Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Remédios que podem causar aborto

O uso de medicamentos durante a gravidez deve ser sempre feito apenas com orientação de um obstetra, já que a maior parte dos remédios tem potencial para causar problemas na gestação e, até, resultar em um aborto.

Medicamentos como talidomida, atorvastatina ou isotretinoína são completamente contraindicados durante a gravidez porque podem causar danos ou malformações no feto que pode nascer com deficiências graves ou causar aborto.

No entanto, quando o aborto é permitido legalmente, como nos casos de violação sexual ou quando a gestação coloca a vida da mulher em risco, por exemplo, o misoprostol é o medicamento mais utilizado pelos médicos em hospitais. Este medicamento não pode ser comercializado nas farmácias, sendo restrito somente aos hospitais.

Remédios que podem causar aborto

Remédios que não devem ser usados na gravidez

Os remédios que podem provocar o aborto ou danos e malformações fetais e por isso não podem ser usados durante a gravidez são:

Remédio

Para que serve

Misoprostol

É usado no hospital para interromper a gravidez em gestações que estão perto das 40 semanas ou para induzir o parto antes de 30 semanas quando o feto está morto, em caso de aborto legal.

Misoprostol + diclofenaco

É indicado para o tratamento da dor e do inchaço nas articulações causados pela artrite reumatóide ou osteoartrose.

Mifepristona

É usado no hospital para interromper a gravidez, em caso de aborto legal.

Isotretinoína

É indicado para o tratamento da acne grave.

Atorvastatina

É usado para o tratamento do colesterol alto.

Iodo radioativo

É usado para o tratamento do câncer da tireóide e como contraste em exames de cintilografia para detectar células cancerosas da tireoide.

Talidomida

É usado para tratamento da lepra, lúpus eritematoso, mieloma múltiplo ou doença do enxerto contra o hospedeiro.

Outros medicamentos que são potencialmente abortivos e que só podem ser usados sob indicação médica quando seus benefícios superam o risco de aborto são amitriptilina, fenobarbital, ácido valpróico, cortisona, metadona, doxorrubicina, enalapril e outros que tenham risco D ou X indicados dessa forma na bula de tais medicamentos. Veja os sintomas que podem indicar um aborto.

Além disso, sempre que possível, deve-se evitar o uso de chás durante a gravidez, especialmente quando utilizados sem orientação médica, pois não existem estudos que confirmem sua segurança durante a gestação. No entanto, alguns chás como alcaçuz, borragem ou salsinha são totalmente contraindicados pois existem comprovações científicas de que podem causar aborto ou mal-formações no feto. Confira uma lista mais completa de chás que não deve ser usados durante a gravidez.

Quando o aborto é permitido

O aborto permitido no Brasil deve ser realizado pelo médico dentro de um Hospital, sendo legal apenas quando uma das seguintes condições está presente:

  • Gestação devido a violação sexual;
  • Gestação que coloca em risco a vida da mãe, sendo o aborto a única forma de salvar a vida da gestante;
  • Quando o feto possui uma malformação fetal incompatível com a vida após o nascimento, como a anencefalia.

Assim, para que a mulher possa recorrer ao aborto por alguma destas situações é necessário que autorize o aborto ou no caso de menores de 18 anos, o responsável pela criança deve autorizar o procedimento. No caso de mulheres que por algum motivo esteja inconsciente ou impossibilitada de autorizar o procedimento, o aborto pode ser realizado pelo médico caso a vida da mulher esteja em risco.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • SANTOS, Ana Caroline S.; LIMA, Elinea M. Plantas medicinais abortivas econtradas no Brasil. Trabalho de Conclusão de Curso, 2019. Faculdade Unidas de Campinas.
  • MORANDINI, Silvana. Aspectos Éticos e Legais do Aborto. 2014. Disponível em: <http://www.cremesp.org.br/pdfs/eventos/eve_08052014_112326_Aborto%20aspectos%20legais%20e%20atendimento%20etico%20-%20Silvana%20Morandini.pdf>.
  • DRUGS.COM. Abortion (Termination Of Pregnancy). Disponível em: <https://www.drugs.com/health-guide/abortion-termination-of-pregnancy.html>. Acesso em 30 Abr 2021
  • TANG, O. S.; GEMZELL -DANIELSSON, K.; HO, P. C. Misoprostol: pharmacokinetic profiles, effects on the uterus and side-effects. Int J Gynaecol Obstet. 99. 2; S160-7, 2007
  • SCHREIBER, Courtney; CREININ, Mitchell. Mifepristone in abortion care. Semin Reprod Med. 23. 1; 82-91, 2005
  • AYKAN, Duygun Altıntaş; ERGUN, Yusuf. Isotretinoin: Still the cause of anxiety for teratogenicity. Dermatol Ther. 33. 1; e13192, 2020
  • LECARPENTIER, Edouard; et al. Statins and pregnancy: between supposed risks and theoretical benefits. Drugs. 72. 6; 773-88, 2012
  • OGRIS, E. Exposure to radioactive iodine in pregnancy: significance for mother and child. Acta Med Austriaca. 24. 4; 150-3, 1997
  • ITO, Takumi; et al. Identification of a primary target of thalidomide teratogenicity. Science. 327. 5971; 1345-50, 2010
Mais sobre este assunto:

Carregando
...