Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Tratamento para Gardnerella: remédios e opções caseiras

Revisão médica: Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
outubro 2022

O tratamento para a infecção por Gardnerella sp. tem com objetivo restaurar a flora bacteriana da região genital a partir da diminuição da quantidade dessa bactéria e, para isso, é normalmente indicado o uso de antibióticos, como a Clindamicina ou o Metronidazol, na forma de comprimido ou de pomada para ser aplicada diretamente na região genital, sendo importante seguir o tratamento indicado pelo médico, mesmo que os sintomas tenham desaparecido.

Existem também alguns remédios caseiros para complementar o tratamento indicado pelo médico, como aplicação de iogurte probiótico na região genital, que pode ajudar a regular o pH vaginal, além de banho de assento com Garcinia cambogia, que pode ajudar a melhorar o funcionamento do sistema imunológico.

A Gardnerella sp. é uma bactéria naturalmente presente na região genital da mulher e que, quando em quantidades adequadas, não leva ao aparecimento de sinais ou sintomas. No entanto, quando há um desequilíbrio da flora bacteriana podem surgir sinais e sintomas de infecção, como ardor ao urinar, coceira e corrimento branco ou acinzentado e com cheiro semelhante à peixe podre, por exemplo. Veja como identificar a infecção por Gardnerella sp.

Imagem ilustrativa número 1

Medicamentos

O tratamento para Gardnerella sp. com medicamentos está indicado para mulheres que tem sintomas, estão grávidas e mulheres assintomáticas que serão submetidas a uma intervenção ginecológica, como aplicação de DIU ou a realização de curetagem, por exemplo.

1. Clindamicina

A clindamicina pode ser administrada por via oral durante 7 dias em uma dose de 300 mg por via oral ou por via vaginal 100 mg durante 3 dias consecutivos. Além disso, o ginecologista também pode recomendar o uso de clindamicina na forma de creme vaginal a 2%. Não é recomendado o uso de clindamicina durante a lactância.

2. Metronidazol

O metronidazol pode ser indicado em dose única de 2 gramas por via oral, em doses de 400 a 500 mg duas vezes ao dia, durante 5 a 7 dias por via oral, ou aplicar na região por 5 dias.

Quando a infecção por Gardnerella sp. é recorrente, conhecida como vaginose bacteriana, é também recomendado pelo médico fortalecer o sistema imunológico através do uso de suplementos multivitamínicos e melhorar os hábitos alimentares, já que é possível prevenir a proliferação dessa bactéria.

Remédio caseiro para Gardnerella sp.

O tratamento caseiro para a infecção por Gardnerella sp. é feito como forma de complementar o tratamento indicado pelo ginecologista e evitar a recorrência da doença. Algumas dicas de tratamento incluem:

  • Iogurte probiótico que aplicado no local ajuda a repor a flora bacteriana da região genital, por conter Lactobacillus acidophilus vivos, e a regular o pH vaginal, evitando desequilíbrios;
  • Banho de assento com Garcinia cambogia, pois é capaz de combater as bactérias nocivas que podem aparecer na vagina, além de reforçar o sistema imunológico;
  • Banho de assento com vinagre de cidra, já que é levemente ácido e possui pH semelhante ao de uma vagina saudável.

Além disso, é recomendado que a pessoa evite usar calças muito apertadas e dê preferência ao uso de calcinha de algodão, pois dessa forma é possível evitar o desequilíbrio da região genital, prevenindo a infecção por Gardnerella sp.

Como deve ser o tratamento na gravidez

O tratamento para Gardnerella sp. na gravidez é importante, já que essa infecção é bastante comum e se não tratada corretamente pode causar parto prematuro e que o bebê tenha baixo peso ao nascer.

No caso de mulheres grávidas com sintomas de infecção por Gardnerela e antecedentes de parto prematuro e/ ou ruptura prematura das membranas em gestações anteriores, o médico pode indicar o uso de metronidazol oral durante 7 dias, a partir do 3º mês de gravidez, sendo importante que o tratamento seja feito de acordo com a orientação do obstetra.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em outubro de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • Longo, DL et al.. Harrison’s Principles of Internal Medicine. 19.ed. New York: McGraw-Hill, 2015.
  • PAPADAKIS, Maxine A.; MCPHEE, Stephen J.; RABOW, Michel W. Current Medical Diagnosis & Treatment. 58 ed. New York: McGraw-Hill Education, 2019.
Mostrar bibliografia completa
  • LABORATÓRIOS PFIZER LTDA. Dalacin - clindamicina injetável. 2013. Disponível em: <https://www.saudedireta.com.br/catinc/drugs/bulas/dalacincinj.pdf>. Acesso em 13 mai 2022
  • WYETH INDÚSTRIA FARMACÊUTICA LTDA. Dalacin (claindamicina) cápsulas de 300 mg. 2021. Disponível em: <https://www.pfizer.com.br/sites/default/files/inline-files/Dalacin_Profissional_de_Saude_16_0.pdf>. Acesso em 13 mai 2022
  • LABORATÓRIOS STIEFEL LTDA. Clinagel - clindamicina 10 mg/g gel para uso tópico. Disponível em: <https://www.saudedireta.com.br/catinc/drugs/bulas/clinagel.pdf>. Acesso em 13 mai 2022
  • EMS S.A. Fosfato de clindamicina creme vaginal. Disponível em: <https://www.ems.com.br/arquivos/produtos/bulas/bula_fosfato_de_clindamicina_10450_1188.pdf>.
  • DINGSDAG, S. A.; HUNTER, N. Metronidazole: an update on metabolism, structure-cytotoxicity and resistance mechanisms. J Antimicrob Chemother. 73. 1; 265-279, 2018
  • HERNÁNDEZ CERUELOS, A.; et al. Therapeutic uses of metronidazole and its side effects: an update. Eur Rev Med Pharmacol Sci. 23. 1; 397-401, 2019
  • SANOFI. Flagyl. 2016. Disponível em: <https://www.onofre.com.br/estaticos/bulas/072656.pdf>. Acesso em 07 jul 2020
  • SANOFI-AVENTIS FARMACÊUTICA LTDA. Flagyl (metronidazol). 2016. Disponível em: <https://www.saudedireta.com.br/catinc/drugs/bulas/flagyl.pdf>. Acesso em 14 set 2021
  • SANOFI-AVENTIS FARMACÊUTICA LTDA. Flagyl pediátrico. Disponível em: <https://www.saudedireta.com.br/catinc/drugs/bulas/flagylped.pdf>. Acesso em 14 set 2021
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.