Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Staphylococcus epidermidis: o que é, sintomas e tratamento

O Staphylococcus epidermidis, ou S. epidermidis, é uma bactéria gram-positiva que está presente naturalmente na pele, não causando qualquer dano ao organismo. Esse microrganismo é considerado oportunista, pois é capaz de causar doença quando o sistema imunológico está enfraquecido, por exemplo.

Por estar presente naturalmente no corpo, o Staphylococcus epidermidis não é muito considerado na prática clínica, uma vez que boa parte das vezes que é isolado no laboratório significa contaminação da amostra. No entanto, esse microrganismo é capaz de crescer facilmente em dispositivos médicos, além de ter sido relatado que é resistente a diversos antibióticos, o que dificulta o tratamento da infecção.

Staphylococcus epidermidis: o que é, sintomas e tratamento

Como identificar a infecção por S. epidermidis

O principal tipo de infecção por S. epidermidis é a sepse, que corresponde à infecção no sangue, uma vez que essa bactéria pode entrar facilmente no organismo, principalmente quando o sistema imunológico está comprometido, além de poder estar associado à endocardite. Assim, a infecção por S. epidermidis pode ser identificada por meio da análise dos sintomas, sendo os principais:

  • Febre alta;
  • Cansaço excessivo;
  • Dor de cabeça;
  • Mal-estar geral;
  • Diminuição da pressão arterial;
  • Falta de ar ou dificuldade para respirar.

O S. epidermidis é normalmente associado a infecções em ambiente hospitalar devido à sua capacidade de colonizar em dispositivos intravascular, feridas grandes e próteses, por exemplo, conseguindo proliferar e resistir ao tratamento.

Como é feito o diagnóstico

Laboratorialmente, a identificação dessa bactéria é feita por meio de testes, sendo o principal o teste da coagulase, que diferencia o S. epidermidis do Staphylococcus aureus, que possui a enzima coagulase, sendo denominada coagulase negativa. Dentre os microrganismos coagulase negativa, que são aqueles que não possuem a enzima coagulase, o S. epidermidis é o de maior importância clínica.

Para diferenciar das outras espécies de estafilococos coagulase-negativa, normalmente é feita a prova da novobiocina, que é feita com o objetivo de verificar a resistência ou sensibilidade a esse antibiótico. O S. epidermidis normalmente é sensível a esse antibiótico, sendo geralmente o tratamento indicado pelo médico. No entanto, há cepas de S. epidermidis que já possuem mecanismo de resistência contra esse antibiótico, o que dificulta o tratamento.

Muitas vezes a presença de S. epidermidis no sangue não significa necessariamente infecção, pois já que se encontra na pele, o processo de coleta de sangue, por exemplo, pode fazer com que essa bactéria seja identificada nos exames. Por isso, o diagnóstico da infecção por S. epidermidis é feito a partir da análise de duas ou mais hemoculturas. Normalmente a coleta para hemocultura é feita em locais diferentes para evitar falsos resultados.

Assim, o diagnóstico da infecção por S. epidermidis é confirmado quando todas as hemoculturas são positivas para esse microrganismo. Quando apenas uma das hemoculturas é positiva para S. epidermidis e as outras são positivas para outro microrganismo, é considerada contaminação.

Staphylococcus epidermidis: o que é, sintomas e tratamento

O que é S. epidermidis resistente

Muitas vezes a contaminação da amostra por S. epidermidis é mal interpretada pelos laboratórios e indicada como infecção no resultado do exame, o que faz com que o médico indique o uso de antibióticos contra a "infecção". O uso inadequado de antibióticos pode favorecer a formação de bactérias resistentes, dificultando o tratamento.

Atualmente, a infecção por S. epidermidis têm sido frequente em pacientes internados e, por isso, têm ganhado importância clínica não só devido ao uso indiscriminado de antibióticos, mas também à sua capacidade de formar biofilme em equipamentos médicos, o que favorece a proliferação dessa bactéria e resistência aos tratamentos.

Como é feito o tratamento

O tratamento para a infecção por Staphylococcus epidermidis normalmente é feito com o uso de antibióticos, no entanto, o antimicrobiano de escolha varia de acordo com as características das bactérias, já que muitas possuem mecanismos de resistência. Assim, pode ser recomendado pelo médico o uso de Vancomicina e Rifampicina, por exemplo.

Além disso, o tratamento para S. epidermidis só é indicado quando a infecção é confirmada. No caso de suspeita de contaminação da amostra, são recolhidas novas amostras para verificar se houve contaminação ou se representa infecção.

No caso de ter havido colonização de cateteres ou próteses por S. epidermidis, normalmente é recomendado a troca do dispositivo médico. Atualmente, alguns hospitais adotam o uso de equipamentos antissépticos que impedem a formação de biofilme e desenvolvimento do Staphylococcus epidermidis, evitando a infecção.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem