Vinca: para que serve, como usar e efeitos colaterais

Evidência científica

A vinca é uma planta medicinal da espécie Catharantus roseus ou Vinca rosea, também conhecida como planta boa-noite ou vinca de madagascar, indicada para auxiliar no tratamento de feridas, diabetes ou pressão alta, pois é rica em alcaloides que lhe conferem propriedades cicatrizantes, diuréticas e antidiabéticas.

Além disso, os alcaloides da vinca possuem ação anticancerígena, sendo muito utilizados na indústria para a produção de remédios quimioterápicos para o tratamento de alguns tipos de câncer, como leucemia, linfoma de Hodgkin ou sarcoma de Kaposi, por exemplo.

A vinca deve ser utilizada apenas com orientação de um médico ou do fitoterapeuta, pois possui efeitos tóxicos como diminuição das células de defesa do corpo e das plaquetas, aumentando o risco de infecção ou sangramento.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve 

A vinca é indicada para auxiliar no tratamento de:

  • Diabetes;
  • Pressão alta;
  • Inchaço;
  • Cicatrização de feridas;
  • Infecção na pele;
  • Picada de inseto.

Além disso, a vinca é indicada para o tratamento de alguns tipos de câncer, devido suas propriedades anticancerígenas, sendo que neste caso deve ser utilizada somente na forma de remédios produzidos em laboratório, como a vincristina, a vimblastina ou a vindesina, usados em hospitais com indicação do oncologista.

Embora tenha benefícios para a saúde, a vinca não substitui o tratamento médico e deve ser usada somente com orientação do médico ou de um fitoterapeuta, principalmente por ser uma planta tóxica.

Como usar

As partes normalmente utilizadas da vinca são as flores ou as folhas. No entanto, por ser uma planta tóxica, as doses dependem de alguns fatores como idade e estado de saúde.

Por isso, o seu uso deve ser feito apenas com orientação do médico ou de um profissional com experiência em plantas medicinais, com doses individualizadas. 

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com a vinca são vermelhidão na pele, diminuição acentuada da pressão arterial, náuseas, vômitos, queda de cabelo, perda da audição, tontura, problema nos nervos, intoxicação no fígado ou convulsões.

Além disso, a vinca pode levar a uma diminuição dos glóbulos brancos e das plaquetas do sangue, e aumentar o risco de infecções ou sangramentos.

Quem não deve usar

A vinca não deve ser usada por mulheres grávidas pois pode causar aborto ou defeitos no feto. Essa planta também não deve ser usada durante a amamentação ou por crianças.

A vinca também deve ser evitada por pessoas que usam remédios antidiabéticos, pois pode causar diminuição brusca do açúcar no sangue e levar ao aparecimento de sintomas de hipoglicemia como excesso de suor, nervosismo, agitação, tremores, confusão mental, palpitações ou desmaio.

É importante ressaltar que o uso da vinca deve ser feito apenas após indicação do médico ou do fitoterapeuta.