Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Como usar babosa nas queimaduras (e por que funciona)

Revisão clínica: Manuel Reis
Enfermeiro

A babosa é uma planta medicinal da espécie Aloe vera ou Aloe Barbadensis miller, rica em polissacarídeos mucilaginosos, hormônio do crescimento de fibroblastos, minerais e substâncias com propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e cicatrizantes, sendo por isso, desde a antiguidade, indicada para o tratamento caseiro de queimaduras de primeiro ou segundo graus, sendo capaz de aliviar a dor e estimular a recuperação da pele.

A parte utilizada da babosa para queimaduras é o gel de dentro das duas folhas, devendo-se ter atenção para não usar a a casca da folha da babosa, que tem efeitos tóxicos. Antes de usar o gel da babosa é importante fazer um teste de alergia, passando um pouco do gel no dorso da mão e aguardar por cerca de 2 horas. No caso da pele ficar vermelha ou irritada, não é recomendado o uso do gel de babosa para a queimadura na pele.

A babosa pode ser comprada em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e algumas feiras livres e mercados. Além disso, esta planta pode ainda ser facilmente cultivada em casa, pois não precisa de cuidados especiais.

Imagem ilustrativa número 1

Por que a babosa é boa para queimadura?

A babosa é considerada boa para a queimadura porque possui em sua composição substâncias, como:

  • Polissacarídeos mucilaginosos, como glucomananos e mananos: aumentam a umidade da pele e estimular a produção de fibras colágeno e elastina, deixando a pele mais elástica, menos enrugada e mais suave;
  • Hormônio do crescimento de fibroblastos, como giberelina: interagem com os receptores de crescimento de fibroblastos, estimulando sua atividade e proliferação, resultando no aumento da produção de colágeno, e ajudando na regeneração e cicatrização da pele;
  • Anti-inflamatórios, como C-glicosil cromona, aloína e aloesina: diminuem a produção das prostaglandinas, responsáveis pela inflamação, aliviando os sintomas;
  • Anti-histamínicos, como a barbaloína: reduz a vermelhidão e o inchaço e o desconforto da pele;
  • Antissépticos, como a barbaloína, lupeol, ácido salicílico, nitrogênio ureico, ácido cínico, fenóis e enxofre: ajudam a manter a pele limpa e evitam infecções por fungos, bactérias ou vírus;
  • Analgésicos, como a aloína: ajuda a aliviar os sintomas da queimadura na pele, como dor ou desconforto, além de também ajudar na cicatrização de pele;
  • Minerais, como zinco: tem ação adstringente que ajuda a fechar os poros da pele.

Os resultados mais benéficos da babosa foram observados quando cremes contendo essa planta em sua composição foram aplicados na pele, acelerando o processo de cicatrização e reepitelização, aliviando os sintomas da queimadura. Além disso, em um estudo, foi verificado que a babosa possui principalmente efeitos benéficos no tratamento de queimaduras de primeiro e segundo grau. Apesar disso, mais estudos são necessários e o uso da babosa só deve ser feito sob recomendação médica.

Como usar a babosa nas queimaduras

Para usar a babosa no tratamento de queimaduras deve-se:

  1. Cortar uma folha de babosa no meio;
  2. Retirar o gel do interior da folha, que é a parte transparente que se encontra na parte carnuda da folha;
  3. Aplicar o gel num fina camada sobre a queimadura, evitando locais em que exista alguma ferida ou abertura na pele.

O gel da babosa só deve ser aplicado sobre pele intacta porque pode acabar facilitando o acúmulo de bactérias, o que pode levar ao aparecimento de uma infecção no local.

A babosa pode ainda ser utilizada sob a forma de cremes ou loções vendidas em farmácias e alguns supermercados e, nesses casos, a pele também deve estar intacta. Em qualquer caso, a babosa pode ser aplicada 3 a 4 vezes por dia, para acelerar a cicatrização da pele.

Quem não deve usar

A babosa não deve ser usada por via oral, mas somente sobre a pele com queimadura, pois pode causar algumas lesões no fígado, especialmente se existir, no gel, vestígios da parte externa da folha. Assim, a babosa não deve ser ingerida sem orientação de um médico ou fitoterapeuta.

Além disso, a babosa não deve ser usada em queimaduras de terceiro grau ou com feridas abertas e também não deve ser utilizada por pessoas que têm alergia a essa planta medicinal, sendo por isso importante fazer o teste de alergia antes do seu uso.

O uso da babosa por crianças, mulheres grávidas ou em amamentação deve ser evitado.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em novembro de 2022. Revisão clínica por Manuel Reis - Enfermeiro, em novembro de 2022.

Bibliografia

  • AKEV, N.; et al. Twenty years of research on Aloe ver. 45. 2; 191-215, 2015
  • HEKMATPOU, D.; et al. The Effect of Aloe Vera Clinical Trials on Prevention and Healing of Skin Wound: A Systematic Review. Iran J Med Sci. 44. 1; 1–9, 2019
Mostrar bibliografia completa
  • SURJUSHE, A. S.; et al. ALOE VERA: A SHORT REVIEW. Indian J Dermatol. 53. 4; 163–166, 2008
  • AMERICAN ACADEMY OF DERMATOLOGY. How to treat sunburn. Disponível em: <https://www.aad.org/public/everyday-care/injured-skin/burns/treat-sunburn>. Acesso em 24 jan 2020
  • SAHU, Pankaj K. et al. Therapeutic and Medicinal Uses of Aloe vera: A Review. Pharmacology & Pharmacy. 4 ed; 599-610, 2013
  • MAENTHAISONG, Ratree et al. The efficacy of aloe vera used for burn wound healing: A systematic review. Burns. Vol 33. 6 ed; 713-718, 2007
  • FREITAS, V.S.; RODRIGUES, R.A.F.; GASPI, F.O.G. Propriedades farmacológicas da Aloe vera (L.) Burm. f.. Rev. Bras. Pl. Med., Campinas. Vol 16. 2 ed; 299-307, 2014
  • PARENTE, Leila Maria L. et al. Aloe vera: características botânicas, fitoquímicas e terapêuticas. Arte Médica Ampliada. Vol 33. 4 ed; 160-164, 2013
  • FERREIRA, Francis V.; DE PAULA, Larissa B. Sulfadiazina de prata versus medicamentos fitoterápicos: estudo comparativo dos efeitos no tratamento de queimaduras. Rev Bras Queimaduras. Vol 12. 3 ed; 132-139, 2013
  • HASHEMI, Seyyed A.; MADANI, Seyyed A.; ABEDIANKENARI, Saied. The Review on Properties of Aloe Vera in Healing of Cutaneous Wounds. BioMed Research International. 2015
Revisão clínica:
Manuel Reis
Enfermeiro
Pós-graduado em fitoterapia clínica e formado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, em 2013. Membro nº 79026 da Ordem dos Enfermeiros.

Tuasaude no Youtube

  • QUEIMADURA: o que fazer

    03:01 | 138940 visualizações
  • TRAILER | Acidentes domésticos

    01:18 | 13919 visualizações
  • Como fazer KIT PRIMEIROS SOCORROS

    03:38 | 116947 visualizações
  • O que fazer em caso de QUEIMADURA

    03:27 | 162318 visualizações