Os carrapatos são animais que podem ser encontrados em animais, como cachorros, gatos e roedores, e que podem ser portadores de bactérias e vírus bastante nocivas à saúde das pessoas.

As doenças causadas por carrapatos são graves e necessitam de tratamento específico para evitar a disseminação do agente infeccioso responsável pela doença e, consequentemente, a falência dos órgão.

Por isso, é importante diagnosticar a doença o quanto antes para que seja iniciado o tratamento adequado de acordo com a doença.

As principais doenças causadas por carrapatos são:

1. Febre maculosa

A febre maculosa é popularmente conhecida como doença do carrapato e corresponde a uma infecção transmitida pelo carrapato-estrela infectado pela bactéria Rickettsia rickettsii. A transmissão da doença para as pessoas acontece quando o carrapato morde a pessoa, transferindo a bactéria diretamente para a corrente sanguínea. No entanto, para que haja de fato a transmissão da doença, o carrapato precisa ficar de 6 a 10 horas em contato com a pessoa.

Principais sintomas: é comum que após a mordida do carrapato seja percebido o aparecimento de manchas vermelhas nos punhos e nos tornozelos que não coçam, além de poder haver febre acima de 39ºC, calafrios, dor abdominal, dor de cabeça intensa e dor muscular constante. Saiba reconhecer os sinais da febre maculosa.

Como tratar: o tratamento para febre maculosa deve ser feito assim que for identificada a mordida do carrapato ou os primeiros sintomas, pois assim é possível prevenir complicações. Normalmente, é indicado pelo médico o uso de antibióticos, como o Cloranfenicol ou a Tetraciclina, podendo ser necessário que a pessoa permaneça no hospital para que seja acompanhada.

2. Doença de Lyme

A doença de Lyme afeta a América do Norte, especialmente os Estados Unidos da América e também a Europa, é transmitida pelo carrapato do gênero Ixodes, que pode transmitir a bactéria Borrelia burgdorferi para as pessoas.

Principais sintomas: o principal sintoma da mordida do carrapato Ixodes e consequente infecção pela bactéria podem surgir até 30 dias do contato inicial, sendo inicialmente notado inchaço e vermelhidão local, além de poder haver dor de cabeça, dor muscular e nas articulações, febre, calafrios e rigidez na nuca.

Como tratar: é importante que o tratamento para a doença de Lyme seja iniciado imediatamente para que seja possível prevenir as complicações, como alterações neurológicas, problemas no coração e meningite, por exemplo. Normalmente, o médico indica o uso de Doxiciclina 2 vezes por cerca de 4 semanas ou de acordo com a orientação do médico. Em alguns casos, pode ser também recomendada a realização de sessões de fisioterapia. Veja mais detalhes do tratamento para doença de Lyme.

3. Doença de Powassan

A doença de Powassan é uma doença rara que também pode ser transmitida pela mordida do carrapato infectado pelo vírus Powassan. Esse vírus pode ser transmitido pelo mesmo carrapato que é responsável pela doença de Lyme, o carrapato do gênero Ixodes, no entanto, diferentemente do que acontece da doença de Lyme, o vírus pode ser transmitido rapidamente para pessoa, dentro de minutos, enquanto que na doença de Lyme a transmissão da doença demora até 48 horas.

Principais sintomas: o vírus na corrente sanguínea das pessoas pode ser assintomático ou levar a sintomas comuns, como febre, dor de cabeça, vômitos e fraqueza. No entanto, esse vírus é conhecido por ser neuroinvasivo, resultando no aparecimento de sinais e sintomas graves.

A doença grave causada pelo vírus Powassan pode ser caracterizada pela inflamação e inchaço do cérebro, conhecida como encefalite, ou inflamação do tecido que envolve o cérebro e a medula, recebendo o nome de meningite. Além disso, a presença desse vírus no sistema nervoso pode causar perda de coordenação, confusão mental, problemas para falar e perda da memória.

Como tratar: não existe tratamento específico para a doença de Powassan, no entanto é fundamental que a pessoa seja encaminhada para o hospital para que seja avaliada a necessidade de internamento, de suporte para respirar ou da realização de procedimento para diminuir o inchaço do cérebro.

4. Babesiose

A babesiose é uma doença infecciosa que também pode acontecer nas pessoas através da mordida do carrapato infectado pela bactéria do gênero Babesia spp.

Principais sintomas: a maioria dos casos da babesiose são assintomáticos ou sintomáticos leves, de forma que muitas vezes a pessoa não sabe que esteve infectada. Nos casos em que existem sintomas, podem surgir até 4 semanas após o contato com o carrapato e a bactéria, havendo febre, dor de cabeça, calafrios, suor frio, dor muscular, cansaço excessivo e fraqueza.

Caso a pessoa tenha mais de 60 anos ou possua o sistema imunológico mais debilitado devido à doenças, por exemplo, os sintomas podem ser mais graves, podendo ser notado aumento do fígado e do baço e anemia hemolítica.

Como tratar: o tratamento para babesiose indicado pelo médico normalmente envolve o uso de antiparasitários e/ ou antibióticos de acordo com a gravidade dos sintomas.

5. Erliquiose

A erliquiose, também chamada de erliquiose humana monocítica, é uma doença que também pode ser transmitida pelo carrapato infectado pela bactéria Ehrlichia chaffeensis, que afeta diretamente as células sanguíneas, principalmente os monócitos e os macrófagos, interferindo no funcionamento do sistema imunológico.

Principais sintomas: os sintomas de erliquiose pode surgir até 12 dias após a mordida do carrapato, resultando em febre, dor de cabeça, calafrios, dor muscular, cansaço excessivo, náuseas, vômitos e mal-estar geral.

Como tratar: o tratamento para erliquiose normalmente envolve o uso de Doxiciclina de acordo com a orientação do médico.

6. Tularemia

Apesar de ser pouco frequente, a tularemia também pode ser transmitida pela mordida do carrapato infectado pela bactéria Francisella tularensis.

Principais sintomas: os sintomas da tularemia costumam aparecer 3 a 14 dias após a mordida do carrapato, sendo notada a presença de uma pequena ferida na pele que demora para cicatrizar, febre alta, calafrios, dor no peito, dor de garganta e mal estar geral.

Como tratar: o tratamento para tularemia deve ser orientado pelo médico e normalmente envolve o uso de antibióticos por até 21 dias para garantir a eliminação da bactéria e prevenir o desenvolvimento de complicações, podendo ser necessário internamento.

Como tirar o carrapato da pele

Tirar o carrapato da pele é fundamental para evitar uma reação inflamatória mais grave e que pode levar à anemia hemolítica e aumento do fígado e do baço. Para retirar o carrapato é indicado que seja aplicado éter ou clorofórmio diretamente no carrapato e depois, com auxílio de uma pinça devidamente esterilizada, puxar o carrapato diretamente pela cabeça, pois assim é possível evitar que partes da boca do carrapato permaneçam na pele.

Após a remoção, é indicado lavar a pele com água e sabão neutro e seguir o tratamento indicado pelo médico, que pode envolver o uso de antibióticos e/ ou antiparasitários de acordo com a doença diagnosticada. Além disso, é importante ficar atento ao aparecimento de alguns sintomas que podem surgir após a remoção do carrapato, como febre, enjoo, vômito, dor de cabeça, manchas vermelhas na pele, sendo importante consultar o médico na presença desses sinais e sintomas.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em março de 2022. Revisão clínica por Marcela Lemos - Biomédica, em março de 2022.

Bibliografia

  • BABESIOSE. Comissão de Saúde Pública de Boston. 2015. Disponível em: <https://bphc.org/whatwedo/infectious-diseases/Infectious-Diseases-A-to-Z/Documents/Fact%20Sheet%20Languages/Babesiosis/Portuguese.pdf>. Acesso em 21 mar 2022
  • BARER, Michael R. et al. Medical Microbiology - A guide to microbial infections: pathogenesis, immunity, laboratory investigation and control. ed 19. Elsevier, 2018. 636-637.
Mostrar bibliografia completa
  • ZEIBIG, Elizabeth A. Clinical Parasitology. 2 ed. United States of America: Elsevier, 2013. 152-155; 300-303.
  • WEBMD. What Is Powassan?. Disponível em: <https://www.webmd.com/brain/what-is-powassan#1>. Acesso em 05 ago 2019
  • CDC. Powassan Virus. Disponível em: <https://www.cdc.gov/powassan/index.html>. Acesso em 05 ago 2019
Revisão clínica:
Marcela Lemos
Biomédica
Mestre em Microbiologia Aplicada, com habilitação em Análises Clínicas e formada pela UFPE em 2017 com registro profissional no CRBM/ PE 08598.