Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é Abscesso Cerebral e como identificar

Abscesso cerebral é uma coleção de pus, envolta por uma cápsula, localizada no tecido cerebral. Ele surge devido a infecções por bactérias, fungos, micobactérias ou parasitas, e pode provocar sintomas como dor de cabeça, febre, vômitos e alterações neurológicas, como perda da força ou crises convulsivas, a depender do seu tamanho e localização.

Geralmente, o abscesso cerebral surge como uma complicação grave de uma infecção já existente no organismo, como uma otite, sinusite profunda ou infecção dentária, por exemplo, seja pela propagação da infecção ou pela disseminação através do sangue, mas também acontece em decorrência de uma contaminação por cirurgia cerebral ou um traumatismo no crânio. 

O tratamento é feito com medicamentos que combatem o microorganismo causador, como antibióticos ou antifúngicos, e em muitos casos também é necessário realizar uma drenagem cirúrgica do pus acumulado, favorecendo a cura e uma recuperação mais rápida. 

O que é Abscesso Cerebral e como identificar

Principais sintomas

Os sintomas do abscesso cerebral são variáveis de acordo com o microorganismo causador, a imunidade da pessoa, assim como a localização e o tamanho da lesão. Alguns dos principais sintomas incluem:

  • Dor de cabeça;
  • Náuseas e vômitos;
  • Convulsões;
  • Alterações neurológicas localizadas, como alterações na visão, dificuldades na fala ou perda da força ou sensibilidade em partes do corpo, por exemplo;
  • Rigidez de nuca.

Além disso, caso provoque inchaço cerebral ou seja muito volumoso, o abscesso também pode causar sinais e sintomas de hipertensão intracraniana, como vômitos súbitos e alterações da consciência. Entenda melhor sobre o que é e o que causa a hipertensão intracraniana.

Como confirmar

O diagnóstico de abscesso cerebral é feito pelo médico, a partir da avaliação clínica, exame físico e solicitação de exames como tomografia computadorizada ou ressonância magnética, que evidenciam alterações típicas das fases da doença, como inflamação cerebral, áreas de necrose e a coleção de pus envolta por uma cápsula.

Exame de sangue como hemograma, marcadores de inflamação e culturas de sangue podem ajudar a identificar a infecção e o agente causador.

Quem tem mais risco

Geralmente, o abscesso cerebral é derivado de alguma infecção já existente no organismo, e as pessoas que têm maior chance de desenvolver esta complicação incluem:

  • Pessoas com a imunidade comprometida, como portadores de AIDS, transplantados, em uso de remédios imunossupressores ou desnutridos, por exemplo;
  • Usuários de drogas ilícitas injetávies,
  • Portadores de infecções respiratórias como sinusites, otites, matoidites ou pneumonias;
  • Pessoas com quadro de endocardite aguda;
  • Portadores de infecções dentárias;
  • Diabéticos;
  • Pessoas que apresentaram infecções pulmonares como empiema ou abscessos no pulmão. Saiba como se forma o abscesso pulmonar e o que fazer;
  • Vítimas de traumatimo craniano ou que passaram por uma cirurgia craniana, por introdução direta de bactérias na região. 

Alguns dos micro-organismos que costumam causar abscesso cerebral são bactérias como estafilococos ou Estreptococos, fungos, como Aspergilus ou Candida, parasitas, como o Toxoplasma gondii, causador da toxoplasmose, ou mesmo a micobactéria Mycobacterium tuberculosis, causador da tuberculose.

Como é feito o tratamento

O tratamento do abscesso cerebral é feito com o uso de potentes antimicrobianos, como antibióticos ou antifúngicos, na veia, para combater o microorganismo causador. Além disso, costuma ser indicada a drenagem do abscesso, em centro cirúrgico, por um neurocirurgião.

É necessário ainda permacecer internado por mais alguns dias, para observação da melhora clínica e acompanhamento dos exames.

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar