Dor nos olhos: 11 principais causas e o que fazer

A dor nos olhos pode acontecer devido ao ressecamento dos olhos ou ser apenas um dos sintomas da gripe, por exemplo, sendo apenas indicado nesses casos que a pessoa permaneça em repouso e beba bastante líquidos durante o dia.

No entanto, em alguns casos é possível também notar o aparecimento de outros sintomas como vermelhidão, sensação de queimação, maior sensibilidade à luz, diminuição da capacidade visual e coceira nos olhos, por exemplo, o que pode ser indicativo de conjuntivite ou ceratite e, nesses casos, é importante consultar o oftalmologista para que seja feita uma avaliação e possa ser identificada a causa da dor e indicado o tratamento mais adequado.

Dor nos olhos: 11 principais causas e o que fazer

As principais causas de dor nos olhos são:

1. Olhos secos

Os olhos secos acontecem devido à diminuição da quantidade e qualidade de lágrima, que é responsável por lubrificar o globo ocular, o que pode acontecer devido ao fato de estar em ambientes com ar condicionado, ao andar de bicicleta ou após ficar algumas horas olhando para a tela do computador, por exemplo. Assim, devido ao ressecamento do globo ocular, é possível que exista dor, vermelhidão e sensação de queimação.

O que fazer: é recomendado utilizar colírios à base de lágrimas artificiais para ajudar na lubrificação do globo ocular. O uso de colírios que diminuem a vermelhidão também podem ser usados, porém não tratam a causa. Caso o ressecamento do olho seja persistente, é recomendado que o oftalmologista seja consultado para que seja feita uma avaliação e possa ser identificada a causa e, assim, ser iniciado o tratamento mais adequado.

2. Uso errado de lentes de contato

O uso inadequado de lentes de contato pode causar inflamações e infecções nos olhos que levam à dor, vermelhidão e coceira, além de problemas mais graves como úlceras ou ceratite.

O que fazer: nesse caso é recomendado trocar as lentes e usar um colírio lubrificante, além de seguir as recomendações de higiene, tempo máximo de uso e o prazo de validade do produto. Veja como usar as lentes de contato corretamente cuidados importantes.

3. Gripe

A presença de infecções no corpo como gripe e dengue pode causar sintomas de dor de cabeça e dor nos olhos, que diminuem à medida que o organismo combate a doença.

O que fazer: é importante adotar medidas que ajudem a tratar a gripe, pois assim é possível promover o alívio dos sintomas, incluindo a dor nos olhos. Assim, pode-se beber chás calmantes e que melhoram a circulação, como gengibre, erva doce e alfazema, colocar compressas de água morna na testa, usar medicamentos como paracetamol e manter-se em local calmo e com pouca luz.

4. Sinusite

A sinusite é inflamação dos seios nasais e normalmente causa dor de cabeça, dor atrás dos olhos, corrimento nasal e sensação de peso no rosto, devido ao excesso de secreção acumulada nos seios nasais.

O que fazer: quando os sintomas são desconfortáveis e duram mais de 5 dias, é recomendado consultar o otorrinolaringologista para que sejam feitos exames que permitam identificar o tipo de sinusite e, assim, ser recomendado o tratamento mais adequado, que pode envolver o uso de antibióticos, sprays nasais ou antigripais.

No entanto, é possível aliviar os sintomas de forma caseira através de estratégias que ajudam a tornar a secreção acumulada mais fluida, favorecendo a sua eliminação. Veja no vídeo a seguir o que fazer para tratar a sinusite e aliviar os sintomas:

5. Enxaqueca

A enxaqueca é um tipo de dor de cabeça intensa e pulsante que pode ser acompanhada por outros sintomas como tontura, sensibilidade à luz, dor no olho e lacrimejamento, corrimento nasal, enjoos e presença de manchas no campo de visão, por exemplo. Saiba como identificar a enxaqueca.

O que fazer: é importante que a pessoa fique em repouso e evite o máximo de estímulos, ou seja, permaneça em um ambiente com pouco barulho e pouca luz, pois assim é possível aliviar os sintoma de enxaqueca. Além disso, o neurologista pode indicar o uso de alguns remédios, dependendo da intensidade, frequência e sintomas de enxaqueca apresentados pela pessoa, que ajudam a aliviar os sintomas mais rápido. Confira quais são os remédios indicados para enxaqueca.

6. Conjuntivite

A conjuntivite é uma inflamação da camada mais superficial da parte interna das pálpebras, conhecida como conjuntiva tarsal, e da camada mais superficial do globo ocular, a conjuntiva bulbar. Pessoas com conjuntivite normalmente apresentam dor, vermelhidão, secreção e inchaço nos olhos.

Essa inflamação pode acontecer devido à infecção por bactérias, vírus, trauma físico ou lesão química e doenças inflamatórias. Pode ser facilmente transmitida de pessoa para pessoa no caso de ser viral, além de também acontecer devido a alergias.

O que fazer: é importante consultar o oftalmologista para que seja feita uma avaliação e, assim, ser possível definir a causa da conjuntivite e iniciar o tratamento, que pode ser feito através do uso de remédios analgésicos, anti-inflamatórios, e antibióticos, em caso de conjuntivite bacteriana. Além disso, é importante que se tenha alguns cuidados durante o tratamento como lavar sempre as mãos, evitar o compartilhamento de objetos pessoais e não usar lentes de contato. Veja outros cuidados que se deve ter durante o tratamento da conjuntivite.

7. Dengue

A dengue é uma doença causada por vírus que pode ter como sintoma dor no fundo dos olhos, além de cansaço, dor no corpo, dor de cabeça e manchas vermelhas na pele, por exemplo. Saiba reconhecer todos os sintomas de dengue.

O que fazer: no caso de suspeita de dengue, é recomendado permanecer em repouso, beber bastante líquidos e fazer uso de medicamentos que possam ter sido indicados pelo médico para aliviar os sintomas, como remédios para baixar a febre e analgésicos.

8. Ceratite

A ceratite é a inflamação da córnea que pode ser causada por microrganismos, ferimentos, pancadas no olho ou uso incorreto das lentes de contato, podendo causar dor, diminuição da visão, sensibilidade à luz e lacrimejamento excessivo nos olhos.

O que fazer: na presença de sinais e sintomas indicativos de ceratite, é recomendado consultar o oftalmologista para que seja verificada o tipo e a gravidade da ceratite e, assim, seja possível iniciar o tratamento rapidamente, evitando a cegueira. Assim, pode ser recomendado o uso de pomadas oftalmológicas ou, nos casos mais graves, cirurgia.

Dor nos olhos: 11 principais causas e o que fazer

9. Glaucoma

O glaucoma é uma doença multifatorial, porém, cujo principal fator de risco é o aumento da pressão no globo ocular, que leva a danos no nervo óptico e diminuição progressiva da visão, caso não diagnosticado e tratado precocemente. Na maioria dos casos o glaucoma não leva ao aparecimento de sinais ou sintomas, no entanto nos casos de glaucoma de ângulo fechado, é possível notar dor intensa no olho, visão turva e aumento da pupila, por exemplo. Saiba reconhecer os sintomas de glaucoma.

O que fazer: é importante que o oftalmologista seja consultado para que seja indicado o tratamento mais adequado, que tem como objetivo controlar os sintomas e prevenir o desenvolvimento da cegueira. Dessa forma, o médico pode indicar o uso de colírios, terapia a laser ou cirurgia.

10. Neurite óptica

A neurite óptica pode ser identificada através dos sinais e sintomas que surgem em um ou nos dois olhos, como dor, alteração na percepção das cores e diminuição ou perda da visão de forma repentina. A dor nos olhos pode ser moderada ou grave e tende a piorar quando o olho é palpado.

A neurite óptica pode acontecer em pessoas que tem esclerose múltipla, mas também pode acontecer em caso de tuberculose, toxoplasmose, sífilis, AIDS, caxumba, catapora, sarampo, doença de Lyme, doença da arranhadura do gato, e herpes, por exemplo.

O que fazer: é recomendado que o oftalmologista seja consultado para que seja possível identificar a causa da neurite, já que o tratamento pode variar. Veja mais sobre a neurite óptica. 

11. Neuralgia do trigêmeo

A neuralgia do trigêmeo pode ter como sintomas a dor em apenas um dos olhos, que acontece de forma repentina e é intensa, parecida com a sensação de choque elétrico, além de poder haver intensa dor no rosto. A dor dura apensas alguns segundos a dois minutos, acontecendo logo a seguir, com intervalos de alguns minutos à hora, podendo acontecer várias vezes ao dia. Muitas vezes o quadro se prolonga por meses, mesmo com o tratamento adequado.

O que fazer: nesse caso, é recomendado consultar o neurologista para que possa ser iniciado o tratamento mais adequado, que pode variar de acordo com a frequência e intensidade dos sintomas, podendo ser recomendado o uso de remédios ou cirurgia, por exemplo. Confira mais detalhes do tratamento da neuralgia do trigêmeo.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: