Azeite: benefícios, tipos e como usar

dezembro 2021

O azeite é uma gordura saudável que vem da azeitona e rica em vitamina E, um excelente antioxidante que ajuda a prevenir doenças cardiovasculares e o envelhecimento precoce da pele e a diminuir o risco de doenças inflamatórias crônicas, por exemplo. Porém, não é recomendado que sejam consumidas mais de 4 colheres de sopa por dia, que correspondem a 200 calorias porque acima dessa quantidade o azeite aumenta a gordura no sangue e torna-se prejudicial para a saúde.

Existem vários tipos de azeite, sendo o azeite de oliva extra virgem o mais saudável e com maiores benefícios para a saúde, já que não passa por processos de refinamentos e, assim, seus nutrientes conseguem ser mantidos.

Benefícios do azeite

O azeite de oliva extra virgem é o tipo de azeite que possui maior quantidade de benefícios para a saúde, uma vez que suas propriedades e nutrientes são mantidos durante o processo de obtenção. No entanto, o azeite de oliva virgem também possui a mesma quantidade de vitaminas e minerais, apesar de passar por dois processos de prensa a frio, e, por isso, possui também vários benefícios para a saúde e menor acidez.

O consumo diário de azeite de oliva poderia trazer diversos benefícios para a saúde devido ao fato de ser rico em vitamina E, ácido oleico, compostos fenólicos e gorduras monoinsaturadas, além de possuir uma substância conhecida como oleocantal, que garante as propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes do azeite.

Dessa forma, os principais benefícios do consumo regular de azeite são:

  • Ajuda a controlar os níveis de colesterol ao diminuir a quantidade de LDL circulante, também conhecido como colesterol mau;
  • Previne o desenvolvimento de doenças cardíacas, pelo fato de ajudar a controlar os níveis de colesterol e, assim, evitar o entupimento das artérias devido à presença de placas de gordura;
  • Protege o coração contra os danos dos radicais livres, já que possui propriedades antioxidantes;
  • Ajuda a diminuir a inflamação no organismo, devido à presença de vitamina E e substâncias anti-inflamatórias em sua composição;
  • Previne o envelhecimento precoce, pois combate os radicais livres que podem estar relacionados com o envelhecimento das células;
  • Diminui o risco de câncer e doenças inflamatórias crônicas, já que é rico em substâncias anti-inflamatórias.

É importante ter em mente que para ter os benefícios proporcionados pelo azeite, é essencial que a pessoa tenha uma alimentação saudável e equilibrada e que seja dada preferência ao uso do azeite como tempero de saladas ou finalizador de pratos, isso porque, dependendo do tipo de azeite, ao ser esquentado, pode perder suas propriedades e, consequentemente, não ter tantos benefícios para a saúde.

Tipos de azeite

Os principais tipos de azeites são:

1. Azeite extra virgem

O azeite extra virgem é aquele obtido a partir da prensagem a frio da azeitona, em temperatura controlada, havendo a preservação de todos os nutrientes e propriedades antioxidantes, uma vez que não passa por processo de refinamento.

Dessa forma, o azeite extra virgem é considerado o tipo de azeite mais saudável, já que é rico em vitaminas e minerais, o que garante vários benefícios para a saúde quando consumido regularmente. Assim, esse azeite pode ser utilizado para temperar saladas e legumes ou preparar estufados, por exemplo.

2. Azeite virgem

O azeite virgem também é obtido por meio da prensagem a frio da azeitona, no entanto são realizadas duas prensagens, de forma que possui maior nível de acidez e maior quantidade de calorias, apesar de conter a mesma quantidade de vitaminas e minerais do azeite extra virgem.

3. Azeite refinado

O azeite refinado é aquele que, após processo de prensagem, passa por um processo de refinamento, em que pode haver perda do sabor, aroma, cor e vitaminas e, por isso, em comparação com os outros tipos de azeite, tem menor qualidade.

Apesar do processo de refinamento, o azeite refinado não faz mal à saúde, apenas possui menor valor nutricional e, por isso, tem menor quantidade de benefícios. Esse tipo de azeite é principalmente utilizado em processos industriais e normalmente é misturado com o azeite de oliva virgem ou extra virgem, podendo ser também comercializado misturado com esses outros tipos de azeite.

O azeite refinado tem maior acidez comparado com os azeite virgens e extra-virgens, no entanto possui sabor mais suave e normalmente é utilizado para grelhar, refogar e fritar alimentos, uma vez que seu valor nutricional sofre menos alterações em altas temperaturas.

4. Azeite composto

O azeite composto corresponde à mistura do azeite refinado com outros tipos de óleo como o de soja, e, por isso já não resiste tanto à altas temperaturas, não devendo ser utilizado em estufados ou para fritar, já que ainda em temperatura ambiente é capaz de haver liberação de substâncias tóxicas para o organismo, principalmente quando esse tipo de azeite está em embalagens plásticas transparentes. 

5. Azeite lampante

Esse azeite possui acidez superior a 2,0%, sabor e odor desagradável e, por isso, não é recomendado para o consumo. Para ser comercializado e consumido, esse azeite precisa passar por um processo de refinamento para que possa ter sua acidez neutralizada, assim como melhora do sabor e odor

6. Azeite de dendê

O azeite de dendê, também conhecido como óleo de palma, é um tipo de azeite que possui mais gorduras saturadas, o que o torna mais prejudicial para a saúde, uma vez que é capaz de aumentar os níveis de colesterol LDL, aumento o risco de doenças cardiovasculares.

Por outro lado, devido à presença das gorduras saturadas, esse óleo é mais estável às altas temperaturas e, por isso, é bastante utilizado para temperar ou fritas alimentos, fazendo parte da culinária de alguns lugares do Brasil, por exemplo. Saiba como usar o azeite de dendê.

7. Azeite aromatizado

O azeite aromatizado, também conhecido como azeite temperado, é um tipo de azeite que costuma ser utilizado no preparo de alimentos com o objetivo realçar o sabor do alimento e, assim, evitar o uso de sal.

Esse azeite é simples de fazer, basta apenas misturar o azeite de oliva com ervas aromáticas ou temperos, como o alho e pimenta, por exemplo. A escolha da erva e do tempero pode variar de acordo com a receita que irá ser feita, podendo o azeite aromatizado ser usado no preparo de carnes, peixes ou saladas.

Como usar

O azeite pode ser usado para temperar saladas e legumes ou para fazer estufados e fritar, além de também poder ser utilizado no pão, por exemplo, em substituição da manteiga, sendo uma opção mais saudável.

Além disso, o azeite pode ser utilizado para grelhar as carnes pois é uma gordura que aguenta altas temperaturas sem se estragar, no entanto não deve ser utilizado para fritar os alimentos, uma vez que pode haver a liberação de substâncias tóxicas para o organismo.

A quantidade de azeite que pode ser consumida diariamente deve ser de apenas 1 colher de sopa (15 mL) para regar os alimentos após o seu preparo.

Como comprar um bom azeite

O azeite deve ser comprado em embalagens de vidro escuro de 500 ml para que não haja risco de perda de propriedades depois de aberto, nas embalagens maiores, nem oxidar facilmente em embalagens menores. Uma boa dica é não comprar o azeite pensando somente no preço, mas tendo em conta seus benefícios para saúde.

Para potencializar os benefícios do azeite, seu aroma e sabor, o que se pode fazer é adicionar um ramo de alecrim e de outras especiarias dentro do frasco.

A acidez do azeite não deve ultrapassar os 0,5%. Geralmente o azeite extra virgem tem até 1% de acidez, o azeite virgem entre 1,2% e 1,5% de acidez e o refinado entre 1,5% a 2,3% e por isso o melhor azeite para saúde é o azeite extra virgem. Saiba como escolher o melhor azeite.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em dezembro de 2021.

Bibliografia

  • GONÇALVES, Rhayanna P.; MARÇO, Paulo H.; VALDERRAMA, Patrícia. Degradação térmica de tocoferol e produtos de oxidação em diferentes classes de azeite de oliva utilizando espectroscopia UV-VIS e MACR-ALS. Quim. Nova. Vol 38. 6 ed; 864-867, 2015
  • NORTH AMERICAN OLIVE OIL ASSO. Olive Oil: Types and Usage. Disponível em: <https://oldwayspt.org/system/files/atoms/files/Med14_OliveOil_Article_1.pdf>. Acesso em 20 nov 2020
Mostrar bibliografia completa
  • JIMENEZ-LOPEZ, Cecilia; CARPENA, Maria; LOURENÇO-LOPES, Catarina et al. Bioactive Compounds and Quality of Extra Virgin Olive Oil. Foods. Vol 1014. 9 ed; 2020
  • OLIVEIRA Luis, OLIVEIRA Adelson et al. Variação na qualidade do azeite em cultivares de oliveira. Bragantia. 71. 2; 202-209, 2012
  • MACHADO Larissa, VIZENCI Roziani et al. ANÁLISE DO ÍNDICE DE ACIDEZ E ACIDEZ EM ÁCIDO OLEICO EM TRÊS PRODUTOS A BASE DE AZEITE COMERCIALIZADOS NO BRASIL: DOIS AZEITES DE OLIVA EXTRA VIRGEM E UM ÓLEO MISTO. Anais - V Congresso de Pesquisa e Extensão da FSG . 5. 5; 55-57, 2017
  • MINISTÉRIO DE AGRICULTURA, PESCAS E FLORESTAS. Conheça melhor o que comer: Azeite. Disponível em: <http://www.drapc.min-agricultura.pt/base/documentos/azeite.pdf>. Acesso em 23 nov 2020
  • GARCIA ALVES, Ana Catarina. Técnicas analíticas de controlo de qualidade de azeites. Projeto de Estágio, Instituto Politécnico de Tomar.
  • RODRIGUES Marina, ROCHA Marta et al. Azeite e Saúde. Nutrícias. 15. 14-18, 2012
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.