Veia estourada: o que é, sintomas, causas e o que fazer

agosto 2022

A veia estourada é quando uma veia se rompe ou tem a sua parede ferida, geralmente devido a pancadas ou outros tipos de ferimentos, como ao coçar ou esbarrar em superfícies ásperas.

Geralmente, a veia estourada não é grave, causando apenas um sangramento que passa rapidamente ou uma mancha roxa que tende a melhorar em poucas semanas. No entanto, quando existem sintomas como inchaço e vermelhidão intensos, a veia estourada pode indicar problemas mais graves como trombose venosa profunda ou embolia pulmonar. Saiba como identificar a trombose venosa profunda.

Embora a veia estourada geralmente melhore sem medidas específicas, um clínico geral pode ser consultado e indicar o uso de meias compressivas e anti-inflamatórios. No entanto, em caso de sintomas como inchaço e dor intensos, é recomendado procurar uma emergência. 

Principais sintomas

Os principais sintomas da veia estourada são:

  • Vermelhidão na pele sobre o lugar afetado; 
  • Dor ao toque na região afetada;
  • Coceira no local;
  • Hematoma ou mancha roxa no local;
  • Sangramento da veia estourada.

Embora geralmente ocorra nas pernas, principalmente quando há varizes, a veia estourada também pode surgir em outras partes do corpo como no olho, na palma da mão, braço, cabeça ou coxa, por exemplo, e os sintomas podem variar de acordo com o local afetado.

Ainda que a veia estourada geralmente não seja grave, quando causa sangramento que não para ou sintomas como inchaço intenso, dor contínua ou grande área de vermelhidão e calor é recomendado procurar uma emergência para avaliação. 

Possíveis causas

A veia estourada geralmente é causada por pancadas, abrasões, como ao coçar ou esbarrar em superfícies ásperas, ferimentos, após tirar sangue ou ao permanecer algum tempo cateter na veia para administrar medicamentos diretamente na veia, por exemplo. 

No entanto, algumas vezes, como em caso de varizes nas pernas ou de veias dos olhos, a veia estourada pode ocorrer sem que uma causa seja identificada.

Pessoas idosas, com obesidade, que estão realizando terapia de reposição hormonal com estrogênio, têm maior risco de apresentar veias estouradas, especialmente após pancadas ou cirurgias. 

O que fazer quando a veia estoura

A veia estourada geralmente melhora em algumas semanas sem que nenhuma medida específica seja realizada, desde que não haja sangramento ativo e a veia seja pequena. No entanto, medidas como aplicação de compressas mornas e uso de meias compressivas podem ser úteis. Além disso, em caso de dor, um clínico geral pode ser consultado e indicar medicamentos como anti-inflamatórios orais.

Nos casos de veias estouradas que causam dor intensa, grande área de vermelhidão ou inchaço, pode haver o risco de trombose venosa profunda ou embolia pulmonar, sendo recomendado procurar uma emergência. Nestes casos, o tratamento pode envolver o uso de medicamentos anticoagulantes e até cirurgia. Entenda melhor para que servem os anticoagulantes.

Além disso, quando a veia estourada causa sangramento ativo, a compressão do local por alguns minutos e elevação da parte do corpo afetada geralmente é suficiente para parar a perda de sangue. No entanto, caso o sangramento continue, é indicado procurar uma emergência para fazer o tratamento adequado. Veja mais detalhes do que fazer em caso de sangramento devido a varizes.

Quando ir ao hospital

É recomendado procurar um emergência em caso de:

  • Sangramento que não para;
  • Dor contínua;
  • Inchaço intenso da região afetada;
  • Grande área de vermelhidão e calor;
  • Hematoma grande na região da veia.

Nestes casos, o risco de trombose venosa e embolia pulmonar devido a veia estourada é maior e exames como o ultrassom podem ser indicados para avaliar as veias na região envolvida.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em agosto de 2022.

Bibliografia

  • SCOTT, Gemma; MAHDI, Ali J; ALIKHAN, Raza. Superficial vein thrombosis: a current approach to management. Br J Haematol. Vol.168, n.5. 639-645, 2015
  • STATPEARLS. Hemorrhage Control. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK535393/>. Acesso em 23 ago 2022
Mostrar bibliografia completa
  • NASR, H; SCRIVEN, J. M. Superficial thrombophlebitis (superficial venous thrombosis). BMJ. Vol.350. 2015
  • STATPEARLS. Superficial Thrombophlebitis. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK556017/>. Acesso em 23 ago 2022
  • MIK, Sylvana M. L. et al. Treatment of varicose veins, international consensus on which major complications to discuss with the patient: A Delphi study. Phlebology. Vol.34, n.3. 201–207, 2019
  • STATPEARLS. Subconjunctival Hemorrhage. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK551666/>. Acesso em 23 ago 2022
  • HINGORANI, Amrit et al. Spontaneous hemorrhage from varicose veins: A single-center experience. J Vasc Surg Venous Lymphat Disord. Vol.8, n.1. 106-109, 2020
  • YETKIN, Ertan; ITERI, Mehmet; WALTENBERG, Johannes. Ecchymosis: A novel sign in patients with varicose veins. Clin Hemorheol Microcirc. Vol.68, n.4. 413-419, 2018
  • STATPEARLS. Varicose Veins. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK470194/>. Acesso em 23 ago 2022
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.