Vista cansada: sintomas, causas e tratamento

Revisão médica: Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
junho 2022

A vista cansada é a dificuldade para focar objetos de perto, sendo mais comum após os 40 anos, levando ao surgimento de sintomas como, esticar os braços para longe do rosto, de forma a conseguir ler ou observar com detalhe um objeto, dor nos olhos ou dor de cabeça, por exemplo

A vista cansada, que é chamada cientificamente de presbiopia, ou popularmente como “síndrome do braço curto”, pode surgir surge devido a um enfraquecimento do músculo ciliar ou por uma perda de elasticidade do cristalino do olho, interferindo na capacidade de focar objetos que estejam próximos.

Na presença de sinais e sintomas indicativos de vista cansada, é importante que o oftalmologista seja consultado para que seja possível confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado para evitar a progressão da condição, podendo ser recomendado o uso de óculos, lentes de contato ou até cirurgia.

Sintomas de vista cansada

O principal sinal indicativo da vista cansada é a dificuldade para enxergar os objetos de perto, assim como ler, o que pode também causar dor de cabeça quando a vista é forçada, sendo mais comuns de surgirem a partir dos 40 anos e serem progressivos. Outros sintomas de vista cansada são:

  • Dificuldade para enxergar ou focar os objetos de perto;
  • Vista embaçada ou borrada;
  • Dificuldade para enxergar algo afastado dos olhos em distância normal;
  • Dor nos olhos depois de tentar ler ou enxergar algum objeto de perto ou de longe;
  • Dor de cabeça quando a vista é forçada, como após uma leitura;
  • Dificuldade para enxergar letras muito pequenas;
  • Necessidade de mais luz para conseguir ler algo de perto;
  • Afastar o que se está lendo para tornar as letras mais claras;
  • Apertar os olhos para tentar focar objetos ou ler;
  • Cansaço nos olhos;
  • Ardor nos olhos ao tentar ler;
  • Sensação de pálpebras pesadas;
  • Vermelhidão ou lacrimejamento nos olhos.

Além disso, devido à dificuldade para leitura, pode ocorrer queda da produtividade no trabalho, por exemplo.

Os sintomas de vista cansada são mais comuns de surgirem a partir dos 40 anos e serem progressivos. Por isso, na presença desses sintomas, é importante consultar o oftalmologista para que seja feito um exame oftalmológico e iniciar o tratamento mais adequado.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da vista cansada é feito pelo oftalmologista através da avaliação dos sintomas e do exame de refração, que serve para avaliar o quanto a pessoa enxerga, tendo de observar letras de uma escala ou números, através de um aparelho, chamado autorrefrator, colocado na frente do rosto.

Esse exame é indicado sempre que a pessoa apresenta alterações da visão para perto, longe ou dificuldade de foco, sendo especialmente recomendado que seja feito a cada 2 a 4 anos após os 40 anos. Veja outros tipos exames de vista que podem ser feitos pelo oftalmologista.

Possíveis causas

A vista cansada é causada principalmente pelo envelhecimento natural do corpo, já que a partir dos 40 anos há diminuição da capacidade de focar objetos de perto, chamado de "acomodação". Além disso, a partir dos 40 anos ocorre diminuição da elasticidade do cristalino, que é a lente do olho responsável pelo foco, ficando mais enrijecido e resultando na maior dificuldade para enxergar os objetos de perto.

No entanto, a vista cansada também pode surgir antes dos 40 anos, sendo normalmente causada por outras condições, como:

  • Anemia;
  • Diabetes ou hiperglicemia;
  • Esclerose múltipla;
  • Miastenia gravis;
  • Trauma ou doença ocular;
  • Insuficiência vascular;
  • Doença cardiovascular;
  • Uso de remédios diuréticos, anti-histamínicos ou antidepressivos.

Além disso, a vista cansada pode acontecer como consequência de outras situações, como miopia, catarata, astigmatismo ou hipermetropia, por exemplo, sendo comum nessas situações haver outros sintomas como inchaço nos olhos, em alguns casos, olho vermelho e visão dupla, por exemplo.

Como é feito o tratamento

A vista cansada deve ser tratada de acordo com a recomendação do oftalmologista, que tem como objetivo diminuir a fadiga ocular, melhorar a capacidade visual, evitar o surgimento de sintomas e a progressão da situação.

Desta forma, o tratamento indicado pelo médico pode incluir:

1. Uso de óculos de grau

O uso de óculos com lentes de grau é o tratamento mais simples e prático da vista cansada, e tem como objetivo ajudar o olho a focar melhor de perto.

Esses óculos podem ser com lentes de grau simples, bifocal, trifocal ou progressiva, o que vai depender da recomendação do oftalmologista.

2. Uso de lentes de contato

As lentes de contato também podem ser indicadas pelo oftalmologista para ajudar a melhorar o foco e, assim, aliviar os sintomas da vista cansada.

As lentes de contato que podem ser indicadas pelo oftalmologista podem ser monofocais ou multifocais.

3. Cirurgia refrativa

A cirurgia refrativa é um tratamento que promove a modificação no formato da córnea, podendo ser indicado pelo oftalmologista para melhorar a visão de perto. No entanto, mesmo após a cirurgia, pode ser necessário o uso de óculos.

As principais cirurgias refrativas que podem ser indicadas pelo oftalmologista são a cirurgia LASIK, ceratoplastia condutiva ou a ceratectomia fotorrefrativa (PRK). Veja outros tipos de cirurgia refrativa que podem ser indicadas pelo oftalmologista.

4. Implante de lentes intra-oculares

O implante de lentes intraoculares (IOLs) é uma cirurgia em que o oftalmologista retira o cristalino do olho, e substitui por uma lente colocada internamente dentro do olho, o que ajuda a restabelecer a visão, de forma definitiva, uma vez que as lentes intra-oculares permanecem por toda a vida.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Flávia Costa - Farmacêutica, em junho de 2022. Revisão médica por Dr. Arthur Frazão - Oftalmologista, em julho de 2021.

Bibliografia

  • SINGH, P.; TRIPATHY, K. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Presbyopia. 2021. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK560568/>. Acesso em 17 jun 2022
  • SILVA, JAILTON V.; FERREIRA, BRUNO F. A.; PINTO, HUGO S. R. Distúrbios refrativos e presbiopia. 2013. Disponível em: <http://www.ligadeoftalmo.ufc.br/arquivos/ed_-_disturbios_refrativos_e_presbiopia.pdf>. Acesso em 17 jun 2022
Mostrar bibliografia completa
  • SOARES, Joana M. C. Presbiopia - Abordagem terapêutica. Tese de Mestrado, 2015. Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.
  • GIL-CZORLA, R.; et al. A review of the surgical options for the correction of presbyopia. Br J Ophthalmol. 100. 1; 62-70, 2016
Revisão médica:
Dr. Arthur Frazão
Oftalmologista
Médico generalista, especialista em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em 2008, com registro profissional no CRM/PE 16878

Tuasaude no Youtube

  • Conjuntivite viral, alérgica ou bacteriana? Como tratar | com Dr. Arthur Frazão

    10:33 | 145047 visualizações
  • GLAUCOMA: diagnóstico e tratamento

    10:07 | 94611 visualizações