11 dicas para acabar com a candidíase rápido

fevereiro 2022

A candidíase é uma infecção causada pelo excesso de fungo Candida albicans na região íntima e, por isso, a melhor forma de tratamento passa por utilizar pomadas ou remédios antifúngicos, que devem ser receitados por um ginecologista ou urologista.

No entanto, existem várias dicas que podem acelerar o processo de recuperação, aliviando os sintomas e trazendo mais conforto para o dia a dia.

Embora estas dicas sejam bastante eficazes tanto para tratar como prevenir uma nova infecção, não devem substituir o tratamento indicado pelo médico. Isso significa que a avaliação médica é sempre aconselhada para iniciar o tratamento, e as dicas devem apenas complementar o uso dos remédios indicados pelo ginecologista ou urologista. Veja as principais pomadas e medicamentos indicados para candidíase.

1. Não ficar com roupa molhada

O fungo da candidíase cresce em ambientes úmidos e quentes, o que torna a região íntima propícia para o crescimento desse fungo. Depois de ir à praia, piscina, sauna ou depois de usar uma banheira é importante trocar a roupa íntima, o biquíni ou o maiô o mais rápido possível, para evitar que a região íntima fique mais úmida e quente, evitando a multiplicação da Candida albicans e o agravamento da candidíase.

Além disso, secar bem a região íntima com uma toalha macia ao tirar a roupa que está molhada também é fundamental para evitar o crescimento do fungo da candidíase.

2. Usar roupas de material orgânico

Usar roupa de materiais sintéticos como lycra, microfibra ou elastano, podem agravar a irritação da região íntima, já que são menos "respiráveis", aumentando a transpiração e abafamento da região, o que facilita o desenvolvimento de fungos.

Por isso, é recomendado o uso de roupas de material orgânico, como o algodão, além de roupas leves e folgadas, que permitam maior ventilação da pele.

3. Manter uma higiene íntima adequada 

Manter a higiene da região íntima adequada ajuda a manter o equilíbrio da flora bacteriana e evitar a proliferação do fungo da candidíase. O ideal é usar sabonetes de pH neutro e água, lavando somente a parte externa com movimentos suaves.

4. Dormir sem roupa íntima

Dormir sem roupa íntima é uma ótima opção para ajudar a evitar o agravamento da candidíase, pois a região íntima fica menos abafada, mais ventilada e menos úmida, dificultando a proliferação do fungo causador da candidíase que necessita de ambiente úmido e quente para proliferar. 

5. Evitar o uso de desodorantes íntimos

Os desodorantes íntimos servem para aumentar a sensação de frescor na região, no entanto, podem causar irritação, alergia e alterar o pH da região, o que pode facilitar o desenvolvimento de fungos.

O ideal é evitar completamente o uso de desodorantes íntimos ou utilizar apenas na virilha e na parte externa da região íntima.

6. Evitar duchas íntimas femininas

O uso da ducha íntima, em que se lava dentro do canal vaginal, é relativamente comum entre as mulheres mas pode aumentar o risco de desenvolver ou agravar a candidíase. Isto ocorre porque a ducha íntima destrói a flora vaginal, causando o desequilíbrio de fungos e bactérias saudáveis presentes naturalmente na vagina e, por isso, aumenta as chances de aparecimento da candidíase.  

7. Evitar absorventes diários

Os absorventes diários geralmente são usados para manter a calcinha seca e limpa ao longo do dia, no entanto, o uso diário pode abafar a região íntima deixando-a mais úmida e quente, o que favorece o crescimento do fungo que causa a candidíase.

Por isso, evitar o uso de absorventes diários, especialmente durante a infecção, é importante para prevenir o agravamento da candidíase.

8. Evitar usar lenços umedecidos

Os lenços umedecidos, apesar de muito práticos, pode causar irritação ou alergia na região íntima, levando ao descontrole do pH e da flora bacteriana, o que pode causar multiplicação do fungo da candidíase.

9. Lavar a roupa íntima corretamente 

Os sabões com corantes ou com perfumes não devem ser utilizados na lavagem da roupa íntima pois possuem várias substâncias químicas que podem irritar ou causar alergias na região íntima, facilitando o desenvolvimento de fungos.

O ideal é utilizar sabão especial para roupa íntima, além de evitar misturar a roupa íntima com outras roupas na máquina de lavar e secar em ambiente arejado ou pendurada ao sol.

10. Diminuir o consumo de açúcar e carboidratos simples

Os alimentos como pão, queijo, chocolate, bolos e doces, por exemplo, devem ser evitados ou ter seu consumo diminuído, pois aumentam a quantidade de açúcar no sangue, deixam o corpo mais ácido e levam ao descontrole do pH, favorecendo a proliferação da Candida albicans e dificultando o tratamento.

Por isto, deve-se evitar o consumo de açúcar e carboidratos simples, dando preferência para alimentos que fortalecem o sistema imune, como frutas, legumes, peixes e castanhas. 

11. Beber chás que fortalecem o sistema imune  

Uma boa forma de evitar o agravamento da candidíase e ajudar no tratamento é fortalecer o sistema imunológico com o uso de plantas medicinais, como a equinácea ou o gengibre, que podem ser utilizadas na forma de chás.

Confira uma lista dos chás que ajudam a fortalecer o sistema imune e como tomar.

Veja também, no vídeo a seguir, outras dicas para fortalecer o sistema imune:

 

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em fevereiro de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em dezembro de 2020.

Bibliografia

  • LIM, T. K. Glycyrrhiza glabra. Edible Medicinal and Non-Medicinal Plants. 10. 354–457, 2015
  • BROWN, Paula N.; et al. Determination of Major Phenolic Compounds in Echinacea spp. Raw Materials and Finished Products by High-Performance Liquid Chromatography with Ultraviolet Detection: Single-Laboratory Validation Matrix Extension. Journal of Association of Official Analytical Chemists International. 94. 5; 1400–1410, 2011
Mostrar bibliografia completa
  • MARTINS, Natália; et al. Candidiasis: Predisposing Factors, Prevention, Diagnosis and Alternative Treatment. Mycopathologia. 177. 5-6; 223-240, 2014
  • CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Vaginal Candidiasis. Disponível em: <https://www.cdc.gov/fungal/diseases/candidiasis/genital/index.html>. Acesso em 13 nov 2020
  • MAYO CLINIC. Yeast infection (vaginal). Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/yeast-infection/symptoms-causes/syc-20378999#:~:text=To%20reduce%20your%20risk%20of,that%20protect%20you%20from%20infection>. Acesso em 13 nov 2020
  • WATSON, C.J.; et al. Use of complementary and alternative medicine in recurrent vulvovaginal candidiasis—–Results of a practitioner survey. Complementary Therapies in Medicine. 20. 4; 218-221, 2012
  • KESSEL, Katherine Van; et al. Common Complementary and Alternative Therapies for Yeast Vaginitis and Bacterial Vaginosis: A Systematic Review. Obstetrical and Gynecological Survey. 58. 5; 351-358, 2003
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.

Tuasaude no Youtube

  • 3 receitas gostosas para Aumentar a Imunidade naturalmente

    04:17 | 245173 visualizações
  • COMO FORTALECER O SISTEMA IMUNOLÓGICO

    04:24 | 203934 visualizações
  • Como CURAR NATURALMENTE a candidíase

    06:24 | 1963304 visualizações