Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Sinais e sintomas do Parkinson

Os sintomas da doença de Parkinson, como tremor, rigidez e movimentos lentificados, geralmente, começam de forma sutil e, por isso, nem sempre são notados na fase mais inicial. No entanto, com o passar de alguns meses ou anos, vão evoluindo e agravando, tornando-se cada vez mais evidentes, sendo necessário iniciar o tratamento para que a pessoa portadora consiga ter uma vida com qualidade.

Para se suspeitar desta doença, que é um tipo de degeneração cerebral, é necessário ter alguns sinais e sintomas que surgem em conjunto ou pioram ao longo do tempo, sendo aconselhado se consultar com um neurologista ou geriatra para confirmar o diagnóstico.

Sinais e sintomas do Parkinson

Os principais sinais e sintomas da doença de Parkinson são:

1. Tremor

O tremor do Parkinson acontece quando a pessoa está parada, em repouso, e melhora quando ao fazer algum movimento. É mais comum nas mãos, sendo um tremor com grande amplitude, que imita o movimento de contar dinheiro, mas também pode aparecer no queixo, lábios, língua e pernas. É mais comum que seja assimétrico, ou seja, em apenas um lado do corpo, mas isto pode variar. Além disto, é comum que piore em situações de estresse e ansiedade.

2. Rigidez

A rigidez dos músculos também pode ser assimétrica ou estar mais presente em algum local do corpo, como braços ou pernas, dando uma sensação de estar endurecido, impedindo atividades como caminhar, se vestir, abrir os braços, subir e descer escadas, além de dificuldade para realizar outros movimentos. Também é comum haver dor muscular e cansaço excessivo.

3. Movimentos lentificados

Situação conhecida como bradicinesia, que acontece quando há a diminuição da amplitude dos movimentos e a perda de certos movimentos automáticos, como piscar os olhos. Assim, a agilidade para fazer movimentos rápidos e amplos fica comprometida, o que dificulta a realização de tarefas simples, como abrir e fechar as mãos, se vestir, escrever ou mastigar.

Assim, o caminhar se torna arrastado, lento e com passos curtos, havendo, também, diminuição do balançar dos braços, o que aumenta o risco de quedas. Há uma diminuição das expressões do rosto, uma voz rouca e baixa, dificuldade para engolir os alimentos, com engasgos, e uma escrita lenta com letras pequenas.

4. Postura encurvada

Alterações da postura estão presentes nas fases mais avançadas e finais da doença, que inicia-se com uma postura mais encurvada, mas, se não for tratada, pode evoluir para contração das articulações e imobilidade.

Além da coluna encurvada, outras alterações da postura mais comuns são inclinação da cabeça, braços mantidos para frente do corpo, além de joelhos e cotovelos fletidos.

5. Desequilíbrio

A rigidez e lentificação do corpo fazem com que haja dificuldade de controlar os reflexos, tornando difícil se equilibrar, ficar de pé sem ajuda e manter a postura, havendo grande risco de quedas e dificuldade para andar.

6. Congelamento

Em alguns momentos, para haver um súbito bloqueio para iniciar movimentos, conhecido como congelamento ou freezing, sendo comum acontecer enquanto a pessoa anda, fala ou escreve.

Apesar destes sinais e sintomas serem característicos no Parkinson, muitos podem acontecer em outras doenças que causam distúrbios do movimento, como tremor essencial, sífilis avançado, tumor, além de distúrbios do movimento causados por medicamentos ou por outras doenças, como a paralisia supranuclear progressiva ou demência por corpúsculos de Lewy, por exemplo. Para confirmar que não há nenhuma destas doenças, o médico precisa fazer uma avaliação minuciosa dos sintomas, exame físico e neurológico, além de solicitar exames como ressonância magnética do encéfalo e exames de sangue.

Sinais e sintomas do Parkinson

Outros sintomas comuns no Parkinson

Além dos sintomas citados, que são fundamentais para se suspeitar da doença de Parkinson, existem outras manifestações que também são comuns na doença, como:

  • Alterações do sono, como insônia, pesadelos ou sonambulismo;
  • Tristeza e depressão;
  • Tontura;
  • Dificuldade para sentir cheiros;
  • Suor excessivo;
  • Dermatites ou irritações na pele;
  • Intestino preso;
  • Demência do Parkinson, em que há perda da memória.

Estes sintomas podem estar presentes em maior ou menor intensidade, de acordo com o desenvolvimento da doença de cada pessoa.

O que fazer se suspeitar de Parkinson

Na presença de sintomas que indiquem Parkinson, é importante consultar um neurologista ou um geriatra para que seja feita uma avaliação clínica completa, com análise dos sintomas, exame físico e solicitar exames que identifiquem se existe outro problema de saúde que possa estar provocando esses sintomas, uma vez que não existe um exame específico para o mal de Parkinson.

Caso o médico confirme o diagnóstico, ele irá, também, indicar medicamentos que ajudam a reduzir os sintomas, especialmente os tremores e a lentificação dos movimentos, como o Levodopa, por exemplo. Além disso, é muito importante fazer fisioterapia, e outras atividades que estimulem o paciente, como terapia ocupacional e atividade física, para que ele aprenda a ultrapassar algumas das limitações causadas pela doença, permitindo manter uma vida independente.

Saiba mais sobre como é feito o tratamento do Parkinson.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem