Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Talidomida

Talidomida é um medicamento usado no tratamento da lepra que é uma doença causada por uma bacteriana que afeta a pele e os nervos, causando perda da sensibilidade, fraqueza muscular e paralisia. Além disso, também é recomendado em pacientes com HIV e lúpus.

Este medicamento de uso oral, sob a forma de comprimidos, só pode ser usado por recomendação do médico e é totalmente contraindicado na gravidez e proibido em mulheres em idade fértil, compreendida entre a menarca e a menopausa, pois leva à má formação do bebê, como ausência de lábios, braços e pernas, aumento do número de dedos, hidrocefalia ou mau funcionamento do coração, intestino e rins, por exemplo. Por este motivo, no caso de usar este medicamento por indicação médica, deve-se assinar um termo de responsabilidade.

Talidomida

Preço

Esse medicamento tem uso restrito a nível hospitalar e é fornecido gratuitamente pelo governo e, por isso, não é vendido em farmácias.

Indicações

O uso de Talidomida é indicado para o tratamento:

  • Lepra, que é uma reação hansênica tipo II ou tipo eritema nodoso;
  • Aids, porque reduz a febre, mal-estar e fraqueza muscular:
  • Lúpus, doença enxerto-versus-hospedeiro, porque ocorre a diminuição da inflamação.

O inicio de ação do medicamento pode variar entre 2 dias a 3 meses, segundo a causa do tratamento e só pode ser usado por mulheres que não se encontram em idade fértil e em crianças com mais de 12 anos.

Modo de Uso

O uso deste medicamento em comprimidos só pode ser iniciado por recomendação do médico e após seguir um protocolo específico para o uso deste medicamento que exige o paciente assinar um consentimento. Geralmente, o médico recomenda:

  • Tratamento da reação hansênica do tipo nodoso ou tipo II entre 100 a 300 mg, 1 vez ao dia, ao deitar ou no mínimo, 1 hora após a refeição da noite;
  • Tratamento do eritema nodoso lepromatoso, iniciar com até 400 mg por dia, e ir reduzindo as doses, durante 2 semanas, até chegar à dose de manutenção, que se situa entre 50 e 100 mg por dia.
  • Síndrome debilitante, associada ao HIV: 100 a 200 mg uma vez por dia ao deitar ou 1 hora após a ultima refeição.

Durante o tratamento não se deve ter contacto intimo e no caso de ocorrer tem de se usar dois métodos contraceptivos ao mesmo tempo, como pílula anticoncepcional, injetável ou implantado e preservativo ou diafragma. Além disso, é necessário iniciar a prevenção de uma gravidez cerca de 1 mês antes de iniciar o tratamento e por mais 4 semanas após a interrupção.

No caso dos homens que mantêm atividade sexual com mulheres em idade fértil devem usar preservativo em qualquer tipo de contato intimo.

Efeitos Colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns do uso deste medicamento verificam-se no caso de ser usado pela grávida que leva a mal formações no bebê. Além disso, pode levar a formigamento, dor nas mãos, pés e neuropatia.

Também pode ocorrer intolerância gastrintestinal, sonolência, tontura, anemia, leucopenia, leucemia, púrpura, artrite, dor nas costas, pressão baixa, trombose venosa profunda, angina, infarto, agitação, nervosismo, sinusite, tosse, dor abdominal, diarreia ou prisão de ventre, conjuntivite, pele seca.

Contra Indicações

O uso deste medicamento é completamente contraindicado na gravidez porque causa mal formações no bebê, como ausência de pernas, braços, lábios ou orelhas, além de mau funcionamento do coração, rins, intestino e útero, por exemplo.

Além disso, 40% dos bebês morrem logo após o nascimento e também é contraindicado durante a amamentação, porque não se conhece o seu efeito.Também não pode ser usado no caso de alergia à Talidomida ou a qualquer um de seus componentes.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...