Como usar babosa nas queimaduras (e por que funciona)

Baseado em evidência científica
Atualizado em novembro 2022

A babosa é uma planta medicinal da espécie Aloe vera ou Aloe Barbadensis miller, rica em polissacarídeos mucilaginosos, hormônio do crescimento de fibroblastos, minerais e substâncias com propriedades anti-inflamatórias, antissépticas e cicatrizantes, sendo por isso, desde a antiguidade, indicada para o tratamento caseiro de queimaduras de primeiro ou segundo graus, sendo capaz de aliviar a dor e estimular a recuperação da pele.

A parte utilizada da babosa para queimaduras é o gel de dentro das duas folhas, devendo-se ter atenção para não usar a a casca da folha da babosa, que tem efeitos tóxicos. Antes de usar o gel da babosa é importante fazer um teste de alergia, passando um pouco do gel no dorso da mão e aguardar por cerca de 2 horas. No caso da pele ficar vermelha ou irritada, não é recomendado o uso do gel de babosa para a queimadura na pele.

A babosa pode ser comprada em lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e algumas feiras livres e mercados. Além disso, esta planta pode ainda ser facilmente cultivada em casa, pois não precisa de cuidados especiais.

Imagem ilustrativa número 1

Por que a babosa é boa para queimadura?

A babosa é considerada boa para a queimadura porque possui em sua composição substâncias, como:

  • Polissacarídeos mucilaginosos, como glucomananos e mananos: aumentam a umidade da pele e estimular a produção de fibras colágeno e elastina, deixando a pele mais elástica, menos enrugada e mais suave;
  • Hormônio do crescimento de fibroblastos, como giberelina: interagem com os receptores de crescimento de fibroblastos, estimulando sua atividade e proliferação, resultando no aumento da produção de colágeno, e ajudando na regeneração e cicatrização da pele;
  • Anti-inflamatórios, como C-glicosil cromona, aloína e aloesina: diminuem a produção das prostaglandinas, responsáveis pela inflamação, aliviando os sintomas;
  • Anti-histamínicos, como a barbaloína: reduz a vermelhidão e o inchaço e o desconforto da pele;
  • Antissépticos, como a barbaloína, lupeol, ácido salicílico, nitrogênio ureico, ácido cínico, fenóis e enxofre: ajudam a manter a pele limpa e evitam infecções por fungos, bactérias ou vírus;
  • Analgésicos, como a aloína: ajuda a aliviar os sintomas da queimadura na pele, como dor ou desconforto, além de também ajudar na cicatrização de pele;
  • Minerais, como zinco: tem ação adstringente que ajuda a fechar os poros da pele.

Os resultados mais benéficos da babosa foram observados quando cremes contendo essa planta em sua composição foram aplicados na pele, acelerando o processo de cicatrização e reepitelização, aliviando os sintomas da queimadura. Além disso, em um estudo, foi verificado que a babosa possui principalmente efeitos benéficos no tratamento de queimaduras de primeiro e segundo grau. Apesar disso, mais estudos são necessários e o uso da babosa só deve ser feito sob recomendação médica.

Como usar a babosa nas queimaduras

Para usar a babosa no tratamento de queimaduras deve-se:

  1. Cortar uma folha de babosa no meio;
  2. Retirar o gel do interior da folha, que é a parte transparente que se encontra na parte carnuda da folha;
  3. Aplicar o gel num fina camada sobre a queimadura, evitando locais em que exista alguma ferida ou abertura na pele.

O gel da babosa só deve ser aplicado sobre pele intacta porque pode acabar facilitando o acúmulo de bactérias, o que pode levar ao aparecimento de uma infecção no local.

A babosa pode ainda ser utilizada sob a forma de cremes ou loções vendidas em farmácias e alguns supermercados e, nesses casos, a pele também deve estar intacta. Em qualquer caso, a babosa pode ser aplicada 3 a 4 vezes por dia, para acelerar a cicatrização da pele.

Quem não deve usar

A babosa não deve ser usada por via oral, mas somente sobre a pele com queimadura, pois pode causar algumas lesões no fígado, especialmente se existir, no gel, vestígios da parte externa da folha. Assim, a babosa não deve ser ingerida sem orientação de um médico ou fitoterapeuta.

Além disso, a babosa não deve ser usada em queimaduras de terceiro grau ou com feridas abertas e também não deve ser utilizada por pessoas que têm alergia a essa planta medicinal, sendo por isso importante fazer o teste de alergia antes do seu uso.

O uso da babosa por crianças, mulheres grávidas ou em amamentação deve ser evitado.

Marque consulta com um Dermatologista perto de você!

Atendemos mais de 150 convênios em 7 estados do Brasil*.

Marcar Consulta

*Rio de Janeiro, São Paulo, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Sergipe e Distrito Federal

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender