Alergia respiratória: principais sintomas, causas e o que fazer

Revisão médica: Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
dezembro 2021

A alergia respiratória corresponde a uma resposta exagerada do sistema imunológico a substâncias como pó, pólen, pelos de animais ou fungos, por exemplo, provocando exacerbação de doenças respiratórias como rinite, asma ou sinusite.

Geralmente a alergia respiratória é mais comum em pessoas com predisposição genética ou que possuem maior sensibilidade do sistema imunológico às substâncias responsáveis pela alergia. Os sintomas são mais frequentes de aparecer na primavera ou no outono, devido à diminuição da umidade e ao aumento da concentração dessas substâncias no ar.

Para tratar a alergia respiratória corretamente, o alergologista deverá estudar a causa e indicar o uso de remédios específicos para o problema, além de outros cuidados que facilitam a recuperação, como evitar frequentar locais muito poluídos e beber bastante água no dia a dia.

Principais sintomas

O sintoma mais comum da alergia respiratória é o aparecimento de espirros frequentes, mas também são comuns outros sintomas, como:

  • Tosse seca;
  • Corrimento nasal;
  • Coceira nos olhos, nariz ou garganta;
  • Dor de cabeça;
  • Olhos lacrimejando.

Os sintomas podem aparecer em separado e normalmente não há febre. Nos bebês os sintomas são os mesmos, no entanto é importante que o bebê seja avaliado por um pediatra para que seja iniciado o tratamento adequado.

Alergia respiratória na gravidez

A alergia respiratória na gravidez é muito frequente e acontece principalmente devido às alterações hormonais, ao aumento do volume sanguíneo e às mudanças corporais que a grávida experimenta durante a gestação.

Caso a gestante sofra de alguma doença respiratória, como asma, é importante que, antes da gravidez, consulte um alergologista para iniciar o tratamento adequado e evitar o agravamento dos sintomas.

A alergia respiratória na gravidez pode ser tratada com o uso de remédios contra a alergia que são seguros, e que devem ser sempre orientados por um médico.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da alergia respiratória é feito pelo clínico geral ou alergologista baseado nos sinais e sintomas apresentados pela pessoa. No entanto também podem ser feitos os testes de alergia, que são realizados no consultório médico, para confirmar a alergia e saber qual o agente responsável.

A realização do teste de alergia ajuda muitas vezes a identificar a possível causa da alergia respiratória, permitindo que a pessoa consiga evitar mais eficazmente novas crises. Entenda como é feito o teste de alergias.

Possíveis causas da alergia

A alergia respiratória é causada por fatores que podem irritar a mucosa nasal e desencadear resposta do sistema imunológico, levando ao surgimento dos sintomas característicos.

Assim, a ocorrência desse tipo de alergia pode ser devido à presença dos ácaros que se acumulam na poeira, cobertores, tapetes e cortinas, além de também poder ser desencadeada pelo pólen das árvores e plantas, poluição, fumaça e pelos de animais domésticos, por exemplo.

Além disso, algumas situações podem aumentar o risco de desenvolver alergia respiratória, como por exemplo ter histórico familiar de alergias, trabalhar num local com muita poeira, muito exposto a mofo, viver em uma casa com muita umidade ou com pouca ventilação.

O que fazer para aliviar os sintomas

O uso de antialérgicos, prescritos pelo clínico geral ou alergologista, diminuem os sintomas da alergia respiratória, mas há também outras medidas que incluem:

  • Beber, pelo menos, 1 litro de água por dia;
  • Evitar fumar ou frequentar locais com fumaça ou poluição;
  • Renovar o ar da casa todos os dias, abrindo as janelas;
  • Manter a casa limpa e aspirada, para evitar o acúmulo de pó;
  • Utilizar preferencialmente um aspirador com filtro de água;
  • Evitar tapetes, carpetes e cortinas de pano, principalmente no quarto;
  • Manter os animais domésticos fora do quarto de dormir.

Além destas dicas, as pessoas podem prevenir a alergia respiratória utilizando tecidos e materiais antiácaros para encapar as almofadas, colchões e sofás, por exemplo. Confira algumas opções naturais para aliviar a alergia respiratória.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em dezembro de 2021.

Bibliografia

  • Galvão CES, Castro FFM. As alergias respiratórias. Rev Med (São Paulo). 2005 jan.-mar.;84(1):18- 24., Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revistadc/article/download/59237/62253.
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.