Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Ciclotimia: o que é, sintomas, diagnóstico e tratamento

Revisão médica: Dr. Gonzalo Ramirez
Psicólogo e Clínico Geral
novembro 2022

A ciclotimia é um transtorno psicológico que causa sintomas hipomaníacos, ou seja, uma variação entre o estado de ânimo ou irritação, além de sintomas depressivos, podendo ser considerado um precursor do transtorno bipolar do tipo II.

A causa da ciclotimia, também chamada de transtorno ciclotímico, não é totalmente clara, no entanto acredita-se que alterações nos neurotransmissores, experiência traumática e genética podem estar envolvidos no desenvolvimento desse transtorno, acontecendo em homens e mulheres da mesma forma. O diagnóstico deve ser feito pelo psiquiatra ou psicólogo com base no comportamento da pessoa nos últimos meses.

O tratamento é feito por meio de sessões de psicoterapia e uso de remédios que podem ser indicados pelo psiquiatra em alguns casos e que têm como objetivo controlar os sintomas hipomaníacos e depressivos, como os estabilizadores de humor.

Imagem ilustrativa número 1

Principais sintomas

Os principais sintomas da ciclotimia são:

  • Alteração crônica do estado de humor;
  • Períodos de agitação e euforia seguidos de mau humor e tristeza, ou vice-versa;
  • Pensamento acelerado;
  • Indisposição;
  • Falta de sono ou sono excessivo;
  • Maior ou menor energia;
  • Negação de que algo está errado;
  • Diminuição do apetite.

Pelo fato dessa variação de sintomas ser na maioria das vezes considerada parte da personalidade da pessoa, o diagnóstico da ciclotimia não é realizado, o que pode resultar em grande desgaste psicológico para a pessoa, uma vez que experiencia grandes oscilações no humor.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da ciclotimia deve ser feito pelo psicólogo ou psiquiatra por meio da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa e que são relatados durante as sessões de psicoterapia. Durante as sessões, além de ser avaliada as oscilações do humor, o psicólogo também verifica a gravidade desses sintomas e o impacto que tem na vida da pessoa.

Apesar de não ser frequentemente relacionada com grandes prejuízos para a vida da pessoa, a ciclotimia pode levar a um grande desgaste emocional e, nesses casos, pode ser necessário o uso de medicamentos para estabilizar o humor da pessoa, que deve ser recomendado pelo psiquiatra.

Além disso, durante as sessões de psicoterapia, o psicólogo realiza o diagnóstico diferencial entre a ciclotimia e o transtorno bipolar, uma vez que são condições semelhante, no entanto no transtorno bipolar as variações de humor levam ao surgimento de sintomas mais graves, ou seja, a pessoa sente os momentos de euforia e os momentos de depressão de forma mais intensa. Veja como identificar o transtorno bipolar.

Tratamento para ciclotimia

A ciclotimia pode ser tratada apenas com sessões de psicoterapia, por meio de técnicas cognitivo-comportamentais ou interpessoais, com o objetivo de controlar os sintomas, evitar novos ciclos do transtorno, melhorar os pensamentos negativos e melhorar as relações sociais da pessoa.

No entanto em alguns casos pode ser também necessário o uso de medicamentos, que devem ser indicados pelo psiquiatra, podendo ser recomendado o uso de remédios antipsicóticos, como Zuclopentixol ou Aripiprazol, ansiolíticos, como Alprazolam ou Clobazam, ou estabilizadores do humor, como o carbonato de lítio.

Além disto, também é recomendado que o paciente tenha um estilo de vida saudável com alimentação equilibrada e bons hábitos de sono para reduzir os níveis de estresse e controlar melhor o transtorno ciclotímico.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em novembro de 2022. Revisão médica por Dr. Gonzalo Ramirez - Psicólogo e Clínico Geral, em novembro de 2022.

Bibliografia

  • DSM-V: Transtorno Ciclotímico. 139-141.
  • SOUSA, João Pedro S. T. Ciclotimia, estudo e revisão monográfica - A doença afetiva, o temperamento ciclotímico, a psicopatologia inserida no espetro bipolar. Tese de Mestrado, 2016. Universidade da Beira do Interior.
Revisão médica:
Dr. Gonzalo Ramirez
Psicólogo e Clínico Geral
Clínico geral pela UPAEP com cédula profissional nº 12420918 e licenciado em Psicologia Clínica pela UDLAP nº 10101998.