Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Vaginite atrófica: o que é e como tratar

A vaginite atrófica caracteriza-se pela manifestação de um conjunto de sintomas como secura, coceira e irritação vaginal, que é muito comum em mulheres após a menopausa, mas que também pode ocorrer no período pós-parto, durante a amamentação ou devido a efeitos colaterais de determinados tratamentos, que são fases em que a mulher tem quantidades baixas de estrogênios

O tratamento da atrofia vaginal consiste na administração de estrogênios, de uso tópico ou oral, que reduzem a manifestação de sintomas e previnem a ocorrência de outras doenças como infecções vaginais ou problemas urinários. 

Vaginite atrófica: o que é e como tratar

Quais os sintomas

Os sintomas mais comuns de vaginite atrófica são secura vaginal, dor e sangramento durante o contacto íntimo, diminuição da lubrificação, diminuição do desejo, coceira, irritação e ardor na vagina.

Além disso, quando a mulher vai ao médico, ele pode verificar outros sinais, como palidez das mucosas, diminuição da elasticidade vaginal e do pequenos lábios, presença de petéquias, ausência de pregas na vagina e fragilidade da mucosa vaginal, podendo ainda ocorrer prolapso da uretra.

O pH vaginal também se encontra mais elevado do que o normal, o que pode aumentar o risco de desenvolvimento de infecções e de ocorrerem lesões no tecido.

Possíveis causas

Geralmente, as causas da atrofia vaginal são aquelas que lavam à diminuição dos estrogênios, que são hormônios produzidos pela mulher e que se encontram diminuídos em fases da vida como na menopausa e no pós-parto.

A vaginite atrófica pode ainda manifestar-se em mulheres submetidas a tratamentos de câncer com quimioterapia, como efeito colateral de um tratamento hormonal para câncer da mama ou em mulheres que foram submetidas a remoção cirúrgica de ambos os ovários.

Conheça outros tipos de vaginite e respetivas causas.

Em que consiste o diagnóstico

Geralmente, o diagnóstico consiste na avaliação dos sinais e sintomas, exame físico e realização de exames complementares como medição do pH vaginal e exame microscópico para avaliação da maturação celular.

Além disso, o médico pode também solicitar um exame de urina, caso a pessoa sinta também desconforto urinário.

Como é feito o tratamento

O tratamento da atrofia vaginal consiste na aplicação de estrogênios tópicos em forma de creme ou comprimidos vaginais, como o estradiol, estriol ou promestrieno e em alguns casos, o médico pode recomendar a toma de estrogênios, por via oral, ou aplicação de adesivos transdermicos.

Além disso, os sintomas podem ser melhorados com o uso de lubrificantes na região.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem