Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é alergia emocional, sintomas e tratamento

Dezembro 2019

A alergia emocional é uma condição que aparece quando as células de defesa do corpo reagem diante de situações que geram estresse e ansiedade, levando a alterações em diferentes órgãos do corpo, principalmente na pele. Por isso, os sintomas deste tipo de alergia são mais visíveis na pele, como coceira, vermelhidão e surgimento de urticária, no entanto, podem surgir falta de ar e insônia.

As causas da alergia emocional não estão bem definidas, mas podem acontecer porque o estresse e a ansiedade aumentam a produção de algumas substâncias, chamadas de catecolaminas, e faz com que ocorra a liberação do hormônio cortisol, e isto provoca uma reação inflamatória no corpo.

O tratamento para este tipo de alergia é muito parecido com o tratamento para outros tipos de alergias e baseia-se no uso de medicamentos anti-alérgicos. Porém, se os sintomas durarem mais de 15 dias ou piorarem é recomendado fazer terapia com psicólogo e consultar um dermatologista, que poderá receitar outros remédios como corticoides e medicamentos para diminuir a ansiedade. Confira alguns remédios usados para aliviar a ansiedade.

O que é alergia emocional, sintomas e tratamento

Principais sintomas

A alergia emocional provocada pelo estresse e ansiedade apresenta sintomas que variam de uma pessoa para outra, dependendo da idade, da intensidade dos sentimentos, da maneira como a pessoa se comporta nas dificuldades e da predisposição genética, podendo ser:

  • Coceira;
  • Vermelhidão na pele;
  • Manchas vermelhas em alto relevo, conhecidas como urticárias;
  • Falta de ar;
  • Insônia.

As manifestações da pele são as mais comuns, pois possuem terminações nervosas que estão diretamente ligadas ao sentimento de estresse e ansiedade. E ainda, pessoas que têm outros tipos de doenças como asma, rinite, dermatite atópica e psoríase também podem apresentar piora dos sintomas ou das lesões de pele por causa do sofrimento emocional. Saiba mais como identificar a psoríase.

Como é feito o tratamento

O tratamento para esse tipo de alergia deve ser recomendado por um dermatologista e, geralmente, consiste no uso de medicamentos antialérgico para aliviar a coceira e a vermelhidão da pele, no entanto, se as reações da alergia emocional durarem mais de duas semanas e forem muito fortes o médico poderá recomendar a utilização de corticoides orais ou pomadas com corticoides.

Além disso, para auxiliar no tratamento e gerar melhores resultados pode ser recomendado remédios para diminuir a ansiedade e o estresse, assim como, pode ser indicado realizar atividades de lazer e sessões de psicoterapia. Veja mais o que é psicoterapia e como é feita.

Possíveis causas

As causas da alergia emocional ainda não estão bem definidas, porém o que se sabe é que os sentimentos de estresse e ansiedade provocam alterações no corpo, levando a liberação de substâncias, chamadas de catecolaminas, responsáveis pela reação inflamatória na pele.

O estresse e a ansiedade fazem com que ocorra uma reação das células de defesa do corpo levando a uma hipersensibilidade do sistema imunológico, que pode ser notado por alterações na pele e piora dos sintomas de outras doenças autoimunes.

A liberação do hormônio cortisol, produzido em momentos de estresse, também pode repercutir na pele, através do processo inflamatório que ele provoca a longo prazo. Muitas vezes, a predisposição genética também pode gerar sintomas de alergia emocional.

Para ajudar a aliviar os sintomas de alergia emocional, é necessário controlar o estresse e ansiedade, veja mais como fazer isto:

Alimentos para combater o estresse e a ansiedade

251 mil visualizações

Bibliografia >

  • LUDWIG, Martha W.B. et al. Localização da lesão e níveis de stress em pacientes dermatológicos. Estudos de Psicologia. Vol.25, n.3. 343-352, 2008
  • CALADO, Gisela; LOUREIRO, Graça et al. Stress e doença alérgica: Mecanismos subjacentes. Rev Port Imunoalergologia. Vol.20, n.1. 9-21, 2012
  • REIGOTA, Catarina P. Stress e doença alérgica. Dissertação de mestrado, 2016. FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA.
  • DAVE, Ninabahen D. et al. Stress and Allergic Diseases. Immunol Allergy Clin North Am. Vol.31, n.1. 55-68, 2011
  • PATTERSON, Amber M. et al. Perceived stress predicts allergy flares. Ann Allergy Asthma Immunol. Vol.112. 317-321, 2014
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem