Spirulina: o que é, para que serve e como tomar

A spirulina ou espirulina é uma microalga que pode ser usada como suplemento alimentar, já que é uma excelente fonte de proteínas, minerais, vitaminas do complexo B, ferro e antioxidantes, como a ficocianina e o ácido gálico.

Entre os benefícios da spirulina para a saúde, destacam-se a prevenção de doenças do coração, como infarto, aterosclerose e derrame. Além disso, a microalga também auxilia no tratamento da diabetes, da rinite alérgica e no ganho de massa muscular.

A spirulina é um superalimento comercializado na forma desidratada em comprimidos, cápsulas ou em pó e pode ser encontrado em lojas de produtos naturais e suplementos. A dose e forma de ingestão recomendada varia de acordo com a finalidade de uso do suplemento. Veja mais sobre o que são e outros tipos de superalimentos.

Para que serve

As principais indicações da spirulina para a saúde incluem:

1. Melhorar a disposição

Por ser uma ótima fonte de proteínas, a spirulina fornece boas quantidades de energia para o organismo. Além disso, a microalga tem um efeito prebiótico, fortalecendo as bactérias boas do intestino. Com a flora intestinal equilibrada, há uma maior produção da vitamina B6 que contribui diretamente para o aumento da energia e disposição. Conheça outros benefícios da vitamina B6 para a saúde.

Além disso, como é rica em magnésio, a spirulina é capaz de auxiliar na síntese dos hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar.

2. Prevenir e tratar a anemia

A spirulina é fonte de ferro, um mineral fundamental para a produção de hemoglobina, um componente dos glóbulos vermelhos no sangue. Assim, a ingestão da microalga pode aumentar os níveis de hemoglobina no sangue, auxiliando no tratamento da anemia.

3. Diminuir colesterol “ruim” e triglicerídeos

A ficocianina, o principal antioxidante presente na spirulina inibe a absorção de colesterol no intestino, diminuindo os níveis de gordura no sangue.

Além disso, outros antioxidantes presentes na spirulina, como betacaroteno e o ácido gálico também contribuem para a redução dos níveis de colesterol total, do colesterol “ruim”, o LDL, e triglicerídeos do sangue, prevenindo doenças como infarto, aterosclerose e derrame.

4. Combater a pressão alta

A spirulina é capaz de favorecer a produção de óxido nítrico, que tem como função promover o relaxamento dos vasos sanguíneos, resultando na diminuição da pressão arterial. No entanto, é importante que o uso da spirulina seja devidamente orientado pelo médico para evitar quedas muito grandes da pressão arterial, o que pode trazer prejuízos para a saúde.

5. Regular o açúcar no sangue

A spirulina possui antioxidantes e gorduras polinsaturadas em sua composição, promovendo a redução dos níveis de açúcar no sangue, ajudando a prevenir a diabetes e a controlar os níveis de glicose em quem tem a doença. Veja outros alimentos que ajudam a prevenir a diabetes.

Além disso, devido à sua composição, a spirulina é capaz de aumentar a sensibilidade à insulina, o que tem como resultando a rápida diminuição da quantidade de glicose circulante.

6. Promover o ganho de massa muscular

Além de ser fonte de aminoácidos que auxiliam na manutenção e desenvolvimento de músculo, a spirulina ainda contém ácido γ-linolênico, uma gordura polinsaturada que melhora a resistência e a força, necessários para treinos focados em ganho de massa muscular. 

A spirulina também é fonte de antioxidantes que auxiliam na recuperação das fibras musculares após a prática de atividade física, sendo fundamental para o crescimento muscular.

7. Aliviar sintomas de rinite alérgica

Por ter atividades anti inflamatórias e estimulantes do sistema imunológico, melhorando a função dos anticorpos, a spirulina pode ser usada como um tratamento natural complementar para aliviar os sintomas da rinite alérgica, como congestão nasal, espirros e coceira, por exemplo.

8. Ajudar no emagrecimento

A spirulina é uma fonte de proteínas, além de ter boas quantidades de fibras que aumentam o tempo da digestão, promovendo a saciedade e ajudando na redução do consumo de alimentos.

Além disso, essa microalga tem poucas calorias e ainda tem boas quantidades de ácido γ-linolênico, um antioxidante que desempenha um papel importante no metabolismo e redução da gordura corporal. Entenda melhor como a spirulina pode ajudar a emagrecer.

Veja com a nossa nutricionista como a spirulina pode ajudar nas dietas de emagrecimento:

9. Prevenir o envelhecimento precoce

A spirulina é rica em antioxidantes, como vitamina A e C, que ajudam a diminuir o dano celular causado pelos radicais livres e, consequentemente, prevenindo o envelhecimento precoce das células. Além disso, esses compostos também ajudam a cuidar da pele, prevenindo a formação de rugas e evitando a flacidez.

10. Reduzir a inflamação

Por conter ácidos graxos em sua composição, como o ômega-3, a spirulina atua como antioxidante e anti-inflamatório no organismo. Assim, pode ser útil no tratamento da artrite, por exemplo, já que ajuda a reduzir a inflamação das articulações, aliviando os sintomas.

11. Purificar o organismo

A spirulina possui efeito hepatoprotetor, evitando o dano às células do fígado e o protegendo de toxinas, devido ao seu efeito antioxidante. Além disso, a spirulina tem a habilidade de reduzir a gordura acumulada no fígado. A spirulina também pode exercer um efeito antiviral contra o vírus do herpes simples e da hepatite C.

12. Prevenir o câncer

Devido ao seu efeito antioxidante e presença de micronutrientes em sua composição, como zinco e selênio, a spirulina também é capaz de prevenir o desenvolvimento do câncer, já que diminui o estresse oxidativo e evitam o dano causado pelos radicais livres.

13. Prevenir doenças neurodegenerativas

A spirulina possui propriedade anti-inflamatória e antioxidante, atuando na ativação das células da glia, que são um tipo de célula cerebral, de forma que poderia ajuda a prevenir e/ ou evitar a progressão de doenças neurodegenerativas, principalmente a doença de Parkinson, Alzheimer e esclerose múltipla. Além disso, a spirulina também pode ajudar a melhorar a memória e o aprendizado, principalmente em idosos.

14. Fortalecer o sistema imune

A spirulina ajuda a ativar as células da imunidade, pois contém ácido linoleico, ficocianina e outros compostos antioxidantes que ajudam a regular a resposta do sistema imunológico na presença de microrganismos.

Alguns estudos indicam que o consumo da spirulina pode ser benéfico para pessoas portadoras do vírus HIV, ajudando a melhorar a sua imunidade, uma vez que poderia estimular um tipo de célula do sistema imune denominada T CDA+, que são as responsáveis por combater o vírus.

15. Cuidar da saúde visual

Devido à presença de zeaxantina, um tipo de carotenoide, a spirulina ajuda a prevenir o dano à retina, prevenindo o desenvolvimento de alterações visuais.

Esse carotenoide é benéfico na prevenção e progressão da degeneração macular, uma doença causada pelo envelhecimento e que é uma das principais causas de cegueira em pessoas com idade superior a 65 anos. Veja mais sobre a degeneração macular.

Como tomar a spirulina

A spirulina está disponível em forma de pó, comprimido e cápsulas, podendo ser ingerida com um pouco de água ou adicionada aos alimentos, como sucos, molhos, frutas ou saladas. 

Em geral, recomenda-se o uso de 1 a 8 g por dia (1000 mg a 8000 mg por dia), variando de acordo com o objetivo do tratamento. A spirulina deve ser ingerida seguindo a orientação de um médico ou nutricionista, podendo ser consumida em uma dose única ou fracionada ao longo do dia.

Possíveis efeitos colaterais

A ingestão de quantidades recomendadas da spirulina pode causar enjoo, vômitos ou diarreia em algumas pessoas.

Apesar das reações alérgicas serem raras, é importante ficar atento a sintomas como vermelhidão e coceira na pele, dor abdominal ou sintomas mais graves, como dificuldade para respirar ou engolir ou inchaço na língua, devendo procurar um atendimento de emergência.

Quem não deve tomar

A spirulina deve ser consumida por pessoas com fenilcetonuria, já que contém elevados níveis de fenilalanina, ou que possuam alterações relacionadas com esse aminoácido.

Além disso, não deve ser usada durante a gravidez, lactância materna e em crianças ou adolescentes devido à ausência de estudos científicos relacionados com a sua segurança durante essas fases.

A spirulina pode ser tomada por pessoas com hipotireoidismo?

Até o momento não foi encontrada evidência de que a spirulina cause alguma interação com a levotiroxina, que é o medicamento utilizado para tratar o hipotireoidismo, e nem que piore a doença. No entanto, isso não significa que o seu consumo seja 100% seguro, sendo importante que o médico ou nutricionista seja consultado.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em outubro de 2022.

Bibliografia

  • OKAMOTO Tomohiro, et al. Dietary Spirulina Supplementation Protects Visual Function From Photostress by Suppressing Retinal Neurodegeneration in Mice. Translational Vision Science & Technology. 8. 6; 1-12, 2019
  • CHOI Woon-Yong, et al. The Effects of Spirulina maxima Extract on Memory Improvement in Those with Mild Cognitive Impairment: A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Clinical Trial. Nutrients. 3714. 14; 1-16, 2022
Mostrar bibliografia completa
  • NOBARI Hadi, et al. Effects of 8 Weeks of High-Intensity Interval Training and Spirulina Supplementation on Immunoglobin Levels, Cardio-Respiratory Fitness, and Body Composition of Overweight and Obese Women. Biology. 196. 11; 1-12, 2022
  • TROTTA Teresa, et al. Beneficial Effects of Spirulina Consumption on Brain Health. Nutrients. 676. 14; 1-17, 2022
  • SORRENTI Vicenzo, et al. Spirulina Microalgae and Brain Health: A Scoping Review of Experimental and Clinical Evidence. Marine Drugs. 293. 19; 1-12, 2021
  • ZHANG Yuting, et al. Effects on Spirulina Supplementation on Immune Cells’ Parameters of Elite College Athletes. Nutrients. 14. 1-11, 2022
  • DINICOLANTONIO, James et al. Effects of spirulina on weight loss and blood lipids: a review. National Library of Medicine. Vol.7. 1.ed; 2020
  • USDA - UNITED STATES DEPARTMENT OF AGRICULTURE. Seaweed, spirulina, dried. Disponível em: <https://fdc.nal.usda.gov/fdc-app.html#/food-details/170495/nutrients>. Acesso em 04 ago 2021
  • LU, Hsueh-Kuan et al. Preventive effects of Spirulina platensis on skeletal muscle damage under exercise-induced oxidative stress. European Journal of Applied Physiology. Vol.2006. 96.ed; 220-226, 2006
  • KALAFATI, Maria et al. Ergogenic and Antioxidant Effects of Spirulina Supplementation in Humans. Medicine & Science in Sports & Exercise. Vol.42. 1.ed; 142-152, 2010
  • SELMI, Carlo et al. The effects of Spirulina on anemia and immune function in senior citizens. Cellular & Molecular Immunology - Nature. Vol.8. 3.ed; 248-254, 2011
  • PARIKH, Panam et al. Role of Spirulina in the Control of Glycemia and Lipidemia in Type 2 Diabetes Mellitus. Journal of Medicinal Food - ResearchGate. Vol.4. 4.ed; 193-199, 2001
  • T, K, Mao et al. Effects of a Spirulina-based dietary supplement on cytokine production from allergic rhinitis patients. Journal of Medicinal Food - ResearchGate. Vol.8. 1.ed; 27-30, 2005
  • CINGI, Cemal et al. The effects of spirulina on allergic rhinitis. European Archives of Oto-Rhino-Laryngology volume. Vol.265. 10.ed; 1219–1223 , 2008
  • EXAMINE.COM. Spirulina. Disponível em: <https://examine.com/supplements/spirulina/>. Acesso em 04 ago 2021
  • OLIVEIRA, A, Cristiane et al. Potencial nutricional, funcional e terapêutico da cianobactéria spirulina. Revista da Associação Brasielira de Nutrição. Vol.5. 1.ed; 52-59, 2013
  • MACHADO, R, Adriana et al. Uma abordagem sobre caracterização e avaliação do potencial antioxidante de extratos fenólicos de microalgas Spirulina sp. LEB-18 e Chlorella pyrenoidosa. Revista de Ciências Agrárias. Vol.40. 1.ed; 264-278, 2017
  • KARKOS, D, Petros et al. Spirulina in Clinical Practice: Evidence-Based Human Applications. Evidence-based Complementary and Alternative Medicine . Vol.2011. 1-4, 2008
  • EDWARDS Sarah; DA COSTA Inês et al. Phytopharmacy an Evidence-Based Guide to Herbal Medicinal Products: Spirulina. 1. United Kingdom: WILEY, 2015.
  • NGO-MATIP Marthe-Elise; PIEME Constant et al. Impact of daily supplementation of Spirulina platensis on the immune system of naïve HIV-1 patients in Cameroon: a 12-months single blind, randomized, multicenter trial. Nutritional Journal. 14. 2015
  • SIMPORE Jaques; PIGNATELLI Salvatore et al. The effects of Spiruline on the immune functions of HIV-infected undernourished children. Journal of Infection in Developing Countries. 2. 1; 112-117, 2007
  • Mansoreh Ghaeni et al. Review for Application and Medicine Effects of Spirulina, Spirulina platensis Microalgae. Journal of Advanced Agricultural Technologies. 3. 2; 114-117, 2016
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.

Tuasaude no Youtube

  • SPIRULINA ACELERA METABOLISMO?

    01:35 | 65270 visualizações
  • 4 SUPLEMENTOS INFALÍVEIS PARA DIMINUIR A FOME

    03:46 | 648953 visualizações