Campimetria: o que é, para que serve e como é feito o exame

A campimetria é um exame oftalmológico que tem como objetivo identificar problemas de visão e avaliar o campo de visão, sendo indicado principalmente no diagnóstico e acompanhamento de pessoas com glaucoma, no entanto pode ser recomendado para investigar a causa de dor nos olhos, identificar alterações no campo visual e diagnosticar doenças da retina, como a degeneração macular, por exemplo.

O exame de campimetria é um exame que não causa dor e dura cerca de 10 a 20 minutos, dependendo da colaboração da pessoa. Não é necessário preparo para realizar esse exame, sendo apenas indicado que as pessoas que estejam em tratamento para glaucoma façam a suspensão do medicamento alguns dias antes do exame de acordo com a indicação do médico.

Campimetria: o que é, para que serve e como é feito o exame

Para que serve

A principal indicação do exame de campimetria é para diagnosticar e acompanhar a evolução e resposta ao tratamento do glaucoma, que é uma alteração ocular caracterizada pelo aumento da pressão intraocular, o que pode ter como resultado a diminuição do campo visual. Além do glaucoma, o exame de campimetria pode ser indicado para diagnosticar e acompanhar outras situações, como por exemplo:

  • Doenças da retina, como oclusões, degeneração macular e retinose;
  • Alterações no nervo óptico, como papiledema e papilite;
  • Problemas neurológicos, como Acidente Vascular Encefálico e tumores;
  • Dor nos olhos;
  • Intoxicação por medicamentos;
  • Alterações no campo de visão.

Além disso, este exame também analisa o tamanho do campo visual captado pelo paciente, ajudando a detectar problemas de visão periférica, que são as laterais do campo de visão.

Tipos de campimetria

De acordo com a forma como o exame é realizado, a campimetria pode ser classificada em três tipos principais:

  • Campimetria cinética, em que a fonte luminosa do equipamento realizado para fazer o exame fica em movimento, o que é percebido pela pessoa;
  • Campimetria estática, em que a fonte luminosa fica parada durante o exame;
  • Campimetria computadorizada, em que todo o exame é comandado pelo aparelho eletrônico, não havendo interferência do operador.

Tanto a campimetria cinética quanto a estática são considerados tipos de campimetria manual, sendo realizada a partir dos comandos de um profissional treinado. De forma geral, a campimetria manuel é indicada para identificar problemas na visão mais periférica e para avaliar pacientes com grande perda da acuidade visual, idosos, crianças ou pessoas debilitadas, que têm dificuldade para seguir os comandos do aparelho.

Como é feita

A campimetria visual é feita com o paciente sentado e com o rosto colado ao aparelho medidor, chamado campímetro, que emite pontos de luz em diferentes lugares e com diferentes intensidades no campo de visão do paciente.

Durante o teste, uma luz no fundo do aparelho é emitida para que o paciente mantenha a visão focada nela. Assim, ele terá que acionar uma campainha à medida que conseguir identificar os novos pontos de luz que surgem, mas sem movimentar os olhos para os lados, encontrando as luzes apenas com a visão periférica.

Pacientes que usam lentes de contato não precisam retirá-las para fazer o exame, mas devem sempre lembrar de levar a última receita médica da prescrição dos óculos. Além disso, pacientes que estão em tratamento de glaucoma e usam o medicamento Pilocarpina devem falar com o médico e pedir autorização para suspender o uso do remédio 3 dias antes da realização do exame de campimetria.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE GLAUCOMA. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Glaucoma - Avaliação do Campo Visual no Glaucoma. Disponível em: <https://www.sbglaucoma.org.br/wp-content/uploads/2019/12/03-DIRETRIZ-AVALIA%C3%87%C3%83O-DO-CAMPO-VISUAL.pdf>. Acesso em 10 Ago 2021
  • GOMES, Isabel Maria C. R. Comparação da Campimetria SWAP e Campimetria convencional na Deteção, Análise e Seguimento do Glaucoma. Tese de Mestrado, 2016. Universidade da Beira do Interior.
Mais sobre este assunto: