Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Síndrome de Brugada: o que é, sintomas e como é feito o tratamento

A síndrome de Brugada é uma doença cardíaca rara e hereditária caracterizada pela alteração da atividade do coração que pode causar sintomas como tontura, desmaios e dificuldade para respirar, além de ocasionar morte súbita nos casos mais graves. Essa síndrome é mais comum nos homens e pode acontecer em qualquer momento da vida. 

A síndrome de Brugada não possui cura, no entanto pode ser tratada de acordo com a gravidade e normalmente evolve o implante de um cardiodesfibrilador, que é um aparelho responsável por monitorar e corrigir os batimentos cardíacos quando há morte súbita, por exemplo. A síndrome de Brugada é identificada pelo cardiologista através do eletrocardiograma, mas também podem ser feitos testes genéticos para verificar se a pessoa é portadora da mutação responsável pela doença. 

Síndrome de Brugada: o que é, sintomas e como é feito o tratamento

Sinais e sintomas

A síndrome de Brugada normalmente não apresenta sintomas, no entanto, é comum que a pessoa portadora dessa síndrome tenha episódios de tonturas, desmaios ou dificuldade para respirar. Além disso, é característica dessa síndrome a ocorrência de um quadro grave de arritmia, em que o coração pode bater mais lento, fora do ritmo ou mais rápido, que geralmente é o que acontece. Se essa situação não for tratada, pode levar à morte súbita, que é uma condição caracterizada pela falta de bombeamento de sangue para o corpo, levando ao desmaio e ausência de pulso e respiração. Veja quais são as 4 principais causas de morte súbita.  

Como identificar 

A síndrome de Brugada é mais frequente nos homens adultos, mas pode acontecer em qualquer momento da vida e pode ser identificada através de:

  • Eletrocardiograma (ECG), em que o médico irá avaliar a atividade elétrica do coração por meio da interpretação de gráficos gerados pelo aparelho, podendo ser verificado o ritmo e a quantidade de batimentos do coração. A síndrome de Brugada possui três perfis no ECG, porém há um perfil mais frequente e que pode fechar o diagnóstico dessa síndrome. Entenda para que serve e como é feito o eletrocardiograma. 
  • Estimulação por medicamentos, em que há o uso pelo paciente de um medicamento capaz de alterar a atividade do coração, o que pode ser percebido por meio do eletrocardiograma. Normalmente o medicamento utilizado pelo cardiologista é a Ajmalina.
  • Testes ou aconselhamento genético, pois por se tratar de uma doença hereditária, é muito provável que a mutação responsável pela síndrome estejam presentes no DNA, podendo ser identificados por meio de testes moleculares específicos. Além disso, pode ser feito um aconselhamento genético, em que é verificada a chance de desenvolvimento da doença. Veja para que serve o aconselhamento genético. 

A síndrome de Brugada não tem cura, é uma condição genética e hereditária, porém há formas de prevenir o aparecimento, como evitar o uso de álcool e de medicamentos que possam levar à arritmia, por exemplo. 

Como é feito o tratamento

Quando a pessoa apresenta elevado risco de morte súbita, normalmente é recomendado pelo médico a colocação de um cardiodesfibrilador implantável (CDI), que é um aparelho implantado sob a pele responsável por monitorar os ritmos cardíacos e estimular a atividade cardíaca quando esta está prejudicada.

Nos casos mais leves, em que a chance de morte súbita é baixa, pode ser indicado pelo médico o uso de medicamentos, como a quinidina, por exemplo, que tem como função bloquear alguns vasos do coração e diminuir o número de contrações, sendo útil para o tratamento de arritmias, por exemplo. 

Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...