Sinvastatina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

A sinvastatina é um remédio da classe das estatinas indicada para diminuir a quantidade de colesterol ruim (LDL) e dos triglicerídeos no sangue, que quando têm os níveis altos podem se depositar na parede dos vasos sanguíneos, levando ao estreitamento ou entupimento desses vasos, aumentando o risco de infarto ou derrame cerebral.

Este remédio está disponível em farmácias ou drogarias, na forma de comprimidos de 10, 20, 40 e 80 mg, com o nome comercial Zocor, na forma de genérico como Sinvastatina ou com os nomes similares Sinvasmax, Vaslip, Sinvthal ou Unak, por exemplo, e deve sempre ser usado com indicação médica.

A sinvastatina também pode ser encontrada em associação com a ezetimiba, que é uma substância que age reduzindo a absorção de gorduras pelo intestino, melhorando o efeito de redução colesterol e triglicerídeos altos, e pode se encontrada com o nome comercial Vytorin. 

Sinvastatina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Para que serve

A sinvastatina é indicada para diminuir os níveis sanguíneos de colesterol total, colesterol ruim (LDL) e triglicerídeos, além de aumentar o colesterol bom (HDL), pois age inibindo uma enzima no fígado, responsável pela produção de colesterol.

Desta forma, a sinvastatina é usada para prevenção e redução do risco de doenças cardiovasculares como infarto ou AVC, além de doença vascular periférica associadas à diabetes ou doença coronariana.

Como tomar

O comprimido de sinvastatina deve ser tomado por via oral, com um copo de água, após uma refeição, em dose única, sempre no mesmo horário, de preferência à noite, antes de deitar. 

Caso a pessoa se esqueça de tomar a dose na hora certa, deve tomar assim que lembrar mas se estiver perto do horário da próxima dose, deve-se pular a dose esquecida e aguardar o próximo horário de tomar. Em nenhum caso se deve dobrar a dose para compensar a dose esquecida.

As doses recomendadas de sinvastatina para adultos incluem:

  • Prevenção de doença cardiovascular: a dose inicial de sinvastatina é geralmente 20 a 40 mg por dia, associado à uma dieta e prática de exercícios físicos indicados pelo médico;
  • Colesterol total alto: a dose inicial de sinvastatina é geralmente 10 a 20 mg por dia, podendo ser aumentada para até 40 mg por dia, conforme avaliação médica. 

As doses de sinvastatina podem ser alteradas pelo médico conforme avaliação dos exames de sangue que medem o colesterol total e fracionado, além dos triglicerídeos.

O tratamento com a sinvastatina geralmente é feito por longo prazo, e não se deve interromper o tratamento por conta própria, devendo sempre ser orientado pelo médico. 

Possíveis efeitos colaterais

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com sinvastatina são dor de cabeça, prisão de ventre, náusea, dor de estômago, ou sintomas de resfriado como nariz entupido, espirros ou dor de garganta.

Além disso, embora seja mais raro, a sinvastatina pode causar uma condição que resulta na degradação do tecido músculo-esquelético que pode levar à insuficiência renal ou hepática, sendo percebida através de sintomas como dor muscular nos quadris, ombros, pescoço ou costas, fraqueza, cansaço excessivo, febre ou urina cor escura. 

A sinvastatina também pode causar reações alérgicas graves que necessitam de atendimento médico imediato. Por isso, deve-se interromper o tratamento e procurar o pronto socorro mais próximo ao apresentar sintomas como dificuldade para respirar, sensação de garganta fechada, inchaço na boca, língua ou rosto, ou urticária. Saiba como identificar os sintomas de reação alérgica grave.

Quem não deve usar

A sinvastatina não deve ser usada por mulheres grávidas ou em amamentação, por pessoas que tenham doença no fígado ou alergia à sinvastatina ou qualquer outra substância que tenha no comprimido.

O médico deve ser informado sobre todos os remédios utilizados pela pessoa, assim como suplementos alimentares, fitoterápicos e remédios caseiros, pois podem interferir na ação da sinvastatina, aumentando ou diminuindo sua eficácia. 

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • ONG, Y. C.; AZIZ, Z. Systematic review of red yeast rice compared with simvastatin in dyslipidaemia. J Clin Pharm Ther. 41. 2; 170-9, 2016
  • PEDERSEN, T. R.; TOBERT, J. A. Simvastatin: a review. Expert Opin Pharmacother. 5. 12; 2583-96, 2004
  • FATTAH, T. A.; SAEED, A.; SHEHZADI, S. A. Synthetic Approaches Towards Antihypercholesterolemic Drug Simvastatin. Curr Org Synth. 16. 5; 652-670, 2019
Mais sobre este assunto: