Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Artrite reativa: o que é, tratamento, sintomas e causas

A artrite reativa, anteriormente também conhecida como Síndrome de Reiter, é uma doença inflamatória que se desenvolve logo após ou durante uma infecção bacteriana, geralmente ou gastrointestinal. Devido ao fato de acontecer como consequência de uma infecção, esse tipo de artrite é denominada reativa.

A artrite reativa é composta pela tríade clínica: artrite, uretrite e conjuntivite pós-infecciosas. Essa doença é mais comum de acontecer em adultos jovens com história de infecção nas últimas 4 semanas.

Na maioria dos casos, as pessoas diagnosticadas com artrite reativa melhoram após alguns meses sem que haja necessidade de tratamento, no entanto há chances de voltar a acontecer. O tratamento para esse tipo de artrite é estabelecido pelo clínico geral ou reumatologista de acordo com os sintomas apresentados pelo paciente e com a causa da doença, podendo ser recomendado o uso de anti-inflamatórios, analgésicos, corticoides ou antibióticos.

Artrite reativa: o que é, tratamento, sintomas e causas

Causas da artrite reativa

A artrite reativa normalmente surge como consequência de uma infeção bacteriana urogenital ou intestinal. No caso de infecção urogenital, pode se devido a doenças sexualmente transmissíveis, como a clamídia, por exemplo, que é causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. Quando devido a infecções intestinais, pode ser em função da infecção por Campylobacter sp, Shigella sp ou Salmonella sp, por exemplo.

Essas infecções podem ocorrer por causa do contato íntimo desprotegido, no caso das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), estar associadas à uretrite ou à cervicite, que podem ser assintomáticas, apesar de que na maioria das vezes cursa com dor e ardor ao urinas, além de secreção uretral ou vaginal, ou devido à intoxicação alimentar, no caso das infecções bacterianas intestinais. Além disso, a artrite reativa pode ser causada por infecção viral. Há também relatos de artrite reativa após imunoterapia para câncer de bexiga.

Sintomas da artrite reativa

A artrite reativa é caracterizada por uma tríade de sintomas (artrite, uretrite e conjuntivite), ou seja, na doença são verificados sinais de infecção, de inflamação de articulações e de problema oculares. Assim, os principais sinais e sintomas relacionados à artrite reativa são:

  • Sintomas de infecção:

    • Poliúria, que é a produção de grande quantidade de urina durante o dia;
    • Dor e ardor ao urinar;
    • Presença de sangue na urina;
    • Vontade urgente para urinar;
    • Sinais e sintomas relacionados à prostatite nos homens, como dificuldade para manter a ereção, dor ao ejacular e presença de sangue no sêmen;
    • Sinais e sintomas relacionados à cervicite, salpingite ou vulvovaginite nas mulheres.
  • Sintomas articulares, que pode variar desde uma monoartrite transitória até poliartrite, ou seja, pode haver o envolvimento de uma ou mais articulações:
    • Dor na articulação;
    • Dificuldade para movimentar a articulação acometida;
    • Dor no fundo das costas;
    • Inchaço nas articulações;
    • Inflamação dos tendões e ligamentos associados à articulação.
  • Sintomas oculares:
    • Vermelhidão nos olhos;
    • Lacrimejamento excessivo;
    • Dor ou queimação nos ossos;
    • Inchaço;
    • Ardência dos olhos;
    • Aumento da sensibilidade à luz, chamada de fotofobia.

Além disso, também podem surgir outros sintomas mais gerais como cansaço excessivo, dor nas costas, febre acima de 38ºC, perda de peso, aftas, dor abdominal ou diarreia, por exemplo. Quando surgem estes sintomas é recomendado consultar um clínico geral para avaliar o problema e indicar a necessidade de consultar um reumatologista para iniciar o tratamento adequado.

Artrite reativa: o que é, tratamento, sintomas e causas

Diagnóstico da artrite reativa

O diagnóstico da artrite reativa é basicamente clínico, em que o médico avalia se há os sinais e sintomas característicos da tríade, ou seja, presença de sinais e sintomas relacionados a infecção, inflamação das articulações e problemas nos olhos.

Além disso, o médico pode solicitar a realização de um exame genético com o objetivo de identificar o HLA-B27, que pode ser considerado um marcador que é positivo nos pacientes com artrite reativa. Isoladamente, o HLA-B27 tem pouco valor diagnóstico, não sendo indicada na rotina de atendimento desses pacientes.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a artrite reativa é feito de acordo com os sintomas apresentados pela pessoa e com a causa da doença, sendo normalmente indicado pelo reumatologista o uso de remédios anti-inflamatórios e analgésicos, como por exemplo Paracetamol ou Ibuprofeno. Em alguns casos também pode ser recomendado o uso de corticoides, como a Prednisolona, para reduzir a inflamação dos vários locais do corpo e aliviar os sintomas.

O reumatologista pode indicar também o uso de antibióticos, caso a artrite reativa seja causada por infecção bacteriana e o organismo não é capaz de eliminar a bactéria, no entanto o uso de antibióticos não tem impacto no que diz respeito ao desenvolvimento da doença. Além disso, no caso em que as articulações são afetadas, também pode ser indicada a realização de fisioterapia, que é feita com exercícios que ajudam a recuperar o movimento dos membros e aliviar a dor.

No entanto, nem sempre é possível aliviar completamente todos os sintomas da artrite reativa, desenvolvendo-se uma situação crônica que provoca o surgimento recorrente dos sintomas durante algumas semanas.

Remédios para artrite reativa

Na maioria dos casos de artrite reativa, o médico indica o uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINES) com objetivo de aliviar os sintomas, podendo ser recomendado o uso de Ibuprofeno ou Diclofenaco para diminuir as dores e facilitar a movimentação das articulações. No caso do uso de AINES não ser suficiente, pode ser recomendado o uso de outros medicamentos, como:

  • Corticoides, como Prednisolona ou Betametasona, para diminuir os sintomas de inflamação quando os anti-inflamatórios não são suficientes;
  • Antibióticos, que varia de acordo com o agente infeccioso responsável pela infecção e perfil de sensibilidade do microrganismo.

O tratamento da artrite reativa normalmente dura cerca de 6 meses, mas em alguns casos pode chegar a 1 anos dependendo da gravidade dos sintomas e resposta da pessoa ao tratamento.

Fisioterapia para artrite reativa

O tratamento fisioterápico é importante no tratamento desse tipo de artrite para evitar enrijecimento da articulação. Dessa forma, o fisioterapia indica e realiza alguns exercícios para aliviar os sintomas articulares, aumentar a amplitude do movimento e prevenir deformações que podem acontecer como consequência da doença.

Confira no vídeo a seguir alguns exercícios para artrite:

ARTRITE: exercícios para aliviar a dor

98 mil visualizações

Bibliografia >

  • ORPHANET. Artrite reativa. Disponível em: <https://www.orpha.net/consor/cgi-bin/OC_Exp.php?lng=PT&Expert=29207>. Acesso em 17 Set 2019
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas: Artrite Reativa – Doença de Reiter. 2015. Disponível em: <http://portalarquivos.saude.gov.br/images/pdf/2016/fevereiro/05/Artrite-Reativa---PCDT-Formatado---1150--de-11-de-novembro-de-2015.pdf>. Acesso em 17 Set 2019
  • BMJ - BEST PRACTICE. Artrite reativa. Disponível em: <https://bestpractice.bmj.com/topics/pt-br/597>. Acesso em 17 Set 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem