Ácido fólico: o que é e para que serve

O ácido fólico, também conhecido por vitamina B9 ou folato, é uma vitamina que faz parte do complexo B e que participa em várias funções no organismo, principalmente na formação das células responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento humano.

Além disso, o ácido fólico é importante também para manter a saúde do cérebro, das artérias e do sistema imunológico, prevenindo doenças como infarto, câncer e demência. Essa vitamina pode ser encontrada em diversos alimentos como espinafre, feijão e levedura de cerveja, no entanto também pode ser obtida em forma de suplemento que pode ser encontrado em farmácias ou lojas de produtos naturais.

A quantidade de ingestão diária recomendada do ácido fólico varia de acordo com a idade e a deficiência da vitamina pode gerar problemas de saúde, como derrame, anemia, depressão, doença de Alzheimer e alguns tipos de câncer. Além disso, a deficiência do ácido fólico também pode causar problemas de saúde durante a gravidez, como pressão alta durante a gestação e baixo peso do bebê ao nascer. Entenda melhor sobre a importância e como tomar o ácido fólico durante a gravidez.

Ácido fólico: o que é e para que serve

Para que serve o ácido fólico

O ácido fólico é necessário para diversas funções, como:

  • Manter a saúde do cérebro, prevenindo problemas como depressão, demência e Alzheimer, já que o ácido fólico participa da produção de dopamina e de noradrenalina, neurotransmissores que ajudam a melhorar a concentração, a memória e a motivação;
  • Participar na formação do sistema nervoso do bebê, prevenindo problemas graves, como a espinha bífida e a anencefalia na criança;
  • Prevenir a anemia, pois estimula a formação de células do sangue, incluindo as hemácias, plaquetas e glóbulos brancos;
  • Manter a saúde da pele e dos cabelos, pois o ácido fólico é um dos responsáveis pelo crescimento e manutenção da saúde da pele e dos cabelos.
  • Prevenir alguns tipos de câncer, como o de cólon, pulmão, mama e pâncreas, pois o ácido fólico previne alterações malignas nas células.

Além disso, o ácido fólico evita a formação de placas de ateroma, ajudando a manter a saúde dos vasos sanguíneos e prevenindo doenças como aterosclerose, infarto e derrame, por exemplo.

Alimentos fontes de ácido fólico

Os principais alimentos fonte de ácido fólico são os vegetais verde escuros, como a rúcula e o espinafre, as leguminosas, como lentilha e feijão fradinho, as gorduras boas, como a semente de gergelim, e as vísceras, como fígado de boi ou de frango. Veja uma lista com os alimentos ricos em ácido fólico.

Quantidade recomendada de ácido fólico

A quantidade de ácido fólico presente nos alimentos que se deve consumir por dia varia de acordo com a idade e se a mulher está grávida ou amamentando:

  • 0 a 6 meses: 65 mcg;
  • 7 a 12 meses: 80 mcg;
  • 1 a 3 anos: 150 mcg;
  • 4 a 8 anos: 200 mcg;
  • 9 a 13 anos: 300 mcg;
  • 14 anos ou mais: 400 mcg;
  • Mulheres grávidas: 600 mcg;
  • Mulheres amamentando: 500 mcg.

A suplementação com ácido fólico geralmente é recomendada em casos de deficiência dessa vitamina, quando se tem anemia, para gestantes e mulheres que estão amamentando, devendo ser feita com orientação de um médico. Veja quando e como usar o suplemento de ácido fólico.

Consequências da falta de ácido fólico

A deficiência por pouco tempo de ácido fólico pode causar alguns sintomas, como perda de apetite, fraqueza, dor de cabeça, náuseas, diarreia, vômitos e queda de cabelo. Já a deficiência da vitamina por longos períodos pode gerar doenças do coração, como infarto e derrame, além de causar anemia, depressão, doença de Alzheimer e alguns tipos de câncer. 

Além disso, a deficiência do ácido fólico também está relacionada a problemas de saúde durante a gravidez, como pressão alta, aborto e parto prematuro. Já nos recém nascidos, a deficiência da vitamina pode causar baixo peso ao nascer e malformações, como a espinha bífida, que é a falha na coluna vertebral e na medula espinhal da criança, a fenda palatina, que é quando o bebê nasce com o céu da boca aberto, e lábio leporino, quando o lábios do bebê tem uma abertura que pode chegar até o nariz.

O excesso de ácido fólico pode causar sintomas?

A quantidade máxima recomendada de ácido fólico por dia é de 1000 mcg, quantidade que geralmente não é ultrapassada somente quando se consome os alimentos fontes da vitamina. Em casos de ingestão excessiva, parte da vitamina é eliminada através da urina, mas outra parte fica armazenada no fígado, podendo causar sintomas como febre, perda de apetite, náuseas, coceira na pele, dor no estômago ou dificuldade para respirar.

Assim, é importante ter cuidado quando se faz suplementação de ácido fólico, pois a vitamina além de acabar se acumulando no corpo pode ainda interferir na absorção do mineral zinco na alimentação. Já no caso do uso de medicamentos para convulsão ou reumatismo, o suplemento de ácido fólico pode causar convulsão, devendo ser consumido somente com orientação médica. Conheça mais sobre as recomendações do suplemento de ácido fólico.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Karla S. Leal, Nutricionista - em Julho de 2021. Revisão clínica por Tatiana Zanin, Nutricionista - em Junho de 2017.

Bibliografia

  • COZZOLINO Silvia. Biodisponibilidade de nutrientes. 4º. Brasil: Manole Ltda, 2012. 495-511.
  • NATIONAL INSTITUTE OF HEALTH - OFFICE OF DIETARY SUPPLEMENTS. Dietary Reference Intakes (DRIs): Recommended Dietary Allowances and Adequate Intakes, Vitamins. 2011. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK56068/table/summarytables.t2/?report=objectonly>. Acesso em 08 Jul 2021
  • INTERNATIONAL LIFE SCIENCES INSTITUTE DO BRASIL . Funções Plenamente Reconhecidas de Nutrientes: Ácido Fólico. 2010. Disponível em: <https://nutritotal.com.br/pro/wp-content/uploads/sites/3/2019/03/Fun%C3%A7%C3%A3o_A%CC%81cido-Fo%CC%81lico.pdf>. Acesso em 08 Jul 2021
  • ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE. Diretriz: Suplementação intermitente de ferro e ácido fólico em gestantes não anêmicas. 2013. Disponível em: <http://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/75335/9789248502019_por.pdf?sequence=9>. Acesso em 08 Jul 2021
Mais sobre este assunto: