Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Carboxiterapia serve para para Estrias?

A carboxiterapia é um excelente tratamento para tirar todo tipo de estrias, sejam elas brancas, vermelhas ou roxas, porque este tratamento regenera a pele e reorganiza as fibras de colágeno e elastina, deixando a pele lisa e uniforme, removendo completamente estas imperfeições da pele.

No entanto, quando a pessoa apresenta uma grande quantidade de estrias em uma determinada região pode-se associar outros tratamentos, como peeling com ácidos, por exemplo, para alcançar melhores resultados em menos tempo. Assim, o ideal é passar por uma avaliação para então decidir que tipo de tratamento irá escolher.

O número total de sessões é variável, podendo ser de 5-10, realizadas semanalmente ou quinzenalmente, conforme à escolha do cliente. 

Carboxiterapia serve para para Estrias?
Carboxiterapia serve para para Estrias?

Como funciona a carboxiterapia para estrias 

A carboxiterapia consiste na aplicação de uma fina e pequena injeção que injeta gás carbônico medicinal sob a pele, o que promove o seu estiramento. O resultado dessas microlesões é a formação de mais fibroblastos que estimulam a produção de colágeno e de fibronectina e glicoproteína, moléculas do tecido conjuntivo, facilitando a reparação da pele de forma rápida e eficaz.

Para realizar o tratamento é necessário aplicar o gás diretamente nas estrias, sendo feita aproximadamente uma injeção a cada centímetro da estria. As injeções são feitas utilizando uma agulha muito fina, semelhante às utilizadas na acupuntura, e o que provoca desconforto é a entrada do gás sob a pele. Para que tenha o efeito esperado é preciso injetar o gás em cada estria, em todo seu comprimento. 

Não é indicado usar creme anestésico antes do procedimento porque o desconforto não é causado pela agulha mas pela entrada do gás sob a pele, e nesse caso, o anestésico não tem o efeito pretendido.

Carboxiterapia dói?

Por ser um procedimento que promova alguma dor e desconforto, só é aconselhado para pessoas que passaram pelo teste inicial que avalia a tolerância à dor. A dor pode ser caracterizada como em forma de picada, queimação ou ardência mas tende a ir diminuindo de intensidade à cada sessão de tratamento. Normalmente, a partir da 2ª sessão, a dor já é mais suportável e os resultados podem ser vistos à olho nu, o que aumenta a vontade de permanecer no tratamento. 

Resultados da carboxiterapia para estrias 

Os resultados da carboxiterapia no tratamento das estrias podem ser observados, logo à partir da primeira sessão, com redução de aproximadamente 10% das estrias, após a 3ª sessão pode-se notar uma redução de 50% das estrias, e na 5ª sessão, pode observar sua eliminação completa. Todavia, isso pode-se alterar dependendo da quantidade de estrias que a pessoa possui, sua extensão e da sua tolerância à dor. 

Embora os resultados sejam melhores nas estrias roxas e vermelhas, por serem mais recentes e melhor irrigadas, as estrias brancas também podem ser eliminadas. Os resultados podem ser mantidos por longos períodos, e as estrias eliminadas não voltam, todavia, novas estrias podem surgir quando a pessoa sofre uma grande alteração de peso, o que está na gênese das estrias. 

Contraindicações 

As sessões de carboxiterapia não devem ser realizadas durante a gravidez e nem durante a fase de amamentação, especialmente se o objetivo for tirar as estrias dos seios, porque nessa fase as mamas aumentam e diminuem de tamanho podendo originar novas estrias, comprometendo o resultado do tratamento. Confira outras contraindicações da carboxiterapia


Bibliografia

  • PONTE, M. G. Recursos fisioterapêuticos utilizados no tratamento das estrias: Uma revisão da literatura. Caderno de Ciências Biológicas e da Saúde. 2.ed; 2013
  • GUIRRO, E. C. O.; GUIRRO, R. J.. Fisioterapia Dermato Funcional. 3.ed. Barueri: Manole, 2014.
  • FARIAS, K. S.; MEIJA, D. P. M. . Eficácia da carboxiterapia, galvanopuntura e peeling químico no combate a atrofia linear cutânea – Estrias. Faculdade Ávila. 2014
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem