Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Zimbro: o que é, para que serve e como consumir

O zimbro é uma planta medicinal da espécie Juniperus communis, conhecida como cedro, junípero, genebreiro, junípero comum ou zimbrão, que produz frutos redondos e azulados ou negros. Os frutos são também conhecidos como bagas de zimbro e são ricos em óleos como o mirceno e o cineol, além de flavonóides e vitamina C, sendo utilizados para tratar vários problemas de saúde, especialmente problemas de estômago e da pele, inflamação e infecções urinárias.

Embora tenha diversos benefícios para a saúde, o uso do zimbro também pode causar vários efeitos colaterais, principalmente quando a planta é consumida em quantidade excessiva e por mais de 6 semanas e incluem problemas renais, gastrointestinais, aumento de contrações uterinas, aborto e irritação da bexiga. O zimbro é contraindicado para mulheres grávidas e por pessoas com nefrite.

O zimbro pode ser comprado em lojas de produtos naturais ou feiras livres. No entanto, seu uso deve ser sempre feito com orientação de um médico ou outro profissional de saúde que tenha experiência com o uso de plantas medicinais.

Zimbro: o que é, para que serve e como consumir

Os principais benefícios do zimbro são:

1. Elimina fungos e bactérias

O zimbro possui óleos essenciais como o sabineno, limoneno, mirceno e pineno capazes de eliminar fungos, principalmente os fungos de pele, como a Candida sp. e bactérias como:

  • Escherichia coli que causa infecção urinária;

  • Staphylococcus aureus que causam infecções pulmonares, de pele e ósseas;

  • Hafnia alvei que fazem parte da flora intestinal normal, mas que também podem causar pneumonia, infecção urinária, infecção nos rins e algumas doenças intestinais;

  • Pseudomonas aeruginosa que causam infecções pulmonares, infecções nos ouvidos e infecções urinárias.

Além disso, o extrato alcoólico do zimbro também possui ação contra bactérias, incluindo a Campylobacter jejuni que pode causar intoxicação alimentar e o Staphylococcus aureus que é capaz de causar infecções na pele, nos pulmões e nos ossos.

2. Tem ação anti-inflamatória

Os óleos essenciais e os flavonoides como rutina, luteolina e apigenina presentes no extrato hidro-alcoólico do zimbro, funcionam como anti inflamatórios potentes, sendo muito úteis no tratamento de inflamações na garganta e no intestino, além de ajudar a diminuir dores musculares e nas juntas e tendinite, por exemplo, pois reduz a produção de substâncias inflamatórias como as prostaglandinas e citocinas.

3. Combate a infecção urinária

O zimbro tem ação diurética, aumentando a produção de urina e limpando a uretra. Por isso, pode ser usado para auxiliar o tratamento de infecções urinárias e prevenir a formação de pedras nos rins.

O aumento da produção de urina causado pelos óleos essenciais presentes no zimbro também auxilia no combate de problemas reumáticos como gota ou artrite por aumentar a eliminação de ácido úrico pela urina.

4. Reduz o inchaço

O chá de zimbro pode ser usado para ajudar a reduzir o inchaço, diminuindo a retenção de líquidos em todo o corpo devido suas propriedades diuréticas, sendo muito útil especialmente em casos de problemas nos rins.

Zimbro: o que é, para que serve e como consumir

5. Melhora o funcionamento do sistema digestivo

Os óleos essenciais presentes no zimbro melhoram a digestão por controlar o fluxo da bile do fígado e dos ácidos do estômago, e aumentar a produção de enzimas digestivas, regulando o processo digestivo. Além disso, as propriedades adstringentes do zimbro reduzem a acidez do estômago e, assim, auxilia no tratamento da úlcera.

O zimbro também protege o fígado, reduz a produção de gases intestinais, combate a diarreia e auxilia o tratamento de vermes e infecções intestinais.

6. Tem ação antioxidante

O zimbro possui compostos fenólicos na sua composição como bioflavonoides e terpenos como o sabineno, limoneno, mirceno e pineno que possuem ação antioxidante, combatendo os radicais livres e reduzindo os danos nas células. Assim, o zimbro ajuda a prevenir e combater doenças associadas ao stress oxidativo causado pelos radicais livres como a aterosclerose.

Além disso, alguns estudos em animais mostram que o óleo de zimbro, por causa suas propriedades antioxidantes, confere um efeito protetor no sistema nervoso, podendo auxiliar no tratamento das doenças de Parkinson e Alzheimer. Entretanto, ainda ainda são necessários estudos em humanos.

7. Protege contra doenças cardiovasculares

O zimbro possui na sua composição óleos essenciais como totarol e os flavonóides como a rutina que possuem ação anti-inflamatória e antioxidante que ajudam na redução da absorção do colesterol, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares como o infarto do miocárdio e a aterosclerose.

Além disso, a propriedade diurética do zimbro também ajuda a controlar a pressão sanguínea, essencial para o bom funcionamento do sistema cardiovascular.

8. Controla a glicemia

Alguns estudos mostram que os flavonoides como a rutina e a amentoflavona no extrato alcoólico e no chá do zimbro podem estimular a produção de insulina e reduzir os níveis de açúcar no sangue, podendo ser um importante aliado no tratamento da diabetes.

Zimbro: o que é, para que serve e como consumir

9. Diminui a dor

O extrato alcoólico do zimbro possui substâncias como pineno, linalol e octanol com efeito analgésico e flavonóides como rutina, luteolina e apigenina com efeito anti-inflamatório, ajudando a diminuir a dor por inibir a atividade de substâncias envolvidas na dor como a ciclooxigenase, por exemplo.

10. Tem ação calmante

O aroma do óleo essencial do zimbro tem propriedades calmantes e, assim, pode auxiliar no sono, ajudando a combater a insônia e a melhorar a qualidade do sono. O óleo essencial pode ser usado inalado diretamente do frasco ou pode-se tomar o chá de zimbro antes de dormir.

11. Combate problemas respiratórios

Os antioxidantes do zimbro, como a rutina e o sugiol, estão relacionados com a melhora da asma e da bronquite, principalmente quando o óleo essencial é usado para fazer a vaporização.

12. Melhora a qualidade da pele

A vitamina C, os antioxidantes e as substâncias anti-inflamatórias presentes no zimbro tonificam e limpam a pele por serem antissépticas e adstringentes, melhorando a qualidade da pele, além de tratar problemas como alergias, acne, eczema, psoríase e caspa no couro cabeludo.

O zimbro também pode ser usado em feridas da pele devido às suas propriedades antibacterianas.

Como usar o zimbro

Zimbro: o que é, para que serve e como consumir

A parte normalmente utilizada do zimbro é o seu fruto inteiro de onde são extraídas suas substâncias ativas e pode ser consumido na forma de chá, tintura, também chamada de extrato alcoólico, ou usado na forma de óleo essencial ou na forma de pomadas e cremes para a pele.

As principais formas de usar o zimbro são:

  • Chá de zimbro: colocar 2 a 3 bagas de zimbro (fruto) em uma xícara de água fervente e tampar. Deixar repousar por 5 minutos e filtrar. Recomenda-se beber no máximo 1 a 3 xícaras por dia durante o período máximo de 6 semanas;

  • Tintura de zimbro (para uso externo): a tintura ou extrato alcoólico pode ser comprado em farmácias de produtos naturais, ervanários ou feita em casa. Para preparar a tintura, esmagar 10 de bagas de zimbro em 1 xícara de álcool de cereais 70% ou aguardente. Colocar a mistura em um recipiente limpo, escuro e tampado e deixar curtir por 1 semana, mas é importante mexer o frasco todos os dias para extrair os componentes do zimbro. Após esse período, filtrar e guardar. A tintura pode ser usada sobre a pele nos casos de reumatismo ou para dores musculares;

  • Óleos essenciais de zimbro (para uso externo): o óleo essencial de zimbro pode ser utilizado como aromatizante, em vaporização para problemas pulmonares ou sobre a pele quando misturado com outro óleo vegetal, como o de amêndoas. Veja outras formas de usar o óleo essencial.

  • Creme ou pomada de zimbro (para uso externo): o creme ou pomada de zimbro podem ser comprados em farmácias de produtos naturais e usados sobre a pele em casos de dor muscular ou nas articulações, cãibras, reumatismo, gota ou artrite.

Outra forma de usar o zimbro é em banhos de assento para tratar hemorroidas, devido suas propriedades anti-inflamatórias, e deve ser preparado usando 1 colher pequena do chá de zimbro em 100 a 200mL da água do banho.

Além disso, pode-se também preparar um condicionador, para ser usado no couro cabeludo em casos de psoríase, misturando 10 gotas do óleo essencial de xilema do zimbro em 1 colher sopa de óleo de amêndoas e 600 mL de água quente. Deixar a mistura esfriar e aplicar sobre o couro cabeludo por 15 minutos e enxaguar a seguir.

Possíveis efeitos colaterais

O zimbro é seguro para a maioria dos adultos quando consumido por curto período de tempo, quando inalado na vaporização ou usado sobre a pele em pequenas áreas. Entretanto, se o zimbro for consumido em quantidade excessiva ou por mais de 6 semanas, pode causar problemas respiratórios e renais, irritação dos intestinos, da bexiga ou da pele, dificultar o controle da pressão sanguínea em casos de hipertensão ou reduzir muito os níveis de açúcar no sangue causando crise de hipoglicemia em diabéticos. Além disso, o zimbro pode causar aumento de contrações uterinas e aborto.

Deve-se procurar ajuda médica imediatamente ou o pronto socorro mais próximo se apresentar sintomas de intoxicação pelo zimbro, como dificuldade para respirar, náuseas, vômitos ou convulsões.

Quem não deve usar

O zimbro não deve ser usado por bebês, crianças, mulheres grávidas ou em amamentação e pessoas com nefrite, que é uma infecção dos rins. Caso suspeitar de gravidez, recomenda-se que, antes de usar o zimbro, seja feito um teste de gravidez, pois o zimbro pode causar aborto pelo aumento das contrações uterinas.

Além disso, o zimbro deve ser usado com precaução por diabéticos ou hipertensos, pois pode aumentar o efeito dos medicamentos para essas doenças e causar efeitos colaterais.

O óleo essencial do zimbro não deve ser ingerido ou usado diretamente sobre a pele devido a elevada capacidade de intoxicação.

É importante usar o zimbro sob orientação de um médico, fitoterapeuta ou de um profissional de saúde com conhecimentos específicos em plantas medicinais.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • BAIS, Souravh; et al. A Phytopharmacological Review on a Medicinal Plant: Juniperus communis. International Scholarly Research Notices. 2014. 634723; 1-6, 2014
  • TAVARES, Wilson R.; SECA, Ana M. L. The Current Status of the Pharmaceutical Potential of Juniperus L. Metabolites. Medicines (Basel). 5. 3; 1-24, 2018
  • RAINA, Rajinder; et al. Potential of Juniperus communis L as a nutraceutical in human and veterinary medicine. Heliyon. 5. 8; e02376, 2019
  • IBURG, Anne. O guia das plantas medicinais: ingredientes, efeitos medicinais e aplicações. 1.ed. Caracter, 2010. 138-139.
  • CURTIS, Susan et al.. O livro de receitas das ervas medicinais. São Paulo: Dorling Kindersley, 2011. 72-73.
  • BACÉM, Isabel António Rodrigues. Composição química e atividade biológica de bagas do Zimbro (Juniperus communis L.). Dissertação de mestrado em Engenharia Química, 2018. Instituto Politécnico de Bragança.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...