Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como saber se é síndrome de burnout

A síndrome de burnout é caracterizada por um estado de exaustão física, emocional ou mental que surge devido ao acúmulo de estresse no trabalho, sendo, por isso, muito comum em profissionais que têm que lidar com pressão e responsabilidade constante, como os professores ou enfermeiros, por exemplo.

Alguns dos sinais e sintomas que ajudam a identificar se se está sofrendo com este problema incluem:

  1. Sensação constante de negatividade, como se nada fosse dar certo;
  2. Cansaço físico e mental constante e excessivo;
  3. Falta de vontade para fazer atividades sociais ou estar com outras pessoas;
  4. Dificuldade para se concentrar no trabalho ou tarefas diárias;
  5. Falta de energia para manter hábitos saudáveis, como ir na academia ou ter um sono regular;
  6. Sentimento de que não se está fazendo o suficiente dentro e fora do trabalho;
  7. Dificuldade para gostar das mesmas coisas que se gostava anteriormente;
  8. Colocar as necessidades dos outros à frente das próprias;
  9. Alterações repentinas de humor, com muitos períodos de irritação;
  10. Isolamento de pessoas significativas, como amigos e familiares.

Outros sinais frequentes da síndrome de burnout incluem demorar muito tempo em realizar as tarefas profissionais, assim como faltar ou chegar atrasado muitas vezes ao trabalho. Além disso, quando se tira férias é comum não se sentir prazer durante esse período, voltando para o trabalho com a sensação de ainda estar cansado.

Embora os sintomas mais comuns sejam psicológicos, pessoas que estão sofrendo com síndrome de burnout também podem sofrer frequentemente com dores de cabeça, palpitações, tonturas, problemas de sono, dores musculares e até resfriados, por exemplo.

Como saber se é síndrome de burnout

Como confirmar o diagnóstico

Muitas vezes, a pessoa que está sofrendo com burnout não consegue identificar todos os sintomas e, por isso, não consegue confirmar de que algo está acontecendo. Dessa forma, se existirem suspeitas de que se possa estar sofrendo com este problema, é aconselhado pedir ajuda para um amigo, familiar ou outra pessoa de confiança de forma a identificar corretamente os sintomas.

Porém, para fazer o diagnóstico e não ter mais dúvidas, a melhor forma é ir com uma pessoa próxima a um psicólogo para que sejam discutidos os sintomas, identificado o problema e orientado um tratamento.

Entenda como, normalmente, é feito o tratamento desta síndrome.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...