Vacina COVID-19 em crianças: quando tomar, doses e efeitos colaterais

Revisão médica: Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
setembro 2022

A vacina da COVID-19 está indicada para todas as crianças com mais de 3 anos, no caso da Coronavac, ou de 5 anos, tanto no Brasil como em Portugal, no caso da vacina da Pfizer. Na maioria dos casos, entre os 5 e 11 anos deve ser administrada uma versão pediátrica da vacina da Pfizer, enquanto que para crianças e adolescentes com mais de 12 anos, a vacina a administrar deve ser igual à dos adultos.

A vacinação contra a COVID-19 em crianças ajuda não só a proteger contra a infecção pelo coronavírus, mas especialmente a diminuir o risco de desenvolver a forma grave da doença, que pode necessitar de internamento hospitalar e, até, colocar a vida em risco.

Como qualquer outra vacina, a vacina da COVID-19 em crianças pode provocar alguns efeitos colaterais, especialmente no local da injeção, que pode ficar dolorido, inchado e vermelho. Além disso, outras reações como febre e cansaço também são comuns, mas tendem a ser passageiras e a desaparecer com alguns cuidados.

Tipos de vacina aprovados

No Brasil existem duas vacinas aprovadas para a vacinação de crianças:

  • Vacina da Pfizer, que é indicada a partir dos 12 anos, no caso da versão adulta, e entre os 5 e 11, no caso da versão pediátrica. Há também outra versão aprovada pela Anvisa para crianças entre 6 meses e 4 anos;
  • Vacina Coronavac, que é indicada a partir dos 3 anos.

Já em Portugal, apenas a vacina da Pfizer possui aprovação, podendo ser administrada na sua versão para adulto ou na versão pediátrica, dependendo da idade da criança.

Quando tomar a vacina

A vacinação contra a COVID-19 em crianças está aprovada pela Anvisa e autorizada pelo Ministério da Saúde a partir dos 5 anos, no caso da Pfizer. Tanto no Brasil como em Portugal, a vacina da Pfizer pode ser administrada na sua versão pediátrica em crianças entre os 5 e 11 anos, enquanto a versão de adulto deve ser administrada em crianças e adolescentes com mais de 12 anos.

Além disso, no Brasil, existe ainda a vacina Coronavac, que está recomendada para crianças a partir dos 3 anos, incluindo as imunossuprimidas.

A Anvisa também aprovou uma versão da vacina da Pfizer para crianças entre 6 meses e 4 anos, no entanto ainda está em processo de liberação pelo Ministério da Saúde.

Quantas doses devem ser administradas

Todas as vacinas aprovadas para administração em crianças contemplam um plano de vacinação primário com duas ou três doses, no caso da vacina para crianças entre 6 meses e 4 anos. Dependendo do país, e da vacina a administrar, o tempo de intervalo varia:

Brasil

  • Pfizer (versão pediátrica ou adultos): 2 doses com intervalo de 8 semanas;
  • Pfizer para crianças entre 6 meses e 4 anos: 3 doses com intervalo de 3 semanas entre as duas primeiras doses e 8 semanas entre a segunda e a terceira dose. Vale ressaltar que no momento esta vacina está aprovada pela Anvisa, mas ainda não recebeu autorização do Ministério da Saúde;
  • Coronavac: 2 doses com intervalo de 28 dias.

Portugal

  • Pfizer (versão pediátrica): 2 doses com intervalo de 6 a 8 semanas;
  • Pfizer (versão adultos): 2 doses com intervalo de 21 a 28 dias.

Diferença entre a versão pediátrica e de adultos

A principal diferença entre a versão pediátrica de uma vacina e sua versão para adultos está na quantidade de imunizante administrada. Por exemplo, no caso da vacina da Pfizer, a diferença de imunizante é de 10 microgramas na versão pediátrica, para 30 microgramas na versão de adulto.

Além disso, outros pormenores técnicos, como o tempo de conservação ou a embalagem das vacinas, também podem variar de uma versão para a outra.

Possíveis efeitos colaterais

Assim como em qualquer outra vacina, e à semelhança do que acontece com a vacinação em adultos, a vacina da COVID-19 em crianças pode levar ao surgimento de alguns efeitos colaterais. Os mais comuns incluem:

  • Dor, inchaço e/ou vermelhidão no local da injeção;
  • Dor de cabeça, febre e/ou calafrios;
  • Diarreia e/ou vômitos;
  • Cansaço e falta de vontade para brincar.

Estas reações normalmente surgem nas primeira 24 horas após a administração da vacina e desaparecem em até 2 ou 3 dias. No caso das reações no local da injeção, podem ser aliviadas com a aplicação de uma compressa fria por 10 a 15 minutos no local, 3 a 4 vezes por dia, já no caso de sintomas como febre, dor de cabeça ou cansaço, está indicado repousar e beber bastantes líquidos.

Embora possam ser um efeito desconfortável, a maior parte das reações não precisa de qualquer tipo de tratamento médico específico. Ainda assim, se os sintomas forem muito intensos e para que a criança se sinta melhor, podem ser utilizados alguns remédios, com orientação do pediatra, como paracetamol ou ibuprofeno. Veja mais sobre como aliviar as reações comuns da vacina da COVID-19.

Reações graves à vacinação

O desenvolvimento de reações graves à vacina da COVID-19 em crianças é muito raro, no entanto, poderão surgir sintomas de reação alérgica grave como vermelhidão e coceira na pele, inchaço do rosto e/ou sensação de falta de ar. As reações graves de alergia são mais comuns nos primeiros 30 minutos após a vacinação e, por isso, é aconselhado permanecer no centro de vacinação por esse tempo. Ainda assim, se esses sintomas surgirem em casa, deve-se chamar a ajuda médica ou levar a criança rapidamente ao hospital.

Uma das principais preocupações com a vacinação de crianças contra a COVID-19, é o possível aparecimento de problemas cardíacos, como miocardite ou pericardite. Porém, num relatório liberado pelo CDC [1] sobre a vacina da Pfizer, esse efeito parece ser extremamente raro, tendo sido identificado em apenas 11 casos, que recuperaram após tratamento.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em setembro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Sani Santos Ribeiro - Pediatra e Pneumologista infantil, em julho de 2022.

Bibliografia

  • ANVISA. Covid-19: Anvisa aprova vacina da Pfizer para crianças entre 6 meses e 4 anos. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2022/covid-19-anvisa-aprova-vacina-da-pfizer-para-criancas-entre-6-meses-e-4-anos>. Acesso em 19 set 2022
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Anvisa aprova uso emergencial da CoronaVac para crianças de 3 a 5 anos. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2022/anvisa-aprova-uso-emergencial-da-coronavac-para-criancas-de-3-a-5-anos>. Acesso em 14 jul 2022
Mostrar bibliografia completa
  • CDC: CENTERS FOR DESEASE CONTROL AND PREVENTION. Pfizer-BioNTech COVID-19 Vaccine (5 Through 11 Years of Age). 2022. Disponível em: <https://www.cdc.gov/vaccines/covid-19/info-by-product/pfizer/pfizer-bioNTech-children-adolescents.html>. Acesso em 25 jan 2022
  • TRANSPARENCIA VENEZUELA. Venezuela comenzó vacunación con Soberana 02 pese al rechazo de la sociedad científica. 2021. Disponível em: <https://transparencia.org.ve/saludcritica/2021/11/09/venezuela-comenzo-vacunacion-con-soberana-02-pese-al-rechazo-de-la-sociedad-cientifica/>. Acesso em 25 jan 2022
  • MINISTERIO DE SALUD DE CHILE. Instituto de Salud Pública amplía vacunación a niños desde los 5 años para vacuna Pfizer. 2021. Disponível em: <https://www.gob.cl/noticias/instituto-de-salud-publica-amplia-vacunacion-ninos-desde-los-5-anos-para-vacuna-pfizer/>. Acesso em 25 jan 2022
  • MINISTERIO DE SALUD DE CHILE. Autoridades dan inicio a la vacunación contra el Covid-19 en niños desde los 6 años. 2021. Disponível em: <https://www.minsal.cl/autoridades-dan-inicio-a-la-vacunacion-contra-el-covid-19-en-ninos-desde-los-6-anos/>. Acesso em 25 jan 2022
  • MINISTERIO DE SALUD. COVID-19: Vacunación para niños de 3 a 5 años parte el próximo lunes. 2021. Disponível em: <https://www.minsal.cl/covid-19-vacunacion-para-ninos-de-3-a-5-anos-parte-el-proximo-lunes/>. Acesso em 25 jan 2022
  • GOBIERNO DE PERÚ. Coronavirus: vacunación contra la COVID-19 para niños de 5 a 11 años. 2021. Disponível em: <https://www.gob.pe/17417-coronavirus-vacunacion-contra-la-covid-19-para-ninos-de-5-a-11-anos>. Acesso em 25 jan 2022
  • SOCIEDAD ARGENTINA DE PEDIATRÍA. REFLEXIÓN DE LA SUBCOMISIÓN DE ETICA CLÍNICA SOBRE LA VACUNACIÓN ANTI COVID 19 EN NIÑOS MENORES DE 12 AÑOS. . 2021. Disponível em: <https://www.saludneuquen.gob.ar/wp-content/uploads/2021/12/Documento-de-posici%C3%B3n-sobre-vacunas-contra-COVID19-en-pediatr%C3%ADa-SAP-30-11-21.pdf>. Acesso em 25 jan 2022
  • BOGOTÁ. https://bogota.gov.co/mi-ciudad/salud/bogota-ninos-y-ninas-de-3-11-anos-se-pueden-vacunar-contra-covid-19. 2021. Disponível em: <https://bogota.gov.co/mi-ciudad/salud/bogota-ninos-y-ninas-de-3-11-anos-se-pueden-vacunar-contra-covid-19>. Acesso em 25 jan 2022
  • SOCIEDAD COLOMBIANA DE PEDIATRÍA. Comunicado sobre vacunación contra la COVID-19 en niños de 6 a 12 años de edad.. 2021. Disponível em: <https://scp.com.co/wp-content/uploads/2021/10/Comunicado-vacunas-en-ninos-version-5.pdf>. Acesso em 25 jan 2022
  • SOCIEDAD COLOMBIANA DE PEDIATRÍA. Vacunación covid en niños, por Sociedad Colombiana de Pediatría y Asociación Colombiana de Infectología. 2021. Disponível em: <https://scp.com.co/wp-content/uploads/2021/09/Comunicado-final-vacunas-en-menores-de-12-anos-firmadoACIN.pdf>. Acesso em 25 jan 2022
  • MINISTERIO DE SANIDAD. VACUNACIÓN COVID EN ADOLESCENTES: PREGUNTAS Y RESPUESTAS. 2021. Disponível em: <https://www.sanidad.gob.es/profesionales/saludPublica/prevPromocion/vacunaciones/covid19/docs/Vacuna_COVID_adolescentes_PreguntasyRespuestas.pdf>. Acesso em 25 jan 2022
  • GOBIERNO DE ESPAÑA. ¿Deben vacunarse los niños y las niñas? ¿Y la población adolescente?. 2021. Disponível em: <https://www.vacunacovid.gob.es/preguntas-y-respuestas/deben-vacunarse-los-ninos-y-las-ninas-y-la-poblacion-adolescente>. Acesso em 25 jan 2022
  • SECRETRARÍA DE SAÇUD. VACUNACIÓN CONTRA COVID-19 PARA ADOLESCENTES DE 12 A 17 AÑOS. Disponível em: <http://vacunacovid.gob.mx/wordpress/vacuna-covid19-adolescentes/>. Acesso em 25 jan 2022
  • CDC. Morbidity and Mortality Weekly Report: COVID-19 Vaccine Safety in Children Aged 5–11 Years — United States, November 3–December 19, 2021. 2021. Disponível em: <https://www.cdc.gov/mmwr/volumes/70/wr/pdfs/mm705152a1-H.pdf>. Acesso em 21 jan 2022
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE BRASIL. Anúncio da inclusão de crianças de 5 a 11 anos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19. 2022. Disponível em: <https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/2022/janeiro/ministerio-da-saude-inclui-criancas-de-5-a-11-anos-na-campanha-de-vacinacao-contra-a-covid-19/recomendacoes-da-inclusao-de-criancas-de-5-a-11-anos-no-pno.pdf>. Acesso em 21 jan 2022
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE BRASIL. Aprovada ampliação de uso da vacina CoronaVac para crianças de 6 a 17 anos. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/2022/aprovada-ampliacao-de-uso-da-vacina-coronavac-para-criancas-de-6-a-17-anos>. Acesso em 21 jan 2022
  • DGS. Campanha de Vacinação Contra a COVID-19. 2022. Disponível em: <https://www.dgs.pt/normas-orientacoes-e-informacoes/normas-e-circulares-normativas/norma-n-0022021-de-30012021-pdf.aspx>. Acesso em 21 jan 2022
Revisão médica:
Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
Médica formada pela Universidade Federal do Rio Grande com CRM nº 28364 e especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria.