Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Síndrome de West - O que é, Tratamento e Cura

A Síndrome de West é uma doença rara caracterizada por crises epiléticas frequentes, sendo mais comum entre os meninos e que começa a se manifestar durante o primeiro ano de vida do bebê. Geralmente as primeiras crises acontecem entre os 3 e 5 meses de vida, embora o diagnóstico possa ser feito até os 12 meses. 

Existem 3 tipos dessa síndrome, a sintomática, idiopática e a criptogênica, sendo que na sintomática o bebê apresenta uma causa como o bebê ter ficado muito tempo sem respirar ao nascer; criptogênico é quando é causado por alguma outra doença ou anormalidade cerebral, e o idiopático é quando não se pode descobrir a causa e o bebê pode apresentar um desenvolvimento motor, como sentar e engatinhar, normal.

Síndrome de West - O que é, Tratamento e Cura

Principais características 

As características marcantes dessa síndrome são o atraso no desenvolvimento psicomotor, crises epiléticas diárias (por vezes mais de 100), além de exames como o eletroencefalograma que confirmam a suspeita. Cerca de 90% das crianças com esta síndrome geralmente possuem retardo mental, autismo e as alterações bucais são muito frequentes. Bruxismo, respiração bucal, má oclusão dentária e gengivite são as alterações mais comuns nessas crianças.

O mais frequente é que o portador dessa síndrome também seja afetado por outros transtornos cerebrais, que podem dificultar o tratamento, tendo um pior desenvolvimento, sendo de difícil controle. Todavia, existem bebês se se recuperam completamente.

Causas da Síndrome de West

Não se conhece ao certo as causas desta doença, que pode ser originada por diversos fatores, mas o mais comum são problemas no nascimento, como a falta de oxigenação cerebral no momento do parto ou logo após ao nascer, e a hipoglicemia.

Algumas situações que parecem favorecer esta síndrome são mal formação cerebral, prematuridade, sepsia, Síndrome de Algeman, AVC, ou infecções como rubéola ou citomegalovírus durante a gravidez, além do uso de drogas ou consumo excessivo de álcool na gestação. Uma outra causa é a mutação no gene Aristaless-related homeobox (ARX) no cromossomo X.

Tratamento para Síndrome de West

O tratamento para Síndrome de West deve ser iniciado o quanto antes porque durante as crises epiléticas o cérebro pode sofrer danos irreversíveis, comprometendo gravemente a saúde do bebê e o seu desenvolvimento.

O uso de medicamentos como o hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) é uma alternativa de tratamento, além de fisioterapia e hidroterapia. Remédios como valproato de sódio, vigabatrina, piridoxina e benzodiazepínicos podem ser receitados pelo médico.

Síndrome de West tem cura?

Nos casos mais simples, quando a síndrome de West não está relacionada com outras doenças, quando ela não gera sintomas, ou seja, quando não se sabe a sua causa, sendo considerado Síndrome de West idiopático e quando a criança recebe o tratamento inicialmente, logo quando surgem as primeiras crises, a doença pode ser controlada, havendo chance de cura, não sendo necessário fazer fisioterapia, e a criança pode ter um desenvolvimento normal.

No entanto, quando o bebê apresenta outras doenças associadas e quando seu estado de saúde é grave, a doença não pode ser curada, embora os tratamentos possam trazer mais conforto. A melhor pessoa para indicar que o estado de saúde do bebê é o neuropediatra que após avaliar todos os exames, poderá indicar os remédios mais indicados e a necessidade de estimulação psicomotora e sessões de fisioterapia. 

Mais sobre este assunto:


Carregando
...