Câncer colorretal: o que é, sintomas, causas e tratamento

dezembro 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Diagnóstico
  4. Tratamento

O câncer colorretal é um tipo de câncer que afeta a parte final do intestino grosso, o cólon, e o reto, causando sintomas como dor abdominal, anemia, perda de peso e presença de sangue nas fezes.

Esse tipo de câncer não tem causa específica, no entanto pode acontecer mais facilmente em pessoas que consomem bebidas alcoólicas ou carne vermelha em excesso, são do gênero masculino, possuem histórico de câncer na família ou são portadoras de doenças gastrointestinais, como doença de Crohn e retocolite ulcerativa, por exemplo.

Em caso de suspeita de câncer colorretal, é importante que o gastroenterologista ou coloproctologista seja consultado para que sejam realizados exames que avaliam o intestino e o reto e possa ser feito o diagnóstico e, em seguida, indicado o tratamento, que pode ser feito através de quimio e/ ou radioterapia e cirurgia, em alguns casos.

Principais sintomas

Os principais sinais e sintomas do câncer colorretal incluem:

  • Mudança da frequência de evacuação;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Dor abdominal;
  • Anemia;
  • Perda de peso;
  • Presença de sangue nas fezes.

Os sintomas geralmente surgem apenas em estágios mais avançados do câncer colorretal. Por isso, em caso de suspeita, principalmente em pessoas com mais de 45 anos que apresentem perda de sangue nas fezes, é importante consultar um clínico geral ou gastroenterologista para uma avaliação.

Teste online de sintomas

Para saber o risco de ter câncer no intestino, selecione no teste a seguir seus sintomas:

  1. 1.Diarreia ou prisão de ventre constantes?
  2. 2.Fezes de cor escura ou com sangue?
  3. 3.Gases e cólicas abdominais?
  4. 4.Sangue no ânus ou visível no papel higiênico ao limpar?
  5. 5.Sensação de peso ou dor na região anal, mesmo após evacuar?
  6. 6.Cansaço frequente?
  7. 7.Análises de sangue com presença de anemia?
  8. 8.Perda de peso sem razão aparente?

O teste de sintomas é apenas uma ferramenta de orientação, não servindo como diagnóstico e nem substituindo a consulta com o gastroenterologista, coloproctologista, oncologista ou clínico geral.

Possíveis causas

Não há uma causa específica para o câncer colorretal, mas existem alguns fatores que parecem aumentar o risco de desenvolvimento, como:

  • Sexo masculino;
  • Histórico familiar de câncer colorretal;
  • Síndromes hereditárias relacionadas ao câncer colorretal;
  • Doença de Crohn;
  • Retocolite ulcerativa;
  • Tabagismo;
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Excesso de carne vermelha ou processada na alimentação;
  • Pouco consumo de frutas e vegetais;
  • Obesidade;
  • Diabetes.

Além disso, algumas doenças, como retocolite ulcerativa e doença de Crohn, e doenças familiares, como a polipose adenomatosa familiar e síndrome de Lynch, também aumentam o risco de desenvolvimento do câncer colorretal quando presentes.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico do câncer colorretal geralmente é feito por meio da colonoscopia, que é capaz de identificar as alterações no intestino que indicam a doença. No entanto, outros exames como a colonografia por tomografia computadorizada podem ser necessários quando a colonoscopia não pode ser completa ou no caso de preparos inadequados. Conheça os principais exames usados para identificar o câncer no intestino.

Geralmente, a tomografia computadorizada e a ressonância magnética são usadas para avaliar o tamanho do câncer e a sua presença em outras partes do corpo. Além disso, a dosagem de antígeno carcinoembrionário (CEA) no sangue pode ser útil para avaliar a gravidade da doença e a resposta ao tratamento por meio de cirurgia. Entenda melhor para que serve e o significado do resultado da dosagem do CEA.

Rastreamento do câncer colorretal

O rastreamento do câncer colorretal geralmente é recomendado para todos os adultos entre 45 e 75 anos de idade e pode ser feito por meio de exames como:

  • Teste para sangue oculto nas fezes: anual;
  • Colonografia por tomografia computadorizada: a cada 5 anos;
  • Retossigmoidoscopia flexível: a cada 5 anos;
  • Colonoscopia: a cada 10 anos;

Geralmente, a escolha do exame a ser realizado depende da indicação do médico. Além disso, quando o risco de desenvolver o câncer é mais elevado, o rastreamento pode ser indicado até mesmo antes dos 45 anos de idade.

Como é feito o tratamento

O tratamento para o câncer colorretal deve ser indicado pelo gastroenterologista ou oncologista a partir da avaliação dos sintomas apresentados pela pessoa, comprometimento do intestino grosso e do reto e características do câncer.

Assim, pode ser indicada a realização de cirurgia para remover a parte afetada pelo tumor, podendo ser necessária a realização de quimio e/ ou radioterapia para garantir a eliminação das células cancerígenas. Em alguns casos, a quimioterapia ou radioterapia podem ser indicadas antes da cirurgia para controlar o crescimento do tumor. Entenda como é feito o tratamento para o câncer colorretal.

Como prevenir o câncer colorretal

Algumas medidas podem diminuir o risco de desenvolvimento do câncer colorretal, como:

  • Prática regular de atividades físicas;
  • Maior consumo de grãos integrais;
  • Aumentar a quantidade de fibras na alimentação;
  • Consumir mais leite e derivados;
  • Maior consumo de peixes;
  • Preferir alimentos ricos em vitaminas como C e D.

Além disso, o tratamento do colesterol elevado por meio do uso de estatinas e da menopausa através da reposição hormonal também são fatores que podem diminuir o risco de câncer colorretal.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em dezembro de 2022.

Bibliografia

  • LADABAUM, Uri et al. Strategies for Colorectal Cancer Screening. Gastroenterology. Vol.158, n.2. 418-432, 2020
  • US PREVENTIVE SERVICE TASK FORCE. Colorectal Cancer: Screening. 2021. Disponível em: <https://www.uspreventiveservicestaskforce.org/uspstf/recommendation/colorectal-cancer-screening>. Acesso em 28 jun 2022
Mostrar bibliografia completa
  • SIMON, Karen. Colorectal cancer development and advances in screening. Clin Interv Aging. Vol.11. 967–976, 2016
  • DEKKER, Evelien et al. Colorectal cancer. Lancet. Vol.394, n.10207. 1467-1480, 2019
  • BRENNER, Hermann. Colorectal cancer. Lancet. Vol.383; n.9927. 1490-1502, 2014
  • VEGA, Pablo; VALENTÍN, Fátima; CUBIELLA, Joaquín. Colorectal cancer diagnosis: Pitfalls and opportunities. World J Gastrointest Oncol. Vol.7, n.15. 422–433, 2015
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.