana, cicatrizante e remineralizante, podendo ser utilizada para diversos fins.

As principais indicações da cavalinha são:

1. Combater a retenção de líquidos

A cavalinha possui efeito diurético devido às grandes quantidades de flavonóides, como quercetina e apigenina, compostos fenólicos, como os ácidos cafeico e cinâmico, e sais minerais, que agem aumentando a produção e a eliminação de líquidos através da urina, combatendo o inchaço e a retenção de líquidos. 

Um estudo realizado mostra que tomar uma dose diária de 900 mg de extrato de seco de cavalinha em forma de cápsula tem um efeito diurético mais potente do que um remédio diurético de farmácia, como a hidroclorotiazida, por exemplo. No entanto, ainda são necessários mais estudos para comprovar esse efeito. [1]

2. Ajudar a emagrecer

A cavalinha ajuda a emagrecer pois possui na sua composição substâncias antioxidantes anti-inflamatórias, desintoxicantes e diuréticas, como os flavonóides e o ácido cafeico, que aumentam a queima de gordura localizada e ajudam a eliminar líquidos que podem causar excesso de peso.

Além disso, o ácido cafeico da cavalinha, tem efeito termogênico, o que ajuda a aumentar o metabolismo e a queima de gordura, contribuindo para o emagrecimento.

3. Combater a infecção urinária

Por ter ação diurética, a cavalinha pode ser útil no combate à infecção urinária e outros problemas urinários e renais como cistite ou nefrite, por exemplo. Isto porque ao estimular a eliminação da urina, esta planta estimula também a eliminação de bactérias do trato urinário, que causam essas doenças.

Chá de cavalinha: para que serve e como fazer

4. Diminuir a pressão arterial

A cavalinha ajuda a diminuir a pressão arterial devido à sua ação diurética, que aumenta a eliminação de líquidos do corpo. Isso faz com que o volume de líquidos nos vasos sanguíneos diminua, reduzindo também o esforço que o coração precisa fazer para bombear o sangue e, consequentemente, diminuindo a pressão arterial. 

5. Manter a saúde dos ossos

A cavalinha é rica em minerais como cálcio, fósforo e magnésio que são minerais fundamentais para fortalecer, aumentar a resistência e manter a saúde dos ossos.

Além disso, alguns estudos feitos em laboratório mostram que a cavalinha pode inibir a degradação dos ossos e estimular a formação e a regeneração de células ósseas, prevenindo o desenvolvimento de doenças como a osteoporose, osteopenia ou raquitismo, por exemplo. 

Outros estudos mostram que, devido ao alto teor de sílica na sua composição, a cavalinha ajuda a melhorar a formação, a densidade e a consistência dos ossos e das cartilagens, além de aumentar a síntese de colágeno e melhorar a absorção de cálcio pelos ossos.

Entretanto, ainda são necessários estudos em humanos que comprovem esses benefícios. 

6. Melhorar o aspecto das unhas e da pele

A sílica presente na cavalinha reduz a fragilidade e a formação de ondulações nas unhas, além de melhorar a hidratação, endurecer e fortalecer, ajudando a melhorar o aspecto e o crescimento das unhas.

Além disso, a cavalinha tem ação adstringente, anti-inflamatória e antioxidante, contribuindo para melhorar a qualidade da pele, pois combate os radicais livres que causam danos nas células e podem causar envelhecimento precoce, além de reduzir a oleosidade da pele combatendo e prevenindo o aparecimento de acne.

7. Eliminar fungos e bactérias

Alguns estudos mostram que a cavalinha possui óleos essenciais, como o timol e cineol, que são capazes de eliminar fungos, principalmente os fungos de pele, como a Candida sp. e bactérias como:

  • Escherichia coli que causa infecção urinária;
  • Staphylococcus aureus que causam infecções pulmonares, de pele e ósseas.

Entretanto, ainda são necessários estudos em humanos que comprovem esse benefício.

Chá de cavalinha: para que serve e como fazer

Como fazer o chá de cavalinha

O chá de cavalinha é a principal forma de consumo desta planta, feito com o talo seco, podendo ser utilizado como diurético para auxiliar no tratamento de infecções urinárias, ajudar a emagrecer ou combater a pressão alta.

Ingredientes

  • 1 colher de sopa do talo seco da cavalinha;
  • 1 xícara de água fervente.

Modo de preparo

Colocar o talo seco da cavalinha na xícara de água fervente e deixar repousar por cerca de 5 a 10 minutos. Coar e beber até 2 xícaras por dia, de preferência após as principais refeições do dia.

Este chá não deve ser utilizado por mais de 1 semana seguida, para evitar desidratação e eliminação de alguns minerais essenciais para o corpo.

Outras formas de usar a cavalinha

Além do chá, a cavalinha pode ser encontrada na forma de cápsulas de 100 mg, consumidas após o café da manhã e almoço, devendo sempre ser utilizadas com orientação médica ou de um profissional de saúde com experiência em plantas medicinais.

Outra forma de usar a cavalinha é fazer banho de assento que pode auxiliar no tratamento de infecções urinárias. Para fazer o banho de assento basta colocar 3 punhados de talos secos na água do banho e permanecer mergulhado na água por 5 a 10 minutos. Confira outras opções de banho de assento para infecção urinária.

Possíveis efeitos colaterais

A cavalinha é segura para a maioria dos adultos quando consumida por curto período de tempo, de até uma semana, ou conforme orientação de um médico, nutricionista ou fitoterapeuta.

No entanto, quando consumida em grande quantidade, e por muito tempo, pode causar perda de minerais importantes para o corpo, que pode resultar em diarreia, dor de cabeça forte, desidratação, perda de peso, pancreatite, alteração da frequência cardíaca e fraqueza muscular, por exemplo. 

Quem não deve usar

O consumo da cavalinha não é recomendado para grávidas e lactantes, bem como pessoas que possuem insuficiência cardíaca, pressão baixa e doenças renais, por exemplo, devido à sua capacidade de diminuir a pressão arterial e de possuir forte efeito diurético.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • INFINITY PHARMA. Cavalinha - fitoterápico. 2017. Disponível em: <https://infinitypharma.com.br/uploads/insumos/pdf/c/cavalinha.pdf>. Acesso em 02 Abr 2019
  • HERBARIUM. Cavalinha: Equisetum arvense L., Equisetaceae. Disponível em: <http://www.saudedireta.com.br/catinc/drugs/bulas/cavalinha.pdf>. Acesso em 02 Abr 2019
  • FINTELMANN, Volker.; WEISS, Rudolf F. Manual de fitoterapia. 11ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. 255-257.
  • MOURA, Maria F.. Segredos e virtudes das plantas que curam. 1.ed. Lisboa: Seleções, 2011. 72-73.
  • AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Memento Fitoterápico. 2016. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/documents/33832/2909630/Memento+Fitoterapico/a80ec477-bb36-4ae0-b1d2-e2461217e06b>. Acesso em 13 Nov 2019
  • FLORIEN. Cavalinha. Disponível em: <http://florien.com.br/wp-content/uploads/2016/06/CAVALINHA-1.pdf>. Acesso em 02 Abr 2019
  • PALLAG, Annamaria; et al. Equisetum arvense L. Extract Induces Antibacterial Activity and Modulates Oxidative Stress, Inflammation, and Apoptosis in Endothelial Vascular Cells Exposed to Hyperosmotic Stress. Oxid Med Cell Longev. 2018. Feb 14; 3060525, 2018
  • MASLOWSKI, Marcin; et al. Horsetail ( Equisetum Arvense) as a Functional Filler for Natural Rubber Biocomposites. Materials (Basel). 13. 11; 2526, 2020
  • GRUNDEMANN, Carsten; et al. Equisetum arvense (common horsetail) modulates the function of inflammatory immunocompetent cells. BMC Complement Altern Med. 14. 283; 1-10, 2014
  • WRIGHT, C. I.; et al. Herbal medicines as diuretics: a review of the scientific evidence. J Ethnopharmacol. 114. 1; 1-31, 2007
  • CARNEIRO, Danilo Maciel Carneiro; et al. Randomized, Double-Blind Clinical Trial to Assess the Acute Diuretic Effect of Equisetum arvense (Field Horsetail) in Healthy Volunteers. Evid Based Complement Alternat Med. 2014. 760683; 1-8, 2014
  • SAUDELLI, Gabriele Saudelli; TINTI, Laura; SUFFRITTI, Giovanni. A Review on the Treatment of Osteoporosis with Equisetum arvense. Gen Med (Los Angeles). 6. 2; 1-5, 2018
  • KOTWAL, Swati D.; BADOLE, Smita R. Anabolic therapy with Equisetum arvense along with bone mineralising nutrients in ovariectomized rat model of osteoporosis. Indian J Pharmacol. 48. 3; 312–315, 2016
  • MIMICA-DUKIC, Neda; et al. Phenolic Compounds in Field Horsetail (Equisetum arvense L.) as Natural Antioxidants. Molecules. 13. 7; 1455–1464, 2008
  • SPARAVIGNA, Adele; et al. Equisetum arvense in a new transungual technology improves nail structure and appearance. Journal of Plastic Dermatology. 2. 1; 31-38, 2006
Mais sobre este assunto: