Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Bicho geográfico: Ciclo de vida, sintomas e tratamento

​​O bicho geográfico é um parasita frequentemente encontrado nos animais domésticos, principalmente cães e gatos, e é responsável por causar a Síndrome da Larva migrans cutânea, já que o parasita consegue penetrar a pele através de feridas ou cortes e levar ao aparecimento de sintomas como coceira e vermelhidão.

Há duas espécies principais de bicho geográfico, o Ancylostoma braziliense e o Ancylostoma caninum, cujos ovos podem ser liberados nas fezes de cães e gatos, que eclodem no solo e liberam as larvas, que podem facilmente entrar na pele das pessoas que tem contato direto com as fezes desses animais.

Na maioria dos casos, a larva é eliminada naturalmente do organismo cerca de 4 a 8 semanas após a infecção, mas é importante fazer o tratamento de acordo com a recomendação do médico para evitar complicações na pele e aliviar os sintomas da doença.

Bicho geográfico: Ciclo de vida, sintomas e tratamento

Principais sintomas

Os sintomas de bicho geográfico podem demorar algumas semanas ou meses para aparecer, porque na maioria dos casos os parasitas ficam adormecidos debaixo da pele. Porém, quando surgem, geram sintomas como:

  • Coceira na pele, que costuma piorar durante a noite;
  • Sensação de movimento por baixo da pele;
  • Vermelhidão na pele semelhante a um caminho tortuoso, que é por onde a larva passa;
  • Inchaço na pele.

Na forma ativa da doença, é comum observar que a lesão vai avançando cerca de 1 cm por dia na pele, e logo que seja identificada deve-se iniciar o seu tratamento. Saiba reconhecer os sintomas de bicho geográfico.

Ciclo de vida do bicho geográfico

O ciclo de vida do bicho geográfico começa quando animais domésticos ingerem alimentos contaminados com o parasita, seja o Ancylostoma braziliense ou o Ancylostoma caninum. As larvas desses parasitas multiplicam-se no intestino e liberam ovos que são eliminados nas fezes.

No ambiente, as larvas são liberadas dos ovos e ficam livres no solo, podendo contaminar as pessoas quando há ferida na pele, por exemplo.

Como tratar

O tratamento para o bicho geográfico deve ser orientado por um dermatologista e normalmente é feito com o uso de remédios como Tiabendazol, Albendazol ou Mebendazol, que podem ser usados na forma de pomada, quando a doença está ainda no início, ou na forma de comprimidos, quando o bicho geográfico é descoberto mais tarde.

Geralmente os sintomas do bicho geográfico reduzem cerca de 2 a 3 dias após o início do tratamento, sendo importante seguir o tratamento até o fim para garantir que a larva é completamente eliminada do corpo. Entenda como é feito o tratamento para bicho geográfico.

Como prevenir

Para prevenir o bicho geográfico, deve-se evitar andar descalço em locais que tenham cães e gatos, e recolher as fezes dos animais para que elas não contaminem o solo.

Além disso, é importante levar os animais ao veterinário para que eles também sejam tratados através do uso de remédios que combatem os parasitas responsáveis pela larva migrans cutânea, evitando que os animais transmitam doenças para as pessoas.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade

LIVE | Saúde da Prostata

A Tatiana e o Manuel vão estar te esperando num encontro informal para falar tudo sobre problemas na próstata.

A sua presença vai fazer o evento ser mais especial.

Se inscreva e receba uma notificação quando começar, para não perder nenhum minuto.

Inscreva-se
* Não perca a oportunidade de fazer perguntas e participar deste momento em homenagem ao Novembro Azul.

Estamos ao vivo agora! Vem falar com a gente!

A Tati e o Manuel falam sobre problemas na próstata, o preconceito dos homens a respeito do exame de toque retal, e até sobre impotência sexual, que pode ser um complicação da detecção tardia desse tipo câncer.

Participe agora
* Vamos responder todas as perguntas que chegarem, sem tabus. Estamos te esperando!
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem